Visão agrícola lança edição sobre aquicultura
CI
Agronegócio

Visão agrícola lança edição sobre aquicultura

Publicação é editada pela USP/ESALQ
Por:
Atualmente, é comum encontrar nas redes de supermercados, em feiras livres e outros meios de comercialização o pescado proveniente da aquicultura. Esta representa uma atividade produtiva que vem crescendo no País, principalmente nas regiões Norte e Centro-Oeste. Mas, como crescer mais em níveis sustentáveis e como alcançar o status de outras cadeias de produção animal? Como aproveitar o crescimento do mercado interno a partir do aumento da qualidade de vida e do consumo das famílias brasileiras para estimular a produção nacional de pescado, e não as importações?

Na 11ª edição da Visão Agrícola, cujo tema é Aquicultura, essas e outras questões sobre o setor poderão ser esclarecidas por meio de entrevistas ou artigos publicados por pesquisadores. A publicação técnico-científica destinada ao setor produtivo é editada pela Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (USP/ESALQ).

O diretor da instituição, José Vicente Caixeta Filho ressalta, em seu editorial, que como já vem sendo observado em diversos países que detêm uma clara e bem definida orla marítima, assim como um sistema fluvial extenso e bem capilarizado, o segmento brasileiro de pesca começa a ser tratado de forma destacada (e integrada à agricultura) por nossas lideranças políticas (autoridades federais, em particular), de tal maneira que um ministério ou mesmo uma secretaria (com status de ministério) especializados passam a ser agentes fundamentais para a aceleração do crescimento desse ambiente.

Além do Editorial, o Fórum, onde se encontra o artigo “A importância da pesquisa para o desenvolvimento da cadeia produtiva da aquicultura”, de autoria de Eric Arthur Bastos Routledge e colaboradores, compõem as duas sessões iniciais da revista. As reportagens trazem para o leitor os assuntos: Para atingir seu potencial, setor do pescado deve ser prioridade; Extração marinha almeja mais qualidade do que quantidade; e Aquabrasil fez melhoramento de espécies prioritárias por regiões.

Demais artigos estão separados nas sessões que falam sobre potenciais do setor, segmentos da aquicultura, meio ambiente, genética e reprodução, nutrição, sanidade e qualidade, processamento, mercado e consumo, sustentabilidade e, finalmente, inovações tecnológicas.

Entre as instituições convidadas a publicar na revista encontram-se a Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta) / Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Centro de Aquicultura da Universidade Estadual Paulista “Julio Mesquita Filho” (Caunesp), Unidades da Embrapa, Centro Universitário da Fundação Educacional de Barretos (Unifeb), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA), Universidade de Mogi das Cruzes (UMC), Universidade Estadual de Maringá (UEM), Universidades Federais de Pernambuco, Santa Catarina, Santa Maria, Amazonas, Ceará, Mato Grosso, Paraná, Rio Grande do Sul e outras.

O editor responsável da revista é Luiz Gustavo Nussio, do Departamento de Zootecnia (LZT), e as coordenadoras dessa edição foram Marília Oetterer e Juliana Antunes Galvão, respectivamente docente e pesquisadora do Departamento de Agroindústria, Alimentos e Nutrição (LAN).


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.