Vinhedo/RS quer se tornar referência em vinho

Agronegócio

Vinhedo/RS quer se tornar referência em vinho

Prefeitura estuda projeto para isentar os produtores de uvas especiais de impostos municipais
Por:
303 acessos

Aproveitar a fama de pólo produtor de uva para se tornar referência na produção de vinho do Brasil. Essa é a intenção do prefeito Milton Serafim (PTB) para Vinhedo. A prefeitura realiza um estudo para isentar de impostos municipais os novos produtores de uvas especiais para vinho da cidade. "Quero que pequenas glebas possam se transformar em áreas de plantio de uvas com maior qualidade. Devemos pensar na produção do vinho como alternativa para aumentar as riquezas dos cidadãos e do município" , afirma Serafim.

O prefeito participou ontem do início da colheita da uva Shiraz, no bairro Buracão. O trabalho realizado no inverno favorece a produção de vinhos finos de qualidade. "Escolhemos a data por causa da amplitude térmica, em que os dias são quentes e as noites são frias. Este é o clima ideal para a colheita da segunda maturação do parreiral" , afirma Adilson Amatto, presidente da Associação dos Vitivinicultores de Vinhedo (Avivi), explicando que o clima se assemelha às condições das melhores regiões produtoras de vinho no mundo. "A concentração do açúcar agora favorece a produção de um vinho excelente, comparado aos vinhos produzidos no Sul da França, como Toulouse e Bordeaux" , afirma Amatto.

O sítio do Pouso, de propriedade de Antonio José Benvegnú, mais conhecido como Zé da Pinta, foi escolhida pelo Instituto Agronômico de Campinas (IAC) para dar início a uma pesquisa com duas estações meteorológicas automáticas, instaladas dentro do parreiral, para monitorar as condições microclimáticas dentro e fora da cobertura. "Nesta semana a produção ultrapassou a marca dos 180 dias após a poda. Para a produção de vinho, o mínimo de tempo do cultivo é 170 dias" , explica Zé da Pinta.

Projeto

O prefeito de Vinhedo estuda medidas para fortalecer a produção de vinhos de qualidade na cidade. "A produção do vinho de mesa é boa em Vinhedo. Mas queremos investir em bebidas mais refinadas" , diz. Para isso, Serafim promete levar à Câmara Municipal um projeto para fortalecer a agricultura. "Estamos elaborando um projeto que vai criar um braço da agricultura dentro da Secretaria de Indústria e Comércio. Isso é importante para colocar o setor no orçamento municipal" , explica. "Uma vez dentro do orçamento, a prefeitura pode investir. Nós temos a ideia de adquirir as mudas e fornecer para a associação, que distribuirá entre os produtores" , avisa. A Avivi tem 20 produtores cadastrados atualmente.

A outra proposta atinge os pequenos produtores de áreas urbanas. "A partir do momento que a pessoa passe a cultivar a uva especial para a produção do vinho, desde que se credencie junto à prefeitura, a intenção é promover a isenção do IPTU" , garantiu o prefeito. Os proprietários rurais não são tributados pelo município e, por isso, não seriam atingidos pela proposta.

Região Sul tem tradição no cultivo

O cultivo da uva no Brasil ocorre em nove regiões. A mais tradicional é a Serra Gaúcha, no Rio Grande do Sul. No entanto, nem todas as regiões produtoras oferecem condições climáticas que favoreçam a produção do vinho fino, bebida caracterizado pela fermentação alcoólica de uvas europeias da especie Vitis vinifera, diferentes do vinho comum, produzido com uvas americanas, da espécie Vitis labrusca, ou com uvas híbridas, produzidas após manipulação genética das duas espécies.

A uva Shiraz (ou Syrah, em francês) é uma das variedades mais plantadas no mundo. De origem francesa, ela se adaptou muito bem ao clima de Vinhedo. De acordo com o presidente da Associação dos Vitivinicultores de Vinhedo, Adilson Amatto, a fruta garante vinhos encorpados, de grande estrutura e capacidade de envelhecimento. "Os bons exemplares de Shiraz tendem a trazer consigo uma certa dose de mineralidade, fruta intensa e uma marca muito própria de especiarias com uma certa alusão a pimenta, gerando um final de boca algo picante" , explica.

Na plantação do Sítio do Pouso, que serve como experimento para a colheita no inverno, será utilizada uma levedura importada da Austrália, própria para a uva Shiraz. O resultado final da qualidade do vinho só será conhecido no fim do ano.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink