Bula Challenger - Koppert

Bula Challenger

Isaria fumorosea Cepa ESALQ-1296
28617
Koppert

Composição

Isaria fumosorosea CEPA ESALQ 1296 85 g/L

Classificação

Terrestre/Aérea
Inseticida microbiológico
Não Classificado
IV - Produto pouco perigoso ao meio ambiente
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Inseticida microbiológico

Todas as culturas com ocorrência do alvo biológico

Diaphorina citri (Psilideo)
Helicoverpa armigera (Helicoverpa)

Tipo: Frasco.
Material: Plástico.
Capacidade: 0,05; 0,075; 0,1; 0,15; 0,2; 0,25; 0,3; 0,5; 0,7; 0,75; 1,0; 1,25; 1,5; 1,75; 2,0; 2,5; 2,75; 3,0; 3,25; 3,5; 3,75; 4,0; 4,25; 4,5; 4,75; 5,0 L.
Tipo: Bombona.
Material: Plástico.
Capacidade: 3,0; 3,25; 3,5; 3,75; 4,0; 4,25; 4,5; 4,75; 5,0; 5,25; 5,5; 5,75; 6,0; 6,25; 6,5; 6,75; 7,0; 7,25; 7,5; 7,75; 8,0; 8,25; 8,5; 8,75; 9,0; 9,25; 9,5; 9,75; 10,0; 12,0; 12,5; 14,0; 15,0; 16,0; 17,0; 17,5; 18,0; 19,0; 20,0; 22,5; 25,0; 27,5; 30,0; 50,0; 100,0 L.
Tipo: Tambor.
Material: Metal/Plástico/Fibra.
Capacidade: 10; 20; 30; 40; 50; 80; 100; 120; 140; 150; 160; 180; 200; 220; 250 L.
Tipo: Tanque.
Material: Metal/Plástico/Fibra.
Capacidade: 100; 200; 300; 350; 400; 450; 500; 550; 600; 650; 700; 750; 800; 850; 900; 950; 1.000; 1.100; 1.200; 1.300; 1.400; 1.500; 1.600; 1.700; 1.800; 1.900; 2.000; 2.500; 3.000; 3.500; 4.000; 4.500; 5.000; 10.000; 15.000; 20.000 L.

INSTRUÇÕES DE USO

CHALLENGER é um inseticida microbiológico eficaz no controle de Helicoverpa armigera e Diaphorina citri (Psilídeo), em qualquer cultura na qual ocorram.


NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO

As pulverizações devem ser feitas a cada 7 a 21 dias para assegurar uma cobertura constante. Se a área foliar estiver altamente exposta à radiação UV e a infestação da praga for intensa, o intervalo entre as aplicações deve ser menor. Para um melhor resultado, a primeira pulverização devem ocorrer na presença de lagartas até o 3º instar e de acordo com o estágio de desenvolvimento da planta.

MODO/ EQUIPAMENTO DE APLICAÇÃO

Deve ser utilizada aplicação terrestre (costal ou tratorizada), aérea ou via pivô. Limpeza do equipamento - Limpar muito bem o tanque/bicos do pulverizador para eliminar resíduos de inseticidas, herbicidas ou fungicidas químicos.
Atenção:
a) Não realizar a limpeza do pulverizador próximo de lagos, rios ou reservas de água.
b) Realizar esta limpeza em local adequado onde os resíduos tenham o destino estabelecido em legislação. O ideal é encher o tanque do pulverizador com água e adicionar 1 litro de solupan ou 1 kg de sabão em pó para cada 400 litros de água. Deixar esta mistura em repouso por 12 horas. Em seguida agitar a mistura e aspergir todo o volume através dos bicos de pulverização. Posteriormente enxaguar com água limpa usando como escoamento sempre os bicos. Nessa operação aproveita-se para testar a regulagem da vazão.

Preparação da calda:

- Realizar a diluição do produto em caráter de pré-mistura em água com posterior diluição no tanque de pulverização obedecendo as recomendações abaixo:
- Manter um nível de pH entre 5 e 5.8 na calda de aplicação
- Manter agitação constante durante aplicação
- Aplicar o mais rápido possível após o preparo da calda


Volume de calda Aplicação aérea:

Utilizar volume de calda de 30 L/ha

Aplicação terrestre

- Utilizar volume de calda entre 150 e 250 L/ha
- Evitar aplicações com temperaturas superiores a 30º C e umidade relativa do ar inferior à 40%.
- Para aplicação aérea, respeitar a velocidade do vento até 8 km/h

INTERVALO DE SEGURANÇA

Não determinado em função da não necessidade de estipular o LMR para este produto.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NA CULTURA E ÁREAS TRATADAS

4 horas ou até a secagem da calda. Caso necessite entrar antes desse período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados para o uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

Os usos do produto estão restritos aos indicados no rótulo e bula. Quando este produto for utilizado nas doses recomendadas, não causará danos às culturas indicadas. Recomenda-se aplicar nas horas mais frescas do dia, preferencialmente ao final da tarde ou a noite, em dias nublados ou com garoa bem fina. Nessas condições, a exposição do fungo à radiação UV do sol (fator de inviabilização da agente) é menor.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre MIP, provenientes da pesquisa publica ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

Não existem informações sobre o desenvolvimento de resistência ao fungo Isaria fumosorosea.