Universidade Positivo representa o Brasil no projeto europeu AWIN

Agronegócio

Universidade Positivo representa o Brasil no projeto europeu AWIN

Seis milhões de euros serão destinados para estudar e desenvolver métodos para o bem-estar animal
Por: -Janice
2910 acessos
Seis milhões de euros serão destinados para estudar e desenvolver métodos para o bem-estar animal

No início deste mês a Universidade Positivo juntou-se ao projeto europeu AWIN - Animal Welfare Indicators (Indicadores de Bem-Estar Animal). O AWIN é financiado pela União Europeia, terá duração de quatro anos e irá analisar e propor soluções que minimizem o sofrimento dos animais em criadouros. Além disso, oferecerá propostas e sistemas de aprendizagem sobre o tema.

A grande contribuição da Universidade Positivo para o projeto será o desenvolvimento de um sistema educacional virtual por meio do curso de Design – Projeto Visual. O papel da UP será criar o website, o web portal, recursos em 3D e objetos de aprendizagem (softwares aplicativos), que serão usados mundialmente para esclarecer sobre a redução do sofrimento em animais de produção, mais especificamente em cavalos, burros, perus, ovelhas e caprinos. Depois de pronto, ao final do projeto, em 2015, o sistema será aberto ao público em geral, sem restrições. “A Universidade Positivo faz parte deste grupo de pesquisa pela sua reconhecida capacidade em trabalhar com tecnologias educacionais, um importante componente do projeto”, salienta o coordenador do curso de Design – Projeto Visual, professor Renato Bertão.

Um grupo de professores, técnicos-funcionários e alunos-bolsistas remunerados, tanto do curso de Design – Projeto Visual como de outros, como Engenharia da Computação, farão parte do projeto e do desenvolvimento das ferramentas. Para desenvolver as ferramentas alunos e professores estudarão quais são as melhores maneiras, do ponto de vista gráfico-educacional, de atingir o público, para que a finalidade de aprendizagem do projeto seja atendida. “A participação da UP no AWIN é fruto de uma parceria de três anos com a Norwegian University of Life Sciences. Para este projeto a nossa experiência em tecnologia educacional é fundamental”, completa o professor Bertão.

Escolas internacionais como Universidade de Milão, Universidade de Cambridge, Universidade de Lisboa, Universidade de Indiana, entre outras, coordenadas pela Faculdade de Agricultura da Escócia, fazem parte do grupo de pesquisa. “Trata-se de uma elite mundial na área de pesquisa de ponta, com um valor nunca antes devotado ao tema: €$ 6 milhões. O projeto coloca a Universidade Positivo no mapa mundial de pesquisas avançadas”, afirma o professor Péricles Gomes, participante do projeto.

O lançamento do AWIN foi realizado na sede do projeto em Edimburgo, na Escócia, no Rosslin Institute – onde se fez a primeira clonagem animal.

As informações são da assessoria de imprensa da Universidade Positivo.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink