Broca das mirtáceas (Timocratica palpalis)
CI

Broca das mirtáceas

(Timocratica palpalis)

Culturas Afetadas: Pitanga

A praga apresenta ocorrência generalizada no Brasil. O adulto apresenta coloração branca, com região central amarelada, medindo aproximadamente 40 mm de comprimento. A postura é feita nos galhos e troncos, sendo que a lagarta apresenta coloração violeta-amarelada e mede cerca de 30 mm no último instar.

Danos: As larvas broqueiam os ramos e tronco, sendo que o orifício de entrada é coberto com teia e excrementos. A abertura de galerias nos ramos e no tronco pelas larvas depreciando a madeira. As fêmeas ovopositam no exterior dos galhos, na base das folhas e dos frutos, junto aos pecíolos. As lagartas, após a eclosão, começam a roer a casca dos galhos, ou do fruto, até atingir o interior, onde fazem galerias. Recobrem a parte comida com uma camada de teia, excrementos e pedaços de casca. O pupamento ocorre dentro das galerias.

Controle:

Controle cultural: Deve-se evitar estocar toras e troncos no interior da floresta e nos pátios por mais de 30 dias, para evitar o ataque. Além disto, deve-se desdobrar e secar a madeira mais rapidamente possível, para matar os insetos presentes nela e reduzir os focos de disseminação. Promover a higiene florestal (retirada de árvores doentes, danificadas, resíduos de desbaste e roliços acima de 5 cm de diâmetro), visando reduzir a incidência do inseto na área.

Controle químico: Recomenda-se o uso de produtos defensivos registrados para a cultura.

Fotos

Produto Produto Empresa Ingrediente Ativo
Delegate Delegate Dow AgroSciences Espinetoram