USDA revisa para cima produção mundial de soja e milho
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,156 (0,78%)
| Dólar (compra) R$ 5,59 (-0,36%)

Imagem: Marcel Oliveira

NÚMEROS

USDA revisa para cima produção mundial de soja e milho

Para o Brasil, o Departamento manteve a produção de soja em 131 milhões de toneladas
Por: -Leonardo Gottems
2797 acessos

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou seu novo relatório de oferta e demanda de produtos agrícolas comparando com o mês anterior e revisou para cima a produção global tanto de soja quanto de milho, bem como os estoques finais. No caso da oleaginosa, a produção deve ser de 370,4 milhões de toneladas, contra 362,5 milhões do relatório anterior, com estoques fechando a 95,36 milhões contra 95,08 milhões de toneladas. Para o cereal, a produção deve subir de 1.16 bilhão para 1.17 bilhão de toneladas, com estoques em mais de 317 milhões de toneladas. 

Para o Brasil, o Departamento manteve a produção de soja em 131 milhões de toneladas, mas reduziu os estoques finais de 23,27 milhões para 19 milhões de toneladas e elevou as exportações de 83 para 84 milhões de toneladas. Os números do milho em solo brasileiros permaneceram inalterados, com produção fechando em 107 milhões de toneladas, estoques finais em 7,99 milhões e exportações em 38 milhões de toneladas. 

No caso dos Estados Unidos, a produção da soja deve aumentar de 112,4 milhões para 120,4 milhões de toneladas, assim como os estoques, de 11,5 para 16,6 milhões de toneladas e as exportações, de 55,7 milhões para 57,8 milhões de toneladas. A produção de milho norte-americana deve crescer de 381 para 388 milhões de toneladas, com estoques passando de 67,2 milhões para 70 milhões de toneladas e exportações subindo de 54,6 para 56,5 milhões de toneladas. 

Para a vizinha Argentina, a produção de soja foi estacionada em 53,5 milhões de toneladas, mas os estoques finais foram reduzidos de 26,4 milhões para 25,5 milhões de toneladas e as exportações foram revisadas para cima de 6,5 milhões para 7,5 milhões de toneladas. No caso do milho, as projeções indicam que a Argentina deve produzir 50 milhões de toneladas, exportar 34 milhões e manter em estoque 2,88 milhões de toneladas. 

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink