Agronegócio

Tarde de Campo sobre plantas biotivas envolve famílias, alunos e professores em Erval Grande

O Escritório da Emater/RS-Ascar de Erval Grande, em parceria com a Escola Estadual Ângelo Emílio Grando, realizou uma Tarde de Campo sobre Plantas Biotivas e Relógio do Corpo Humano.
Por:
866 acessos

O Escritório da Emater/RS-Ascar de Erval Grande, em parceria com a Escola Estadual Ângelo Emílio Grando, realizou uma Tarde de Campo sobre Plantas Biotivas e Relógio do Corpo Humano, na quarta-feira (15/06). A atividade faz parte do Plano de Ações Socioassitenciais da Emater/RS-Ascar, desenvolvido com famílias do município em situação de vulnerabilidade social, e foi realizada nas dependências da escola, onde foi implantado o horto. Além das famílias beneficiárias do plano, participaram a diretora da escola, Terezinha Sotoriva Capello, professores e alunos das turmas do 4º e 5º ano. 

A extensionista social da Emater/RS-Ascar, Nádia da Rosa, acompanhada da extensionista do Escritório Municipal, Marlene Vendrame, falou do resgate de espécies importantes e em extinção, como a marcela, planta símbolo do Rio Grande do Sul. Também abordaram sobre o repasse do conhecimento para novas gerações, e sobre a importância do manejo, cultivo, secagem e armazenagem de forma corretas para manter o principio ativo das plantas.

As extensionistas explicaram ainda que o Relógio relaciona o horário de maior atividade de funcionamento dos órgãos do corpo humano com as plantas medicinais que têm ações terapêuticas sobre eles. Nádia também observou que ?as plantas bioativas fazem parte dos eixos temáticos de Assistência Técnicas e Extensão Rural e Social da Emater, na promoção da saúde?. 

Na escola, as professoras Janete Kuffel Tasca e Lidia Ziger trabalham com os alunos projetos pedagógicos sobre plantas aromáticas, repelentes, medicinais, místicas, condimentares, tóxicas e bioativas. Além de implantar o horto na escola, produziram mudas para serem distribuídas as famílias participantes.

Visita às famílias
Na parte da manhã, as extensionistas sociais Nádia da Rosa e Marlene Vandrame visitaram a propriedade da beneficiária do Plano Socioassistencial da Emater/Ascar, Julia Maria Olias, localizada na comunidade Linha Capelo. A família cultiva milho, feijão, mandioca e frutas, entre outras, sendo uma grande variedade de alimentos destinada para o autoconsumo. A família também preserva uma grande variedade de sementes crioulas.

Apesar de todas as dificuldades enfrentadas pela família, que vive basicamente da produção para autoconsumo, ela não desanima e destaca o apoio da Emater/RS-Ascar. ?Nem sei como a Emater nos achou aqui nestes fundões?, disse ela, se referindo à distância onde mora na área rural. Segundo ela, o ?pouco que sobra é comercializado?. Julia, que tem uma filha de 17 anos, enfrenta dificuldades com o marido, com problemas de saúde. ?Não temos dinheiro, mas não passamos fome?, conta.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink