Agronegócio

Tocantins fortalece a merenda com arroz vitaminado no cardápio

Tocantins será o primeiro Estado a fortalecer a merenda escolar com a inclusão do arroz vitaminado no cardápio
Por: -Lidiane Moreira
735 acessos
Desenvolvido em três eixos: saúde, educação e agricultura, o governo do Tocantins assinou nesta quinta-feira, 3, o Protocolo de Intenções junto a PATH, instituição sem fins lucrativos que combate à desnutrição em vários países do mundo, para inclusão de arroz vitaminado no cardápio de 550 escolas estaduais nos 139 municípios do Estado. Mais de 200 mil estudantes serão beneficiados.


Com assinatura do documento, o governo do Estado investe na erradicação da desnutrição, ao introduzir a tecnologia da fortificação do arroz no programa público de merenda escolar. A ação vai contribuir para reduzir a deficiência dos micronutrientes na alimentação, a chamada fome oculta, um mal que atinge uma em cada quatro pessoas, sobretudo crianças e mulheres segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS).  “Precisamos aproveitar todos os avanços científicos e tecnológicos para melhorar a vida do nosso povo”, afirmou o Governador Siqueira Campos.

O secretário de Educação e Cultura, Danilo de Melo, também destacou a relação entre déficit cognitivo e desnutrição, e que esta parceria irá contribuir para a redução de carências nutricionais nas populações vulneráveis. “Há um ganho em termos de resultado escolar, inclusive as crianças faltam menos, tem menos problemas de saúde e também apresentam melhor resultados nas avaliações”, enfatizou.


Arroz fortificado

A partir da doação de uma tonelada de grão fortificado pela PATH, será possível produzir cem toneladas de arroz fortificado no Estado. Sérgio Segal, presidente da instituição no Brasil, pontuou os benefícios à saúde nutricional das crianças tocantinenses. “A fome oculta não está associada apenas a diferença de renda, ela está espalhada em todo mundo. É uma questão de saúde pública, e ter o respaldo do governo do Tocantins de perceber a importância do processo de fortificação de alimentos, uma medida preconizada pela OMS, é o que nos deixa satisfeitos”, relatou.

De acordo com o secretário da Agricultura e Pecuária, Jaime Café, a intenção é expandir essa iniciativa para outros programas sociais do Estado. “Nós já estamos discutindo a possibilidade de que o pequeno produtor possa produzir esse arroz e ele ser comprado pela merenda escolar isso vai potencializar as cooperativas da agricultura familiar,” garantiu.  
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink