Lagarta-enroladeira

(Bonagota salubricola)

Culturas Afetadas: Ameixa, Maçã, Todas

Sinonimo: Eulia salubricola

A lagarta-enroladeira da macieira é uma das pragas chave por danificar os frutos desde o início da frutificação até a colheita. No Brasil, a espécie está presente em toda a região Sul associada, principalmente, à cultura da macieira. Entretanto, devido ao seu hábito polífago, pode completar o ciclo biológico em ameixeira, pereira, nectarineira, pessegueiro, videira, álamo, trevo, serralha, hortênsia e roseira. A praga também ocorre na Argentina e no Uruguai. 

As lagartas apresentam cabeça escura e têm o restante do corpo de cor amarelo-clara. A coloração pode variar em função do tipo de alimento ingerido, mas, de forma geral, predomina uma tonalidade esverdeada. Os adultos são pequenas mariposas de cor cinza-escura, com manchas brancas irregulares no dorso das asas. Os adultos medem, aproximadamente, de 10 a 15 mm de envergadura e de 8 a 10 mm de comprimento, sendo as fêmeas maiores que os machos. Os adultos apresentam hábitos crepusculares, com atividades de migração, alimentação, acasalamento e postura concentrados durante o entardecer. 

Danos: As lagartas alojam-se na face inferior das folhas e, ao alimentarem-se, tecem uma espécie de túnel no sentido da nervura principal. No último ínstar, as lagartas recortam as folhas formando uma espécie de “pastel”, abrigando-se no seu interior para empupar. Os danos provocados pelo inseto podem ser observados tanto em folhas como em frutos, sendo que o ataque em folhas não ocasiona perda econômica. As lagartas constroem abrigos juntando folhas, fixando-as aos frutos e/ou abrigando-se entre estes (principalmente quando tem a frutificação em “cachopas”). O ataque nos frutos ocorre principalmente na região do cálice ou do pedúnculo e, ao rasparem a casca, depreciam comercialmente o fruto. 

Controle: Fazer monitoramento da presença do inseto. Este pode ser visual, observando-se as posturas nas folhas e as lagartas nos frutos, ou pelo registro de adultos em armadilhas de feromônio sexual. O controle químico deve ser feito através do uso de inseticidas específicos, registrados para a cultura.

Fotos

Deslize o dedo na tabela abaixo para movê-la horizontalmente