Bula Amanzi

CI
Bacillus amyloliquefaciens isolado CBMAI 1301
21721
Agrobiológica Sustentabilidade

Composição

Bacillus amyloliquefaciens isolado CBMAI 1301 0,0032 g/L

Classificação

Terrestre/Aérea
Fungicida microbiológico
5 - Produto Improvável de Causar Dano Agudo
IV - Produto pouco perigoso ao meio ambiente
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Fungicida microbiológico

Tipo: Saco
Material: Plástico
Capacidade: 1 - 20 L

Tipo: Frasco
Material: Plástico
Capacidade: 0,25 - 5 L

Tipo: Bombona
Material: Plástico
Capacidade: 5 - 1000 L

Tipo: Tambor
Material: Plástico
Capacidade: 200 L

Tipo: IBC
Material: Plástico
Capacidade: 975 - 1000 L.

INSTRUÇÕES DE USO

O produto é um herbicida de ação seletiva para ser usado em pré e pósemergência, no controle de plantas daninhas que infestam a cultura do milho.

Milho

Nos cultivos de híbridos duplos comerciais e nos sistemas de plantio convencional e plantio direto;

MODO DE APLICAÇÃO

Aplicação na pré-emergência

Preparo do solo

Culturas do Milho

O solo deve estar bem preparado, livre de torrões e restos de culturas, condições estas ideais para a aplicação do herbicida;

Sistema de plantio direto

Aplicar somente após a operação de manejo visando a completa dessecação das plantas daninhas.

Umidade do solo

O solo deve estar úmido durante a aplicação. Não aplicar o herbicida com o solo seco, pois seu funcionamento poderá vir a ser comprometido. Nas regiões que se caracterizam pelo inverno seco, sua utilização deve ser iniciada após a normalização do regime de chuvas, e deve se evitar aplicações nos plantios precoces das culturas, com o solo na fase de reposição hídrica. O pleno funcionamento do produto poderá vir a ser comprometido na eventual falta de chuvas após a aplicação. A ocorrência de chuvas normais após aplicado ou a irrigação da área tratada promove a rápida incorporação do produto na camada superficial favorecendo sua pronta atividade.

Vento

Evitar aplicações com ventos superiores a 10 km/h.

Aplicação na pós-emergência Plantas daninhas e o seu estádio de controle

Para assegurar pleno controle das plantas daninhas na pós-emergência, deve-se observar rigorosamente as espécies recomendadas, e os respectivos estádios de desenvolvimento indicados.

Influência de fatores ambientais

Umidade do ar

Aplicar com umidade do ar (Umidade Relativa - UR) superior a 60%.

Horário de aplicação

Recomenda-se aplicar de preferência pela manhã até ás 10:00 horas ou à tarde, a partir dás 16:00 horas quando as condições climáticas são as mais favoráveis para atividade pósemergente, principalmente pela maior UR do ar.

Orvalho/chuvas

Evitar aplicações sobre plantas excessivamente molhadas pela ação da chuva ou orvalho muito forte.

Umidade do solo

O solo deve estar úmido durante a aplicação. Não aplicar com solo seco, principalmente se antecedeu um período de estiagem prolongado que predispõe as plantas daninhas ao estado de estresse por deficiência hídrica, comprometendo o controle.

PREPARO DA CALDA

Para o preparo da calda para a pulverização, despejar a quantidade pré-determinada do produto diretamente no tanque do pulverizador parcialmente cheio, e em seguida, completar o volume com o sistema de agitação em funcionamento.

Uso de adjuvantes/espalhantes nas aplicações pós-emergentes

- A maior eficiência no controle pós- emergente das plantas daninhas é obtido com adição de espalhantes adesivos não iônicos (Extravon) ou óleos minerais ou óleos vegetais, nas doses indicadas pelos respectivos fabricantes.
- Quanto à adição de óleos minerais e óleos vegetais, no preparo da calda, proceder da seguinte forma: Colocar água até ¾ da capacidade do tanque. Acionar a agitação do pulverizador. Adicionar o óleo na quantidade recomendada. Aguardar a completa homogeneização do óleo na calda.
- Adicionar a quantidade indicada do produto.
- Completar o tanque com água.
- Quando da adição de espalhante adesivo, como o Extravon ou similar no preparo da calda, este deve ser adicionado como último componente com o tanque quase cheio e o sistema de agitação em funcionamento.

INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO

Aplicações terrestres

Pode ser aplicado com os equipamentos convencionais terrestres, pulverizadores costais, manual ou pressurizado e pulverizadores tratorizados, adaptados com barras, utilizando-se os bicos leques do tipo Teejet 80.02, 80.03, 80.04, 110.02, 110.03, 110.04 ou similares.
Em se tratando de aplicação de herbicidas, a pressão de trabalho da bomba deve girar em torno de 30-60 lb/pol² que produz gotas de tamanho médio a grande. Nas regiões com ventos acentuados, entre 10-14 km/h, as aplicações préemergentes poderão ser feitas com uso de bicos anti-deriva do tipo “FULLJET’, como OFL5, FL6.5 e FL8 com pressão de 20-25 lb/pol².

Aplicação aérea

O produto pode ser aplicado também através da aplicação aérea com a utilização de aviões e helicópteros.

Parâmetros para o avião Ipanema

Bicos - 80.10, 80.15, 80.20.

Altura do voo

3 a 4 metros.


Temperatura ambiente

até 27°C.

Umidade do ar

mínimo de 55%.


Velocidade do vento

máxima de 10 km/h.

Faixa de aplicação

15 metros

Diâmetro das gotas

- Pré-emergência das plantas daninhas: maior que 400 micras;
- Pós-emergência das plantas daninhas: 200 a 400 micras.

Obs.: Nas operações com aeronaves, atender às Normas da Portaria 009 de 23/03/83 da Secretaria Nacional de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura e do Abastecimento.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Aguardar o secamento por completo do produto sobre as áreas tratadas. Aguardar no mínimo 24 horas. Evitar que pessoas alheias ao trato com a cultura e também animais domésticos circulem pela área tratada.

LIMITAÇÕES DE USO/FITOTOXICIDADE

Fitotoxicidade para as culturas indicadas

Dentro das doses e nas condições indicadas para aplicação é seguro para as culturas recomendadas. O produto deve ser utilizado somente na cultura que está registrada, seguindo as instruções de uso aprovadas. Não aplicar o produto em dias de ventos fortes. Não aplicar o produto em solos mal preparados com torrões ou em solo seco. Se houver culturas vizinhas que forem sensíveis ao produto, aplique-o com bastante segurança e cuidado a fim de que o jato de pulverização do produto não atinja esta cultura. Agitar bem o produto antes de usá-lo. Em qualquer caso de dúvida, consulte o Engenheiro Agrônomo.

Milho

O produto é altamente seletivo às culturas de milho em qualquer estádio de desenvolvimento. A seletividade do produto ocorre através de mecanismos fisiológicos, particularmente as plantas de milho conseguem metabolizar a Atrazina em compostos não tóxicos após sua absorção.

LIMITAÇÕES DE USO

O herbicida não deve ser aplicado em solos mal preparados com torrões ou em solo seco.
O herbicida não deve ser recomendado para aplicação nas infestações predominantes de gramíneas como capim-colchão e capim-carrapicho, tanto em pré como na pós-emergência.
INSTRUÇÕES DE USO DO PRODUTO

O produto é indicado para controle da praga Colletotrichum lindemuthianum (antracnose), cuja eficiência foi comprovada para a cultura do feijão, e Colletotrichum gloeosporioides (antracnose), cuja eficiência foi comprovada para a cultura do pimentão. AMANZI pode ser aplicado em qualquer cultura com ocorrência dos alvos biológicos.

MODO DE APLICAÇÃO

Utilizar os equipamentos de proteção individual (EPI’s) recomendados para o preparo da calda e aplicação do produto. A escolha dos equipamentos de aplicação deve ser adequada a fim de proporcionar uma cobertura uniforme das culturas tomando-se o cuidado de evitar a deriva e perdas do produto por evaporação. AMANZI deve ser aplicado na forma líquida, por meio de pulverizadores de barra (tratorizados) e costal (manual ou motorizado), ou por meio de aeronaves. Aplicação Terrestre: pode ser realizado através de pulverizadores costais (manuais ou motorizados) ou tratorizado, equipados com pontas capazes de reduzir a perda por deriva e promover uma cobertura homogênea sobre a cultura. Aplicação Aérea: recomenda-se a aplicação por meio de aeronaves agrícolas equipadas com pontas apropriadas para o tipo de aplicação (conforme recomendações do fabricante), utilizando um volume de calda entre 30 a 50 L/ha. É indicado o fechamento de bicos nas pontas das asas para evitar perdas por influência dos vórtices. Evitar aplicações com velocidade do vento inferior a 3 Km/h devido ao fenômeno da inversão térmica. Recomenda-se aplicar nas horas mais frescas do dia, preferencialmente no início da manhã ou final da tarde.

Condições climáticas recomendadas durante a pulverização

- Umidade relativa do ar acima de 55%;
- Temperatura abaixo de 37ºC;
- Velocidade do vento entre 3 a 10 Km/h.

Preparo da calda

Antes de iniciar o preparo da calda, limpar muito bem o tanque/bicos de pulverização para eliminar possíveis resíduos de inseticidas, herbicidas ou fungicidas químicos, que possam danificar o ingrediente ativo biológico. A diluição do produto deve ser realizada preenchendo-se cerca de 2/3 do volume total do tanque com água, de acordo com o volume de calda calculado para aplicação. Após, a quantidade pré-determinada do produto é adicionada ao tanque. O tanque é preenchido com o volume restante de água, até o volume necessário para a calda que se deseja preparar. A calda deve permanecer em agitação para homogeneidade do ingrediente ativo.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite entrar antes desse período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados para o uso durante a aplicação.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado de doenças envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle. O uso de sementes sadias, rotação de culturas, época adequada de semeadura, adubação equilibrada, fungicidas, manejo da irrigação e outros, visam o melhor equilíbrio do sistema.

Não existem informações sobre o desenvolvimento de resistência de Bacillus amyloliquefaciens, isolado CBMAI 1301.

- Manter produto sob temperatura ambiente (19 à 21ºC);
- Estável por 12 meses.




Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.