Bula Benforce - Iharabras

Bula Benforce

acessos
Benfuracarb
211
Iharabras

Composição

Benfuracarb 400 g/L Metilcarbamato de benzofuranila

Classificação

Inseticida
II - Altamente tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Concentrado Emulsionável (EC)
Sistêmico

Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Pulgão do algodoeiro
(Aphis gossypii)
400 a 500 mL p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha 20 a 30 L de calda/ha (aéreo) Repetindo as aplicações a cada 7 dias, realizando no máximo 2 aplicações. 7 dias. Aplicar quando for observada a presença dos primeiros pulgões (2% de infestação)

Conteúdo: 2; 5; 6; 10; 20; 50; 100 e 200 L.

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO:
Aplicar quando for observada a presença dos primeiros pulgões (2% de infestação), repetindo as aplicações a cada 7 dias caso seja necessário, utilizando-se volume de calda de 200 a 300 L/ha. Realizar no máximo 2 aplicações.


MODO DE APLICAÇÃO: “BENFORCE” deve ser aplicado em:
Pulverização Terrestre:
Utilizar-se de pulverizadores costais manuais ou motorizados ou de barra tratorizado com bicos cônicos com densidade de 30-40 gotas/cm2 e tamanho de gotículas de 250 micra.
Utilizando-se outros tipos de equipamentos, procurar obter uma cobertura uniforme da parte aérea das plantas, pulverizando de modo a atingir a praga.
Procurar fazer as aplicações nas horas mais frescas do dia.

Pulverização Aérea:
Uso de barra ou atomizador rotativo Micronair AU 3.000:
Volume de Aplicação - com barra ou Micronair: 20 - 30 L/ha.
Altura do vôo - com barra ou Micronair: 4 - 5 m do alvo desejado.
Largura da faixa de deposição efetiva: 15 m.
Tamanho/densidade de gotas: 100 - 200 micra com mínimo de 40 gotas/cm2.
No caso de barra, usar bicos cônicos pontas D6 a D12, disco (core) inferior a 45°.
Usando Micronair, o número de Atomizadores devem ser 4, onde para o ajuste do regulador de vazão (VRU), pressão e ângulo da pá, seguir a tabela sugerida pelo fabricante.

Condições climáticas:
O diâmetro de gotas deve ser ajustado para cada volume de aplicação (L/ha), para proporcionar a adequada densidade de gotas, obedecendo ventos de até 8 km/h, temperatura inferior à 27°C e Umidade Relativa acima de 70%, visando reduzir ao mínimo, perdas por deriva e evaporação.

O sistema de agitação do Produto no interior do tanque deve ser mantido em funcionamento durante toda a aplicação.
OBS.: Seguir as recomendações técnicas de aplicação e consultar sempre um Engenheiro Agrônomo.


INTERVALO DE SEGURANÇA:
Algodão: 7 dias.

No caso de contato com o produto, procure logo um serviço médico de emergência levando a embalagem, rótulo, bula e/ou receituário agronômico do produto.
* Ingestão: Se engolir o produto, não provoque vômito. Caso o vômito ocorra naturalmente deite a pessoa de lado. Não dê nada para beber ou comer.
* Olhos: Em caso de contato, lave com muita água corrente durante pelo menos 15 minutos. Evite que a água da lavagem entre no outro olho.
* Pele: Em caso de contato, tire a roupa contaminada e lave a pele com muita água corrente e sabão neutro.
* Inalação: Se o produto for inalado, leve a pessoa par um local aberto e ventilado.
A pessoa que ajudar deve proteger-se da contaminação usando luvas e avental impermeáveis, por exemplo.

Este produto é:

( X ) Muito perigoso ao meio ambiente (classe II)

Este produto é Altamente Tóxico para microcrustáceos e peixe.
Este produto é Altamente Tóxico para aves.
Evite a contaminação ambiental - Preserve a Natureza
Não utilize equipamento com vazamentos.
Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes.
Aplique somente as doses recomendada.
Não lave embalagens ou equipamentos aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Evite a contaminação da água.
Não execute aplicação aérea de agrotóxicos em áreas situadas a uma distância inferios a 500 metros de povoação e de mananciais de captação de água para abastecimento público e de 250 metros de mananciais de água, moradias isoladas, agrupamentos de animais e vegetação suscetível a danos.

• Incluir outros métodos de controle de pragas (ex. controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa do Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponíveis e apropriados.

• Qualquer agente de controle de inseto pode ficar menos efetivo ao longo do tempo se o inseto-alvo desenvolver algum mecanismo de resistência. Implementando as seguintes estratégias de manejo de resistência à inseticidas (MRI) poderíamos prolongar a vida útil dos inseticidas.
• Qualquer produto para controle de inseto da mesma classe ou modo de ação não deve ser utilizado em gerações consecutivas da mesma praga.
• Utilizar somente as doses recomendadas na bula.
• Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para direcionamento sobre as recomendações locais para o MRI.