Faturamento da Expozebu deve chegar a R$ 46,5 milhões

Agronegócio

Faturamento da Expozebu deve chegar a R$ 46,5 milhões

As expectativas mais cautelosas em relação à economia nacional farão com que o faturamento da 82ª ExpoZebu fique em torno de R$ 46,5 milhões.
Por:
300 acessos

As expectativas mais cautelosas em relação à economia nacional farão com que o faturamento gerado durante a 82ª edição da Exposição Internacional das Raças Zebuínas (ExpoZebu) fique próximo ao registrado no ano anterior, que foi em torno de R$ 46,5 milhões. A feira, que é organizada pela ABCZ (Associação Brasileira dos Criadores de Zebu) acontece entre os dias 30 de abril e 7 de maio, no Parque Fernando Costa, em Uberaba, no Triângulo Mineiro.

De acordo com a diretora da ABCZ, Leda Garcia de Souza, o tema adotado neste ano será “Genética capaz de mudar”. O investimento na melhoria do rebanho é considerado fundamental para que a pecuária brasileira continue sendo referência em qualidade, sanidade e sustentabilidade.

“A genética é o fundamento básico para ocuparmos uma posição avançada na produção pecuária. O Brasil é considerado o celeiro do mundo na produção de proteína animal, e isto só foi possível pelos investimentos em genética e pela adaptação da raça Zebu no País. Durante o evento, os pecuaristas poderão conhecer os melhores exemplares das raças participantes, o programa de melhoria genética da associação e também novas tecnologias para que a pecuária avance com qualidade e sustentabilidade”, explicou Leda.

Priorizando a produção eficiente, será lançado durante a Expozebu o projeto Equação da Pecuária Eficiente, programa que se baseia no tripé básico da produção animal: saúde, nutrição e genética.

“O projeto permite ao pecuarista produzir uma boiada padronizada que atenda à cadeia como um todo, valorizando o produtor e levando um produto de qualidade até o consumidor”, explicou Leda.

A recepção dos exemplares das raças zebuínas que participarão da ExpoZebu já começou. Até o momento, já foram inscritos mais de 1,4 mil animais para os julgamentos. A expectativa da ABCZ é que aproximadamente 1,8 zebuínos das raças Brahman, Gir, Gir Mocha, Guzerá, Indubrasil, Nelore, Nelore Mocha, Sindi e Tabapuã participem do evento este ano.

Além dos tradicionais julgamentos, a ExpoZebu contará com uma nova modalidade, intitulada “Zebu a Campo”, em que os bovinos da pecuária extensiva serão julgados com critérios próprios. A ideia é atingir um número maior de criadores. Outra novidade é o ingresso da raça Guzolando no concurso leiteiro. Nesta edição, serão disponibilizadas 58 vagas para matrizes zebuínas de aptidão leiteira e Guzolando.

A Expozebu dinâmica, realizada na Estância Orestes Prata Tibery Júnior, começa no dia 4 de maio, e mostrará a importância da nutrição e diversificação para os criadores de bovinos. Além das forrageiras, os pecuaristas poderão avaliar o sistema de produção Integração Lavoura, Pecuária e Floresta (ILPF), desenvolvido pela Embrapa Cerrado (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, Unidade Cerrado).

“A programação da Expozebu dinâmica é ampla e os pecuaristas terão acesso a diversas palestras e poderão visitar os estandes dos principais fornecedores de máquinas, sementes e demais insumos utilizados na produção pecuária”, disse Leda.

Melhoramento genético eleva produtividade

A Epamig (Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais) informou que o seu tradicional leilão de Gir Leiteiro será realizado no próximo dia 4 de maio, às 10 horas, durante a Expozebu, no Campo Experimental Getúlio Vargas, em Uberaba. Serão leiloadas 30 fêmeas de alto valor genético.

As vacas e novilhas são fruto de mais de 60 anos de avaliações zootécnicas criteriosas para produção de leite, rusticidade, fertilidade e comportamento. De acordo com o pesquisador da Epamig, Leonardo Fernandes, a empresa produz e disponibiliza genética adaptada às condições tropicais. “O produtor recebe este material genético e consegue índices ainda superiores aos observados pela Epamig, pois realiza manejo com maior investimento”, explica.

O rebanho Gir Leiteiro da Epamig, em Uberaba, foi formado em 1948 e tem a tradição de ser o segundo mais antigo plantel da raça no Brasil. O trabalho desenvolvido pela empresa procurou atender à demanda pela produção econômica de leite e reprodutores de alto valor genético, compatíveis com as condições adversas de clima e manejo do País.

O resultado pode ser confirmado em animais com genética superior para leite, comprovada por provas zootécnicas, que contribuem para melhoria dos índices da pecuária leiteira nacional e internacional.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink