USDA reduz estimativa da safra de soja norte-americana

Agronegócio

USDA reduz estimativa da safra de soja norte-americana

O relatório de outubro do USDA trouxe novos números para a safra norte-americana de soja, reajustada para 70,7 milhões de toneladas
Por:
53 acessos

O relatório de outubro do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) trouxe novos números para a safra norte-americana de soja na safra 2007/08, reajustada para 70,7 milhões de toneladas frente às 71,3 milhões do relatório de setembro, registrando uma redução de 500 mil toneladas. Conseqüentemente, a projeção mundial foi reavaliada para 220,9 milhões de toneladas, os estoque mundiais foram estimados em 50,7 milhões de toneladas e o consumo mundial projetado em 233,3 milhões de toneladas. A relação estoque final consumo é de 21,7%.

Com relação ao Brasil, segundo maior produtor mundial, o USDA puxou para cima a produção de soja estimando em 62 milhões de toneladas, cerca de 1 milhão de toneladas a mais sobre a projeção de setembro (61 milhões de toneladas). As exportações brasileiras foram mantidas em 30,7 milhões de toneladas e estoques finais de 18,4 milhões de toneladas. As exportações do Brasil já representam 41% das exportações mundiais. Os Estados Unidos respondem por 35% e a Argentina por 14% das exportações mundiais.

Para a Argentina foram mantidas as projeções do relatório de setembro, à exceção do estoque final reajustado para 20,7 milhões de toneladas. As produções do Brasil e Argentina somam juntas 109 milhões de toneladas, e correspondem a 49% da produção mundial prevista. Os Estados Unidos respondem por 32% do total mundial. Os preços da soja assinalam tendência de permanecerem fortes, acima da média histórica de US$ 13,23/saca de 60 kg, com previsão para a temporada 2007/08 entre US$ 17,31 a US$ 19,51/saca de 60 kg.

Milho - Produtividade média norte-americana safra 2007/08 prevista em 9.768 kg/ha

O USDA revisou para baixo a produtividade da safra norte-americana de milho na safra 2007/08, passando de 9.699 kg/hectares para 9.768 kg/hectares. Já a produção norte-americana foi reavaliada para cima, passando de 338,0 milhões de toneladas para 338,3 milhões de toneladas. O estoque final previsto é de 50,7 milhões de toneladas e consumo de 261,4 milhões de toneladas. A relação estoque final/consumo final é de 19,4%.

A produção mundial de milho foi projetada em 768,9 milhões de toneladas (menor do que o previsto em setembro = 774,1 milhões de toneladas), consumo final de 763,6 milhões de toneladas e estoque final de 110,4 milhões de toneladas. Relação estoque final mundial/consumo mundial de 14,9%.

A China, segundo produtor mundial de milho, tem produção prevista em 143,0 milhões de toneladas, um volume três por cento inferior (quatro milhões de toneladas) do apontado no relatório de setembro (147,0 milhões de toneladas). Para a Argentina o relatório de outubro foi mantida a produção anterior de 22,5 milhões de toneladas. As exportações e o estoque final foram igualmente mantidos em 6,7 milhões de toneladas e 960 mil toneladas, respectivamente. Para o Brasil o USDA reajustou a estimativa de produção, passando de 51,0 milhões de toneladas para 50,0 milhões de toneladas. Preços para março/08 e maio/08 de US$ 8,52/saca 60 kg e US$ 8,76/saca de 60 kg.

Trigo - Estimativas menores para as safras norte-americana e mundial

O relatório de outubro reduziu as projeções de produção mundial de trigo em 5,6 milhões de toneladas, passando de 606,2 milhões de toneladas para 600,6 milhões de toneladas, resultante dos problemas climáticos observados na América do Norte e na Europa (Estados Unidos, Austrália e União Européia).

O consumo mundial tem estimativa de 616,2 milhões de toneladas, exportações de 105,6 milhões de toneladas e um estoque final menor, de 112,3 milhões de toneladas para 106,9 milhões de toneladas. Relação estoque final/consumo mundial de 17,3 %.

Os Estados Unidos têm produção prevista em 56,2 milhões de toneladas contra 57,5 milhões de toneladas do relatório de setembro; consumo interno de 31,3 milhões de toneladas; exportações de 31,3 milhões de toneladas e estoque final de 8,3 milhões de toneladas. Relação estoque final/consumo de 26,7%. A Austrália teve sua produção revisada de 21,0 milhões de toneladas para 13,5 milhões de toneladas.

Para a Argentina o USDA reavaliou para cima a produção, passando de 14,0 milhões de toneladas para 14,5 milhões de toneladas, bem como as exportações que passaram de 9,0 milhões de toneladas para 9,5 milhões de toneladas. As informações são da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep).


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink