Vacinação em Monte Alegre (PA) vai superar índices da última campanha

Agronegócio

Vacinação em Monte Alegre (PA) vai superar índices da última campanha

Por:
1 acessos

O lançamento realizado ontem (28-11) do projeto piloto de educação sanitária Brasil Livre de Febre Aftosa no município paraense de Monte Alegre reforçou o otimismo das autoridades e produtores rurais em relação aos percentuais de imunização a serem alcançados na campanha iniciada dia 1º último. Segundo o presidente da Associação de Criadores de Monte Alegre, Isaias França, 85% do rebanho municipal de 220 mil cabeças, serão vacinados até o dia 15 de dezembro, prazo de conclusão da segunda etapa da vacinação deste ano em todo o Estado.

O município, que em junho último registrou um foco de aftosa na Fazenda São Francisco, já havia vacinado, até ontem, mais de 104 mil cabeças. Atuando em parceria com o Ministério da Agricultura e com a Agência de Defesa Sanitária do Pará (Adepará), o presidente da Associação de Criadores de Monte Alegre, explica que a prorrogação da vacina se deu em razão de problemas na distribuição do produto, em alguns municípios de difícil acesso.

Além do isolamento da propriedade e do abate de todo o rebanho (161 animais), outras medidas foram tomadas, como a ampliação da equipe da Adepará no município, que agora conta com um veterinário, um agrônomo, três técnicos em agropecuária e três auxiliares administrativos. Além disso, a unidade já treinou 10 cadastradores com GPS para realizarem o levantamento de todas as propriedades do município, hoje estimadas em 4 mil.

“A procura por vacinas e o interesse pela campanha aumentou bastante de maio para cá”, afirma a veterinária Flávia Rodrigues, da unidade da Adepará em Monte Alegre. As expectativas para esta campanha são as melhores, observa Flávia explicando que o foco “despertou muito o interesse por informações. Por isso, além do atendimento prestado na unidade da Adepará e na zona rural, estamos usando as emissoras de rádio na educação sanitária.

Com 1,5 milhão de cabeças, distribuídas em 13 municípios, as regiões do Baixo e Médio Amazonas apresentam alto risco para aftosa. ”Este status deve melhorar já em 2005 em conseqüência do conjunto de ações em curso na área de educação sanitária”, conclui Isaias França.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink