Bula Ameris - Alta

Bula Ameris

Tebutiurom
5514
Alta

Composição

Tebutiurom 500 g/L

Classificação

Terrestre/Aérea
Herbicida
4 - Produto Pouco Tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Não seletivo, Sistêmico

Saco externo com ou sem saquinho interno hidrossoliivel - Plásticos - 0,10; 0,20; 0,25; 0,50; 1,0; 2,0; 2,5; 5,0; 10; 15; 20, 25 e 50 L

Frasco - Plástico - 0,10; 0,20; 0,25; 0,50; 1,0; 2,0; 5,0; 10 e 20 L

Tambor - Metálico ou de plástico - 20; 25; 50; 100; 150; 200 e 250 L

Container/Retornável - Metálico - 500; 1.000, 5.000; 10.000; 17.000; 18.000 e 20.000 L

Baldes/ bombonas - Plástico- 2,5; 5,0; 10; 15; 20 e 25 L

Caixa secundária (com ou sem saco hidrossolúvel) - Papelão - 5,0; 10; 15; 20; 25 e 50 Kg

INSTRUÇÕES DE USO

O Herbicida AMERIS é indicado para controle de plantas infestantes em pré-emergência na cultura da cana-de-açúcar nos tipos cana planta ou soca, podendo ser aplicado antes ou após a emergência da cultura.
CULTURAS:
O herbicida AMERIS é indicado para a cultura da cana-de-açúcar.

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO

AMERIS deve ser aplicado uma única vez durante o ciclo da cultura, sempre em pré-emergência das plantas infestantes, podendo a cultura estar em pré ou pós-emergência, desde que haja perfeita distribuição do herbicida no solo.

MODO E EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO

Quando aplicado em solo com boas condições de umidade, AMERIS age imediatamente no controle das plantas daninhas que iniciarem a germinação. Quando aplicado em solo seco, devido a grande ação residual, o produto permanecerá na superfície do solo, e assim que ocorrerem as primeiras chuvas irá atuar no controle das plantas daninhas que iniciarem a germinação. O produto deve ser aplicado após o plantio (em cana planta) ou depois do corte (em cana soca), em pré-emergência das plantas daninhas.
AMERIS pode ser aplicado por via aérea ou terrestre (manual ou tratorizada):

APLICAÇÃO AÉREA:
AMERIS pode ser aplicado via área através de aeronaves do tipo Air Tractor AT 401 B, equipada com barra contendo 22 pontas do tipo Spraying Systems D8, core 46, pressão de 200 kilopascal, proporcionando um volume de 40 L/ha de calda, densidade de 40 gotas/cm² e com diâmetro superior a 400 micra.
Limpeza dos equipamentos:
Para limpeza dos equipamentos de aplicação é recomendado uma primeira lavagem somente com água, posteriormente outra lavagem em solução de detergente adicionando 500 ml de detergente para cada 100 L de água e finalmente uma lavagem apenas com água.

APLICAÇÃO TERRESTRE:
AMERIS pode ser aplicado via terrestre através de pulverizador tratorizado de barra, equipados com pontas do tipo leque jato plano, nas series 8002 a 8004 ou 11002 a 11004, em volumes de calda de 150 a 400 L/ha ou conforme tabela indicada na bula.

CONDIÇÕES CLIMÁTICAS RECOMENDADAS

- Aplicação aérea:
Temperatura: < 30°C
Velocidade do vento: entre 2,0 km/h e 10 km/h
Umidade relativa: superior a 60%
- Aplicação terrestre:
Temperatura: < 30°C
Velocidade do vento: < 15 km/h
Umidade relativa: superior a 60%

INTERVALO DE SEGURANÇA

Cana-de-açúcar: Intervalo de segurança, não determinado devido à modalidade de emprego.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite entrar antes desse período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPI's) recomendados para o uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

- AMERIS deve ser aplicado somente na cultura da cana- de- açúcar;
- Não aplique o produto na presença de ventos com velocidade superior a 6,0 Km/h para não promover deriva para regiões vizinhas, prejudicando culturas sensíveis ao produto.
- Fitotoxicidade para a cultura registrada: ausente se aplicado de acordo com as recomendações.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

O uso continuado de herbicidas com o mesmo mecanismo de ação pode contribuir para o aumento de população de plantas daninhas a ele resistentes.
Como prática de manejo de resistência de plantas daninhas, deverão ser aplicados herbicidas, com diferentes mecanismos de ação, devidamente registrados para a cultura.
Não havendo produtos alternativos, recomenda-se a rotação de culturas que possibilite o uso de herbicidas com diferentes mecanismos de ação. Para maiores esclarecimentos, consulte um engenheiro agrônomo.