Tarde de Campo sobre Adubação Verde e Plantas de Cobertura é realizada em Nova Santa Rita

Adubação

Tarde de Campo sobre Adubação Verde e Plantas de Cobertura é realizada em Nova Santa Rita

Emater promoveu uma Tarde de Campo Sobre Adubação Verde e Plantas de Cobertura
Por:
1087 acessos

A Emater/RS-Ascar promoveu uma Tarde de Campo Sobre Adubação Verde e Plantas de Cobertura na propriedade da família de Setembrino e Rosali de Morais, em Nova Santa Rita. No local foram cultivadas algumas plantas de cobertura de verão, com a intenção de mostrar a outros agricultores a experiência, permitindo colher as sementes e partilhar o conhecimento. O encontro ocorreu na última segunda-feira (12/03).

Segundo o agrônomo da Emater/RS-Ascar em Nova Santa Rita, Igor de Bearzi, a prática de adubação verde e o cultivo de plantas de cobertura objetivam incrementar a biodiversidade da propriedade, usando variedades adaptadas ao clima e aos solos da região, e cujas finalidades estejam em acordo com os interesses de produção naquela área. As plantas são cultivadas em parte ou durante todo seu ciclo produtivo, com colheita ou não das sementes e incorporação ou não da massa verde produzida ao solo. São exemplos de plantas de cobertura o feijão-de-porco, feijão lablab, sorgo-forrageiro, milheto, crotalárias e mucunas, espécies para cultivo no verão. No inverno, são exemplos de plantas de cobertura o nabo-forrageiro, as aveias, o centeio, o trigo de dupla aptidão, o azevém, a ervilha-forrageira, a ervilhaca e o girassol, entre outras plantas.

As plantas de cobertura contribuem consideravelmente para a melhoria das condições químicas, físicas e biológicas do solo. Dentre os benefícios da palha formada pelas plantas de cobertura, associadas ao sistema de plantio direto, estão maior retenção de água no solo, diminuição das perdas por evaporação e necessidade de irrigação, além do controle da erosão.

A redução da variação da temperatura sob a palhada favorece o trabalho da vida do solo, pois se proliferam organismos benéficos as plantas de interesse econômico, na medida em que, por exemplo, através do uso de espécies como a crotalaria juncea e as mucunas reduz-se a população de nematoides-formadores-de-galha, vermes parasitas de plantas, como tomate, cenoura, alface, que geram grandes prejuízos à agricultura orgânica e também à convencional. Do ponto de vista químico, a principal contribuição está na fixação biológica do Nitrogênio, nutriente indispensável para os cultivos e de pouca disponibilidade no ambiente natural do solo.

De Biarzi conta que os produtores gostaram muito da Tarde de Campo, principalmente os agricultores assentados que cultivam alimentos orgânicos e que necessitam contar com plantas e tecnologias produtivas que dispensam o uso de insumos químicos e incrementam a biodiversidade e o controle biológico em suas propriedades.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink