Técnicos recomendam monitoramento de doenças nas lavouras de trigo

Agronegócio

Técnicos recomendam monitoramento de doenças nas lavouras de trigo

Momento é de monitoramento de doenças nas lavouras de trigo do RS
Por:
1713 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

O momento é de atenção e monitoramento de doenças nas lavouras de trigo do Rio Grande do Sul, principalmente de ferrugens e manchas foliares, além do trabalho de adubação de cobertura, sobretudo em áreas semeadas no final do período recomendado pelo zoneamento agroclimático. A recomendação consta no Informativo Conjuntural divulgado pela Emater/RS-Ascar na quinta-feira (28/08). 

Em algumas regiões, apesar das altas temperaturas registradas, com os termômetros chegando a 30ºC em diversos momentos, em boa parte do Estado, a semana que passou foi muito favorável ao desenvolvimento da cultura. De forma geral, o trigo apresenta bom desenvolvimento em todas as regiões produtoras e se recupera satisfatoriamente das fortes chuvas ocorridas no período de implantação. A cultura apresenta bom vigor no perfilhamento e potencial produtivo dentro do esperado. As condições meteorológicas favoráveis às lavouras permitem a aceleração do processo de floração, alcançando 12% do total implantado nessa situação, tendo 1% já atingido a fase de formação de grãos. 

Também de acordo com o informativo da Emater/RS-Ascar, a cultura da canola, no Estado, mantém-se predominantemente nas fases de floração e formação das síliquas. Na região do Planalto, podem ser observadas sequelas da geada ocorrida no último dia 14, que danificou as lavouras localizadas nas baixadas, causando morte e queda das folhas, o que representará impacto negativo na produtividade dessas áreas. Nas regiões da Fronteira Noroeste e Missões, a lavoura se encontra com bom desenvolvimento, já atingindo a fase de enchimento dos grãos. Nas áreas do Noroeste Colonial, Alto Jacuí e região Celeiro, a cultura evolui com normalidade e bom potencial produtivo. Nas áreas de cultivo da região Central do Estado, as condições de lavouras são normais. 

Os produtores da canola dão seguimento aos tratos culturais, concentrando-se na aplicação de fungicidas e inseticidas, para proteger as plantas das doenças e pragas. 

Outra cultura de inverno, a cevada também está na fase final de perfilhamento e, na sua maior parte, em emborrachamento. Na semana que passou, foi constatada a necessidade de aplicação de fungicida para controlar o oídio e helminthosporiose. As lavouras mantêm-se com bom potencial produtivo, alcançando, em algumas áreas, uma produção em torno de 3.300 kg/ha, mostrando tendência final de boa qualidade industrial. 
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink