Uma análise da atual safra de inverno na região sul do Brasil

SAFRA DE INVERNO

Uma análise da atual safra de inverno na região sul do Brasil

Apesar da ocorrência de Oídio e dos riscos de ocorrência de Giberela, a expectativa de produtividade ainda se mantém boa
Por: -Aline Merladete
478 acessos

A safra 2019 de trigo no estado do Rio Grande do Sul foi marcada pela ocorrência severa e de forma generalizada de Oídio (Blumeria graminis f. sp. tritici) nas folhas, os meses de julho e agosto foram críticos para o manejo dessa doença no campo. O Elevagro fez uma análise completa da safra de inverno na região sul. 

A alta pressão de Oídio verificada nessa safra está relacionada a condição ambiental presente no período inicial do ciclo da cultura, quando as chuvas foram escassas e seguidas de 10 a 15 dias de estiagem, condição que favorece esse fungo. De maneira geral, os esporos do fungo não requerem molhamento foliar como estímulo para germinação e desenvolvimento inicial. Por isso que períodos mais secos, de pouca chuva, favorecem essa doença, pois não ocorre a remoção e lavagem do micélio do fungo, comparado a períodos com chuvas frequentes e pesadas. Além, disso a faixa de temperatura também foi favorável à ocorrência do oídio, ficando em torno de 15 a 22°C.

O manejo do Oídio exige atenção pois se as aplicações não ocorrerem de forma preventiva ou nos sintomas iniciais da doença, o controle pode ser prejudicado. Nesse cenário, produtos comerciais contendo triazóis de amplo espectro (difenoconazol, tebuconazol, metconazol e protioconazol) e morfolinas destacaram-se com bons resultados de controle. Entretanto, em áreas onde a severidade da doença atingiu níveis maiores, houve prejuízo da eficácia dos fungicidas e perda de tecido foliar no baixeiro das plantas.

A partir do mês de setembro as chuvas normalizaram e o desafio passa a ser a manutenção da qualidade dos grãos do trigo até a colheita, visto que nessa fase final da cultura a Giberela doença causada pelo fungo Fusarium graminearum e que ataca as espigas do trigo pode ocorrer. O controle da Giberela passa pelo posicionamento correto dos fungicidas, com a primeira aplicação focada nesse alvo na pré-emissão das espigas seguida de outra aplicação no florescimento pleno da cultura.

Apesar da ocorrência de Oídio e dos riscos de ocorrência de Giberela, a expectativa de produtividade ainda se mantém boa, pois o trigo é uma cultura importante para o sistema produtivo do Estado. Para mais informações, acesse elevagro.com e confira nossos conteúdos e cursos.

Sintomas avançados de Oídio nas folhas do trigo com formação de estruturas de sobrevivência (à esquerda) e com necrose do tecido foliar (à direita).

Giberela (Fusarium graminearum)


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink