Agronegócio

Usinas aproveitam co-geração e lucram com créditos de carbono

O Brasil tem atraído investidores nacionais e estrangeiros para negócios de co-geração de energia
Por: -Bettina Barros e Mônica Scaramuzzo
80 acessos
Segundo país em número de projetos para comercialização de créditos de carbono depois da Índia, o Brasil tem atraído investidores nacionais e estrangeiros para negócios em um ramo específico do agronegócio: a co-geração de energia a partir da biomassa. O segmento já representa a maior parte dos projetos brasileiros nesse mercado, e estima-se que seu potencial de redução de emissões alcance 2,486 milhões de toneladas de carbono no país por ano.


A co-geração com biomassa é a base de nada menos que 51 dos 138 projetos já aprovados pelas autoridades brasileiras e apenas à espera do sinal verde da ONU para o início das negociações, conforme os dados mais recentes. Destes 51 projetos, 23 referem-se exclusivamente a usinas de açúcar e álcool que tradicionalmente fazem a co-geração a partir do bagaço da cana. Outros quatro estão em fase de revisão porque apresentaram alguma inconsistência técnica.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink