Técnica para conter desmatamento na Amazônia é tema de treinamento
CI
Agronegócio

Técnica para conter desmatamento na Amazônia é tema de treinamento

O objetivo é capacitar profissionais que trabalham em assistência técnica e extensão rural
Por:
Apontada como uma das principais alternativas para evitar a abertura de novas áreas de floresta na Amazônia, a recuperação de pastagens é tema de curso que acontece esta semana na Embrapa Rondônia, em Porto Velho. O objetivo é capacitar profissionais que trabalham em assistência técnica e extensão rural nos quatro municípios que registram os maiores índices de desmatamento no Estado. Além de recuperação, serão abordados temas como manejo de pastagens e boas práticas em bovinocultura de leite.

O curso é dividido em aulas teóricas e exercícios práticos. Em sala, pesquisadores da Embrapa Rondônia, unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, tratam da situação das pastagens cultivadas na Amazônia, de causas e efeitos da degradação de pastagens e dos métodos para recuperação ou renovação das áreas.

Em campo, será possível exercitar o diagnóstico de degradação de pastagens. Serão visitadas áreas em diferentes estágios de degradação. O diagnóstico determina o tipo de intervenção a ser adotado. Os participantes terão a oportunidade de praticar técnicas de interpretação de análises de solo para recomendação de adubação e calagem, etapa importante do processo de recuperação das pastagens.

Organizador do evento, o engenheiro agrônomo Zenildo Ferreira Holanda Filho explica que o tema do curso foi uma demanda dos próprios municípios. “Foram realizadas reuniões com prefeituras e com representantes das instituições de assistência técnica e extensão rural. Esses encontros serviram para definir o tipo de capacitação a ser realizado, de acordo com as necessidades dos próprios técnicos”.

A recuperação de pastagens é uma forma de aumentar a capacidade produtiva da atividade pecuária sem que seja necessário derrubar a floresta. Levantamentos indicam que mais da metade das pastagens na Amazônia se encontra em algum estágio de degradação.

Com um manejo inadequado, as gramíneas forrageiras perdem espaço para plantas invasoras, que reduzem o valor nutricional da pastagem. Em casos mais críticos, o solo exposto fica vulnerável ao efeito das chuvas, se torna compacto e pouco fértil.

Além do curso de capacitação, serão montadas unidades demonstrativas de recuperação de pastagens nos municípios de Porto Velho, Nova Mamoré, Machadinho d"Oeste e Pimenta Bueno. O objetivo é mostrar na prática o resultado de uma recuperação de pastagem e mostrar ao produtor os benefícios ambientais e econômicos da prática.

Outros três cursos acontecem no mês de novembro envolvendo profissionais dos mesmos municípios. Em Ouro Preto do Oeste o tema será cafeicultura. Em Machadinho d"Oeste, nos dias 18 e 19 de novembro, acontece o curso de “Coleta de sementes e produção de mudas de espécies florestais nativas”. Produção de mudas também será tema do último curso da série, que acontece no campo experimental da Embrapa Rondônia em Porto Velho, no dia 26 de novembro.

Embrapa

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink