Vacina contra gripe de aves já está sendo testada
CI
Agronegócio

Vacina contra gripe de aves já está sendo testada

Por:

Os pesquisadores da área médica poderão dar início à produção em massa, dentro de quatro meses, de uma vacina contra a gripe de aves, que contaminou pessoas no Vietnã, matando cinco, disse ontem Dick Thompson, porta-voz da Organização Mundial de Saúde (OMS), órgão da ONU.

Um rápido início da produção depende da eficácia das vacinas experimentais geneticamente modificadas desenvolvidas em Londres e em Memphis, no estado norte-americano de Tennessee, e da aprovação das autoridades regulamentadoras, disse Thompson, de Genebra (Suíça).

"A vacina tem de provocar uma reação do sistema imunológico dos seres humanos sem matar os frangos, porque a vacina antigripe é desenvolvida em ovos", disse Thompson. "Se a vacina não puder ser desenvolvida em ovos, vai levar muito mais tempo."

As autoridades da área de saúde pública querem uma vacina disponível para o caso de as pessoas começarem a pegar a gripe de aves umas das outras, em vez de diretamente dos frangos. As pessoas não têm imunidade contra a gripe de aves, que tem potencial para matar muitas mais do que as 744 que morreram de Síndrome Aguda Respiratória Grave (Sars, pela sigla em inglês), revelou o órgão da ONU.Milhões de frangos morreram ao serem contaminados pela variedade H5N1 do vírus de gripe de aves, ou foram sacrificados na Coréia do Sul, Vietnã e Japão para evitar sua disseminação. De doze casos humanos notificados no Vietnã, a OMC confirmou cinco, todos fatais. "A pandemia de gripe se disseminou rapidamente pelo mundo, causando alta mortalidade e atingindo todas as faixas etárias", informou o órgão num comunicado divulgado terça-feira. "A pandemia mais grave do século anterior, em 1918-19, chamada gripe espanhola, matou cerca de 50 milhões de pessoas."

Considera-se que a gripe de aves migrou pela primeira vez para seres humanos em Hong Cong, onde matou seis de 18 pacientes em 1997 e um dentre os dois contaminados no ano passado. As vacinas que estão sendo avaliadas para produção em massa foram elaboradas com base no vírus de 2003, afirma o comunicado.

A OMC está produzindo "criatórios" de vírus, para serem enviados para fabricantes de vacinas dentro de quatro semanas, informa o comunicado. Quatro semanas depois poderão ser elaboradas vacinas suficientes para testes, desde que as vacinas experimentais mostrem eficácia. A produção em massa poderá começar oito semanas depois.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink