Terceira Onda do Café multiplica cafeterias independentes

Agronegócio

Terceira Onda do Café multiplica cafeterias independentes

Consumo diário de café dos jovens de 19 a 34 anos representa 44% do mercado nos EUA
Por:
791 acessos

O Bureau de Inteligência Competitiva do Café da Universidade Federal de Lavras - UFLA, por meio do seu Relatório Internacional de Tendências do Café do mês de novembro de 2016, traz como destaques nas suas análises que a “Terceira Onda do Café” se consolidou como tendência duradoura no mercado; e que uma empresa  especializada em pesquisa de mercado de alimentos constatou que os ‘millennials - grupo de jovens com idades entre 19 e 34 anos - representam cerca de 44% do mercado consumidor de café nos Estados Unidos. E ainda que, nos últimos oito anos, o consumo diário de café dos jovens de 18 a 24 anos também aumentou de 34% para 48%.
  
A "Primeira Onda” refere-se ao aumento exponencial do consumo decorrente da modernização das etapas do processamento e comercialização do produto, até então de baixíssima qualidade. E a “Segunda Onda” teria surgido como reação ao movimento anterior, sendo responsável pela introdução do conceito de cafés especiais e de origem produtora, bem como pela popularização do café expresso e do consumo da bebida em cafeterias. Por fim, a “Terceira Onda” estaria ligada à percepção do café como produto artesanal, diferenciado por inúmeros atributos, como qualidade, origem, torra e método de preparo, que é comercializado de forma mais direta entre os elos da cadeia. O Relatório Internacional de Tendências do Café do mês de novembro de 2016 encontra-se disponível na íntegra no site da Embrapa Café e no Observatório do Café do Consórcio Pesquisa Café. 
 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink