Bula Bioisca

acessos
Tephrosia candida
4712
COCAPEC

Composição

Tephrosia candida 335 g/kg Flavonas saponínicas do tipo rotenóides

Classificação

Formicida
IV - Pouco tóxico
IV - Produto pouco perigoso ao meio ambiente
Não inflamável
Não corrosivo
Isca Granulada (GB)
Atração
Todas as culturas com ocorrência do alvo biológico Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Saúva cabeça de vidro
(Atta laevigata)
10 g / m² - - Caso se verifique o transporte de massa verde pelas formigas após 3 dias, deve-se repetir a aplicação, em numero que pode variar de 3 a 5 aplicações. Não estabelecido devido a modalidade de emprego. Deve-se identificar a área do formigueiro (murundu) em m2, realizando também a identificação do número de olheiros de alimentação existentes ao redor do murundu, dividindo a dose pelo numero de olheiros de forma proporcional ao seu tamanho. O produto deve ser aplicado diretamente na embalagem, sem contato manual, próximo aos olheiros e ao lado dos carreiros. O produto não deve ser colocado diretamente nos olheiros, pois deve ser carregado pelas formigas
Saúva limão
(Atta sexdens rubropilosa)
10 g / m² - - Caso se verifique o transporte de massa verde pelas formigas após 3 dias, deve-se repetir a aplicação, em numero que pode variar de 3 a 5 aplicações. Não estabelecido devido a modalidade de emprego. Deve-se identificar a área do formigueiro (murundu) em m2, realizando também a identificação do número de olheiros de alimentação existentes ao redor do murundu, dividindo a dose pelo numero de olheiros de forma proporcional ao seu tamanho. O produto deve ser aplicado diretamente na embalagem, sem contato manual, próximo aos olheiros e ao lado dos carreiros. O produto não deve ser colocado diretamente nos olheiros, pois deve ser carregado pelas formigas

Sacos polietileno 50g
Sacos polietileno 500g
Sacos polietileno 5 Kg
Sacos polietileno grau alimentício 10g
Caixa de papelão 1 kg (contendo 100 sachês de 10g)
Caixa de papelão 5 kg (contendo 5 pc de 1 kg que contém 100 sachês de 10g)
Caixa de papelão 5 kg (contendo 500 sachês de 10g)
Caixa de papelão 10 kg (contendo 10 pc de 1 kg que contém 100 sachês de 10g)
Caixa de papelão 10 kg (contendo 2 pc de 5 kg que contém 500 sachês de 10g)
Caixa de papelão 15 kg (contendo 15 pc de 1 kg que contém 100 sachês de 10g)
Caixa de papelão 15 kg (contendo 3 pc de 5 kg que contém 500 pc de 10g)
Caixa de papelão 20 kg (contendo 4 pc de 5 kg que contém 500 pc de 10g)
Caixa de papelão 20 kg (contendo 20 pc de 1 kg que contém 100 sachês de 10g)
Sachet (MIPIS) Papel e película fina de polietileno 10g
Sachet (Bio MIPIS) plástico biodegradável 10g

INSTRUÇÕES DE USO:
CULTURA: Em qualquer cultura.
PRAGA: formigas cortadeiras – saúvas Atta sexdens rubropilosa (saúva-limão) e Atta laevigata (saúva cabeça-de-vidro)

DOSE (quantidade/m2): 10,0 g/ m2

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO: A aplicação do BIOISCA pode ser feita em qualquer época do ano, a qualquer momento sempre que for detectado aparecimento de ninhos de formigas, respeitando as condições do solo e tempo. Deve-se localizar o murundu ou monte de terra solta. Determinar a área ou tamanho do formigueiro. Medir a área ocupada pelo murundu, no seu maior comprimento e na sua maior largura. Após feito isto deve-se multiplicar o comprimento pela largura, Exemplo: maior comprimento 8 metros pela maior largura 5 metros, logo concluímos que o formigueiro tem 40 metros quadrados de área. Distribuir 10 gramas de isca por metro quadrado do murundu. Esta distribuição deve ser feita ao longo do carreiro, pois as formigas dão preferência a ISCA e a carregam para dentro do sauveiro. A aceitação ocorre normalmente dentro de 10 a 15 segundos. Caso se verifique o transporte de massa verde pelas formigas após 3 dias, deve-se repetir a aplicação, em numero que pode variar de 3 a 5 aplicações. O controle total do formigueiro pode demorar até 60 dias.

MODO DE APLICAÇÃO: Deve-se identificar a área do formigueiro (murundu) em m2, realizando também a identificação do número de olheiros de alimentação existentes ao redor do murundu, dividindo a dose pelo numero de olheiros de forma proporcional ao seu tamanho. O produto deve ser aplicado diretamente na embalagem, sem contato manual, próximo aos olheiros e ao lado dos carreiros. O produto não deve ser colocado diretamente nos olheiros, pois deve ser carregado pelas formigas. Deve-se espalhar um número correspondente de saquinhos de 10g, denominados tecnicamente de MIPIS (microporta-isca) ao longo dos carreiros. AS formigas cortarão os saquinhos e carregarão as iscas para dentro do formigueiro. Em caso de pequenos olheiros (de tamanho menor que 1m2), recomenda-se uma dose de 10g por olheiro. Normalmente uma única aplicação do BIOISCA é suficiente para o controle, desde que aplicado de acordo com as instruções técnicas mencionadas. O produto não deve ser aplicado em terreno molhado nem em dias chuvosos. A dose deve ser repetida caso as formigas carreguem toda a isca e for ainda verificada atividade após o 3º dia da aplicação.

INTERVALO DE SEGURANÇA: não estabelecido devido a modalidade de emprego (aplicação em microporta-iscas direto no solo) e à natureza biológica do ativo.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:
(De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana - ANVISA/MS)

LIMITAÇÕES DE USO: Evitar aplicar o produto no período chuvoso, pois pode ser prejudicial à eficácia do produto. Não danificar a embalagem plástica de polietileno, denominados tecnicamente de microporta-iscas, para evitar perda do da eficiência causada por contato com as mãos do aplicador. O produto não deve ser colocado diretamente nos olheiros, pois deve ser carregado pelas formigas.

INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL A SEREM UTILIZADOS:
(Vide recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana -ANVISA/MS)





INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO A SEREM USADOS:
Utilize equipamentos de proteção individual – EPI: óculos de segurança de proteção lateral, máscara com filtro mecânico classe P2 cobrindo nariz e boca, luvas de nitrila e botas de borracha.


DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TRÍPLICE LAVAGEM DA EMBALAGEM OU TECNOLOGIA EQUIVALENTE:
(Vide recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA)


INFORMAÇÕES SOBRE OS PROCEDIMENTOS PARA A DEVOLUÇÃO, DESTINAÇÃO, TRANSPORTE, RECICLAGEM, REUTILIZAÇÃO E INUTILIZAÇÃO DAS EMBALAGENS VAZIAS:
(Vide recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA)


INFORMAÇÕES SOBRE OS PROCEDIMENTOS PARA A DEVOLUÇÃO E DESTINAÇÃO DE PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:
(Vide recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA)

DADOS RELATIVOS A PROTEÇAO DA SAUDE HUMANA: ANTES DE USAR LEIA COM ATENÇAO AS INSTRUÇÕES.

USE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL COMO INDICADO.

FORMULAÇÃO APRESENTADA OBRIGATORIAMENTE EM EMBALAGENS PORTA-ISCAS PARA EVITAR IRRITAÇÃO OCULAR POR FORMAÇÃO E SUSPENSÃO DE POEIRA DURANTE A MANIPULAÇÃO.

PRECAUÇÕES GERAIS:
- Produto para uso exclusivamente agrícola.
- Não coma, não beba e não fume durantes o manuseio e aplicação do produto.
-Não manuseie ou aplique o produto sem os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados.
-Os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados devem ser vestidos na seguint botas, máscara, óculos e luvas. 93)ENAÇ'fo
- Não utilize equipamentos de proteção individual (EPI) danificados.
- Não utilize equipamentos com defeitos.
- Não transporte o produto juntamente com alimentos, medicamentos, rações, animais e pessoas.

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO:
- Segundo os testes de toxicidade aguda não é esperado efeito tóxico para seres humanos
exposição via oral ou dérmica. O produto não pode ser retirado da embalagem porta-iscas pois pode causar irritação ocular severa.
- Evite, o máximo possível, o contato com a área aplicada;
- Não aplique o produto na presença de ventos fortes e nas horas mais quentes do dia.
- Aplique o produto somente nas doses recomendadas.
- Utihze equipamentos de proteção individual — EPI; óculos de segurança do proteção lateral, máscara
com filtro mecânico classe P2 cobrindo nariz e boca, luvas de nitrila e botas de borracha.

PRECAUÇÕES APÔS A APLICAÇÃO:
- Mantenha o restante do produto adequadamente fechado em sua embalagem original em local
trancado, longe do alcance de crianças e animais.
- Antes de retirar os equipamentos de proteção individual (EPI), lave as luvas ainda vestidas para evitar
contaminação.
- Os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados devem ser retirados na seguinte ordem:
óculos, botas, luvas e máscara.
- Troque e lave as suas roupas de proteção separadas das demais roupas da famíha. Ao lavar as
roupas utilizar luvas e avental impermeável.
- Faça a manutenção e lavagem dos equipamentos de proteção após cada aplicação o produto.
- Fique atento ao período de vida útil dos filtros, seguindo corretamente as especificações do
fabricante.
- No descarte de embalagens utilize equipamentos de proteção individual — EPI: luvas e botas de
borracha.

PRIMEIROS SOCORROS: procure logo um serviço médico de emergência levando a embalagem, rótulo, bula e/ou receituário agronômico do produto.
Ingestão: Se engolir o produto, não provoque vômito. Caso o vômito ocorra naturalmente, deite a pessoa de lado. Não dê nada para beber ou comer.
Olhos: Em caso de contato, lave com muita água corrente durante pelo menos 15 minutos. Evite que a água de lavagem entre no outro olho.
Pele: Em caso de contato, tire a roupa contaminada e lave a pele com muita água corrente e sabão neutro.
Inalação: Se o produto for inalado ("respirado"), leve pessoa para um local aberto e ventilado. A pessoa que ajudar deveria proteger-se da contaminaç usando luvas e avental impermeáveis, por
exemplo.

•Irritação dérmica: Em coelhos albinos, este produto não causou irritação e, ou lesão dérmica.
•Irritação ocular: Em coelhos albinos o produto mostrou-se irritante para os olhos. Ao ser testado em olhos de coelhos, causou irritação ocular. Os sinais de irritação foram reversíveis
em até 7dias.
•O produto foi considerado não sensibilizante para pele de cobaia (porquinho-da-índia — Cavia
porcellus).
Não houve evidência de toxicidade aguda oral e dérmica nos testes em ratos e coelhos. No entanto, por se tratar de um agrotóxico a base de plantas secas e extratos vegetais deve-se atentar para a natureza bioquímica de cada um destes compostos. Especificamente na ISCA FORMICIDA COCAPEC são utilizadas duas espécies vegetais de relevância toxicológica Tephrosia candida e Psychotria marcgravii (vide quadro de informações médicas).

Efeitos crónicos:
Não foram realizados testes em longo prazo com mamíferos (exposição crônica). A referência de informações são os testes com mamíferos para verificar os efeitos agudos.

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE.

Este Produto é:
X - POUCO PERIGOSO AO MEIO AMBIENTE (CLASSE IV).
Evite a contaminação ambiental — Preserve a Natureza.
Não utilize equipamentos com vazamentos.
Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes. Aplique somente as doses recomendadas.
Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Evite a contaminação da água.
A destinação inadequada de embalagens ou restos de produtos ocasiona a contaminação do solo, da água e do ar, prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES:
Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada.
O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidos, rações ou outros materiais.
A construção deve ser de alvenaria ou de material não combustível.
O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável.
Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO.
Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças.
Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis, para envolver embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados.
Em caso de armazéns, deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843 da Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT.
Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES
Isole e sinalize a área contaminada.
Contate as autoridades locais competentes e a COCAPEC — COOPERATIVA DE CAFEICULTORES E AGROPECUARISTAS — Telefone de Emergência: (16) 3711 6200.
Utilize equipamento de proteção individual - EPI (macacão impermeável, luvas e botas de borracha, óculos protetor e máscara com filtros).
Em caso de derrame, estanque o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos ou corpos d'água. Siga as instruções abaixo:
Piso pavimentado: recolha o material com o auxílio de uma pá e coloque em recipiente lacrado e identificado devidamente. O produto derramado não deverá mais ser utilizado. Neste caso, consulte a empresa registrante pelo telefone indicado acima, para que seja feito o recolhimento pela mesma. Lave o local com grande quantidade de água.

Solo: retire as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contamina recolha esse material e coloque em um recipiente lacrado e devidamente identifica Contate a empresa registrante conforme indicado acima.
Corpos d'água: interrompa imediatamente a captação para o consumo humano o animal, contate o órgão ambiental mais próximo e o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do corpo hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido.
Em caso de incêndio, use extintores de água em forma de neblina, ou de CO2, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

PROCEDIMENTOS DE LAVAGEM, ARMAZENAMENTO, DEVOLUÇÃO, TRANSPORTE E DESTINAÇÃO DE EMBALAGENS VAZIAS E RESTOS DE PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:

EMBALAGENS FLEXÍVEIS:

ESTA EMBALAGEM NÃO PODE SER LAVADA

ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA
O armazenamento da embalagem vazia, até sua devolução pelo usuário, deve ser efetuado em local coberto, ventilado, ao abrigo de chuva e com piso impermeável, no próprio local onde guardadas as embalagens cheias.
Use luvas no manuseio dessa embalagem.
Essa embalagem vazia deve ser armazenada separadamente das lavadas, em saco plástico transparente (Embalagens Padronizadas — Modelo ABNT), devidamente identificado e com lacre, o qual deverá ser adquirido nos Canais de Distribuição.

DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA
No prazo de até um ano da data da compra, é obrigatória a devolução da embalagem vazia, pelo usuário, ao estabelecimento onde foi adquirido o produto ou no local indicado na nota fiscal, emitida no ato da compra.
Caso o produto não tenha sido totalmente utilizado nesse prazo, a devolução deverá ocorrer até o fim do seu prazo de validade.

TRANSPORTE
As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas, medicamentos, rações, animais e pessoas.

EMBALAGEM SECUNDÁRIA (NÃO CONTAMINADA): ESTA EMBALAGEM NÃO PODE SER LAVADA

ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA
O armazenamento da embalagem vazia, até sua devolu
ser efetuado em local coberto, ventilado, ao abrigo de chuva e com piso impermeável, no próprio local onde são guardadas as embalagens cheias.

DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA
É obrigatória a devolução da embalagem vazia, pelo usuário, onde foi adquirido o produto ou no local indicado na nota fiscal, emitida pelo estabelecimento comercial.

TRANSPORTE
As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos, bidas, medicamentos, rações, animais e pessoas.

ESTINAÇÃO FINAL DAS EMBALAGENS VAZIAS
A destinação final das embalagens vazias, após a devolução pelos usuários, somente poderá ser realizada pela Empresa Registrante ou por empresas legalmente autorizadas pelos órgãos competentes.

É PROIBIDO AO USUÁRIO A REUTILIZAÇÃO E A RECICLAGEM DESTA EMBALAGEM VAZIA OU O FRACIONAMENTO E REEMBALAGEM DESTE PRODUTO.

EFEITOS SOBRE O MEIO AMBIENTE DECORRENTES DA DESTINAÇÃO INADEQUADA DA EMBALAGEM VAZIA E RESTOS DE PRODUTOS
A destinação inadequada das embalagens vazias e restos de produtos no meio ambiente causa contaminação do solo, da água e do ar prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas.

PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO
Caso este produto venha a se tornar impróprio para utilização ou em desuso, consulte o registrante através do telefone indicado no rótulo para sua devolução e destinação final.
A desativação do produto é feita através de incineração em fornos destinados para este tipo de operação, equipados com câmaras de lavagem de gases efluentes e aprovados por órgão ambiental competente.

TRANSPORTE DE AGROTÓXICOS, COMPONENTES E AFINS.
O transporte está sujeito às regras e aos procedimentos estabelecidos na legislação específica, que inclui o acompanhamento da ficha de emergência do produto, bem como determina que os agrotóxicos não podem ser transportados junto de pessoas, animais, rações, medicamentos ou outros materiais.

RESTRIÇÕES ESTABELECIDAS POR ÓRGÃO COMPETENTE DO ESTADO, DISTRITO FEDERAL OU MUNICIPAL
(De acordo com as recomendações aprovadas pelos órgãos responsáveis)

INFORMAÇÕES SOBRE MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS: Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado das pragas, envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle. O uso de sementes e variedades registradas, rotação de culturas, época adequada de plantio e manejo adequado de adubação, irrigação e aplicação de insumos, mantém o equilíbrio do agroecossistema. Deve-se ainda incluir na sistemática de inspeção ou monitoramento e controle de pragas, quando a infestação atingir o limite de dano econômico, outros métodos de controle de pragas visando o programa de Manejo Integrado.

INFORMAÇÕES SOBRE MANEJO DE RESISTÊNCIA: Qualquer agente de controle de pragas e doenças pode ficar menos efetivo ao longo do tempo devido ao desenvolvimento de resistência. Para tanto, deve-se utilizar a rotação de produtos com mecanismos de ação distintos, somente na época, na dose e nos intervalos de aplicação recomendados no rótulo/bula.