Uso de biorreguladores minimiza os efeitos do estresse nas plantas
CI
Agronegócio

Uso de biorreguladores minimiza os efeitos do estresse nas plantas

Estudo mostra s benefícios do biorregulador no desenvolvimento da soja
Por:
Os fatores ambientais são as principais causas de estresse no meio agrícola. A falta ou excesso de água, luminosidade e nutrientes adequados ao solo, além dos ataques de pragas e doenças, como fungos, vírus e bactérias são responsáveis por reduzir ou aumentar a produtividade e a viabilidade econômica das culturas. Dentre os fatores estressantes, a falta de chuva na maior parte do País tende a prejudicar o desenvolvimento da soja, já que para a obtenção do rendimento máximo, esta cultura necessita de água durante todo o clico. Com o tempo seco e a baixa umidade relativa do ar, os níveis de umidade do solo diminuem levando a planta ao estresse hídrico.

Para combater ou minimizar os efeitos do estresse, muitas ações podem ser tomadas dependendo da causa específica. O professor da UNOESTE Gustavo Maia explica que a primeira providência deve ser cessar a causa do estresse. “É preciso irrigar plantas que estão desidratadas, aplicar defensivo em plantas doentes ou fertilizantes nas que apresentam deficiência nutricional”, exemplifica. No entanto, o professor ressalta que bioreguladores tem se mostrado uma alternativa bastante efetiva, pois atuam em processos fundamentais para a sobrevivência e a manutenção do bom estado da planta, podendo amenizar os danos causados pelo estresse.

Quando a planta é afetada por algum estresse, acaba utilizando grande parte da energia, refletindo na redução do crescimento, desenvolvimento e produção. “O uso do Stimulate, produto consolidado no mercado pela Stoller foi utilizado no estudo e contribuiu de forma significativa para reduzir em mais de 20% as perdas de produção em ambientes com deficiência hídrica. Tal efeito se dá por uma influência positiva no processo fotossintético”, explica.

O principal processo afetado é a fotossíntese, devido sua importância para a planta e para produtividade, já que esse processo é o responsável para o fornecimento de energia que mantém a vida e o acúmulo de biomassa de interesse econômico, além de garantir a energia para o reparo de danos causados por estresses. Durante o estudo notou-se que as plantas tratadas com Stimulate apresentam aumento de 34% no potencial fotossintético e 35% na atividade da enzima Rubisco, a qual participa desse importante processo para as plantas.

No estudo realizado, foi comprovado que a utilização do bioregulador proporcionou um efeito positivo nas taxas fotossintéticas em plantas submetidas a estresse, evidenciando seu papel como agente de combate ou amenização do estresse, podendo reverter parte das perdas de produtividade causadas pelo gasto de energia que a planta teria para combater o estresse. “Os resultados mostraram que as plantas supridas com o Stimulate tiveram uma recuperação significativamente melhor após a deficiência hídrica cessar”, conclui Maia.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink