Uso do leite no controle do oídio - Região Centro-Oeste/Sudeste
CI
Agronegócio

Uso do leite no controle do oídio - Região Centro-Oeste/Sudeste

Saiba como controlar a praga que ataca diferentes culturas de forma simples, barata e sem agredir o meio ambiente
Por:
Saiba como controlar a praga que ataca diferentes culturas de forma simples, barata e sem agredir o meio ambiente

Uma mistura de 5% de leite de vaca cru e 95% de água está sendo utilizada para controlar o oídio – doença que ataca diversas culturas, causando a morte das plantas e prejuízos aos agricultores.

A afirmação é do pesquisador da Embrapa Meio Ambiente (Jaguariúna, SP), Wagner Bettiol, que desenvolveu o método e o testou principalmente em pepino e abobrinha, com controle de praticamente 100% da doença.

O oídio é causado por um fungo chamado Sphaerotheca fugilinea, que se parece com um pó branco nas folhas de variadas culturas (pepino, abobrinha, pimentão, tomate, melão, melancia, uva, soja, feijão, eucalipto, caju, manga etc). Segundo ele, este pó impede que a planta realize normalmente a fotossíntese, o que ocasiona uma menor produtividade. Além disso, “os fungicidas químicos indicados para o combate ao oídio são caros. Com a mistura se gasta praticamente metade do que o agricultor costuma gastar com fungicida, com redução de 25 a 30% do custo”, diz ele.

A solução é também totalmente inócua ao meio ambiente e ao aplicador, não causando nenhum impacto ambiental, o que não se pode dizer o mesmo dos fungicidas utilizados para o controle da doença.

Bettiol concluiu que a alternativa é eficaz, após testar várias dosagens, inclusive leite puro. Ele explica que para uma solução de 100 litros, por exemplo, são necessários 95 litros de água e 5 litros de leite, que devem ser aplicados desde o início do plantio. “A mistura deve ser utilizada nas plantas pelo menos uma vez por semana, desde o início da ocorrência da doença”, ensina ele.

O pesquisador testou também o produto em outras variedades de plantas cultivadas, já que o oídio ocorre também em culturas importantes, como feijão, soja e trigo. Bettiol agora pretende identificar a substância do leite que seria o princípio ativo da solução que combate o fungo. O método já vem sendo testado também em campo, pois muitos chacareiros que plantam hortaliças e legumes no chamado cinturão verde da Grande São Paulo estão usando a solução de leite cru para controlar o oídio. Em Jaguariúna também há vários agricultores utilizando a mistura.

Responsável: Eliana Lima
Unidade: Embrapa Meio Ambiente
 
 

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.