Agronegócio

Uniderp realiza diagnóstico da ferrugem para produtores

O laboratório de Dourados (MS) começou a receber esta semana amostras de soja
Por: -Redação
6 acessos

Rádio Grande FM - O laboratório de Fitopatologia da Uniderp Dourados (MS) começou a receber esta semana amostras de soja para verificar a ocorrência de ferrugem asiática. O laboratório, que faz parte do curso de Agronomia da instituição, foi credenciado pela Embrapa Soja e passou a integrar oficialmente o Sistema de Alerta do Consórcio Antiferrugem. As amostras podem ser encaminhadas pelos produtores rurais ou responsável técnico, de segunda a sexta-feira, das 8 às 17 horas, no campus II, Rua Manoel Santiago, 1775.

Além de diagnosticar a ferrugem asiática, o laboratório de Fitopatologia irá atualizar o banco de dados do Sistema de Alerta, uma rede de comunicação gerenciada pela Embrapa Soja. O objetivo da rede é informar a assistência técnica pública e privada sobre problemas detectados durante a safra; orientar quanto a possíveis soluções; e captar, entre os agentes de transferência, como é o caso da Uniderp Dourados, informações sobre o desempenho da safra nas várias regiões produtoras.

Participam do Consórcio Antiferrugem pesquisadores de diferentes áreas de conhecimento em soja e agentes do sistema de transferência de tecnologia público e privado, que têm o papel de captar em suas comunidades demandas por informações junto à pesquisa. Os produtores podem receber gratuitamente o sistema de alerta por correio eletrônico ou visitar a página na internet www.cnpso.embrapa.br/alerta.

Diagnóstico:

Segundo a professora e engenheira agrônoma Ana Cristina Ceolin, que supervisionará os trabalhos no laboratório da Uniderp, cada amostra deve ter em média 20 folhas e o produtor deve informar dados importantes como: cultivar, data do plantio, estágio de desenvolvimento da lavoura, área plantada entre outras informações relevantes para o monitoramento da doença.

“Como é uma doença ainda pouco conhecida, o produtor rural precisa estar atento para as evidências, em caso de suspeita deve trazer amostras para análise. O diagnóstico correto de qual doença afeta a lavoura ajuda a o produtor a escolher o melhor tratamento, e assim diminuir os riscos de perdas”, afirmou Ana Cristina.

A coordenadora do curso de Agronomia, Alessandra Mayumi Alovisi, disse que a constatação antecipada da ferrugem possibilita ainda a redução do uso de produtos nocivos ao meio ambiente. “Ao participar do Sistema de Alerta, a Uniderp Dourados demonstra sua preocupação ambiental, contribui para solução de um problema da região, estende o conhecimento produzido na universidade a sociedade e oportuniza aos acadêmicos a prática de conceitos estudados nas aulas teóricas”, disse.

Para o acadêmico Ronílson Maciel, estagiário do laboratório de Fitopatologia, a experiência com a ferrugem asiática será um diferencial na formação profissional. “Como teremos conhecimento prático sobre o assunto, quando sairmos da faculdade teremos condições de atender melhor a demanda do mercado. Além disso, vamos analisar outras doenças da soja e estaremos em contato com o produtor rural”, afirmou.

A análise é realizada mediante a entrega de cinco quilos de alimentos não perecíveis no momento do envio da primeira amostra de cada produtor, os quais serão distribuídos, no final da safra, para entidades beneficentes. Informações pelo telefone (67) 3421-8100.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink