Valor financiado para cobrir custeio da soja 16/17 é de R$ 17,3 bi para Mato Grosso

Agronegócio

Valor financiado para cobrir custeio da soja 16/17 é de R$ 17,3 bi para Mato Grosso

A semeadura da soja 2016/2017 caminha para o seu fim com um valor financiado para cobrir o seu custeio de R$ 17,37 bilhões
Por:
599 acessos

A semeadura da soja 2016/2017 caminha para o seu fim com um valor financiado para cobrir o seu custeio de R$ 17,37 bilhões. O volume é 7,47% superior ao desembolsado pelos sojicultores no ciclo 2015/2016. Segundo estudo da composição do "funding" do custeio para a safra 2016/2017 em Mato Grosso, os recursos próprios seguem como principal agente financiador da produção da oleaginosa no Estado, mesmo a participação no custeio ter caído de 40% 33% de um ciclo para o outro.

O plantio da soja 2016/2017 atingiu na última semana 99,31% dos 9,368 milhões de hectares destinados para o ciclo. Levantamento do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) revela que apenas as regiões Nordeste (96,40%), Norte (99,75%) e Sudeste (99,58%) seguem com os trabalhos no Estado.

O estudo do "funding", realizado pelo Imea, mostra que dos R$ 17,37 bilhões a serem financiados para cobrir o custeio desta safra R$ 5,69 bilhões (33%) são recursos próprios dos produtores, enquanto R$ 4,21 bilhões (24%) são provenientes de multinacionais de agroquímicos e grãos, R$ 2,89 bilhões (17%) de bancos com recursos federais, R$ 2,08 bilhões (12%) proveniente do sistema financeiro e R$ 2,48 bilhões (14%) de revendas.

O levantamento mostra que a participação das multinacionais de agroquímicos e grãos como agente financeiro saltou de 17% para 24%, assim como a do sistema financeiro de 11% para 12% e de bancos com recursos federais de 15% para 17%. Em contrapartida, a participação das revendas caiu de 17% para 14% e no que tange o uso de recursos próprios dos produtores de 40% para 33%.

O Imea explica que o "funding" da soja em Mato Grosso "é obtido pela área total da soja no Estado vezes o custo com os insumos da lavoura na safra 2016/17. Assim, é possível obter os percentuais de participação de cada agente de mercado".

Ainda de acordo com o estudo, "A baixa produtividade da soja e do milho (segunda safra) da safra 15/16 é um dos fatores que explicam as mudanças ocorridas no funding da safra 16/17, sobretudo, com relação a redução na utilização de recursos próprios".

A perspectiva pé que sejam colhidas neste ciclo 29,89 milhões de toneladas. Um incremento de 7,5% em relação as 27,811 milhões de toneladas colhidas na safra 2015/2016. O custo médio de produção por hectare em Mato Grosso ficou em R$ 3.188,64.

Comercialização

Conforme acompanhamento de comercialização apresentado pelo Imea, os sojicultores estão "cautelosos" na hora de vender o grão antecipadamente. Até novembro 36,3% das 29,89 milhões de toneladas previstas para colher haviam sido comercializadas. 

Ao se comparar com as vendas do ciclo 15/16 há um recuo a comercialização do atual ciclo significa 16,85 pontos percentuais a menos que os 53,1% travados com antecedência nesta época em 2015.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink