Agronegócio

Tempo favorece colheita de milho na Argentina, mas greve atrasa transporte

Motoristas estão pedindo um aumento de 31 por cento nas taxas de frete pagas por produtores
Por: -Maximilian Heath
2844 acessos

O tempo ensolarado tem ajudado a acelerar a colheita do milho na Argentina após atrasos provocados por chuvas, mas a entrega de grãos nos portos continua quase paralisada nesta quarta-feira devido a uma greve de caminhoneiros. Motoristas estão pedindo um aumento de 31 por cento nas taxas de frete pagas por produtores.

As negociações entre os envolvidos estão paradas desde que caminhoneiros começaram a greve na segunda-feira, sem data para retornar ao trabalho. Apenas 125 caminhões chegaram ao centro de exportações de Rosário da meia-noite às 7h desta quarta-feira, ante 7.275 caminhões nas mesmas horas na quarta-feira na última semana, de acordo com a bolsa de grãos de Rosário.

"Vamos continuar a greve até recebermos uma ligação do governo," disse Pablo Agolanti, vice-presidente do sindicato de caminhoneiros Fetra, em entrevista por telefone. Um pouco mais da metade da safra de milho 2015/16 foi colhida até agora. Normalmente, a colheita do milho na Argentina vai de março a junho. Neste ano, a colheita foi atrasada por conta de alagamentos recordes em abril.

(Reportagem adicional de Hugh Bronstein)

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink