Bula Coact

CI
Diclosulam
5199
Dow Agrosciences

Composição

Diclosulam 840 g/kg

Classificação

Terrestre
Herbicida
5 - Produto Improvável de Causar Dano Agudo
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Granulado Dispersível (WG)
Seletivo

Tipo: Big-bag
Material: Plástico
Capacidade: 1500 Kg

Tipo: Bombona
Material: Plástico
Capacidade: 50 Kg

Tipo: Frasco
Material: Plástico
Capacidade: 0,014; 0,021; 0,028; 0,03; 0,042; 0,06; 0,064; 0,084; 0,1; 0,126; 0,21; 0,24; 0,3; 0,42; 0,84; 1,26; 2,0 Kg

Tipo: Saco
Material: Hidrossolúvel
Capacidade: 0,014; 0,021; 0,028; 0,03; 0,042; 0,06; 0,064; 0,084; 0,1; 0,126; 0,21; 0,24; 0,3; 0,42; 0,84; 1,26; 2,1; 5,0 Kg

Tipo: Saco
Material: Fibra Celulósica/ Plástico/ Plástico Metalizado
Capacidade: 0,014; 0,021; 0,028; 0,03; 0,042; 0,06; 0,064; 0,084; 0,1; 0,126; 0,21; 0,24; 0,3; 0,42; 0,84; 1,26; 2,1; 25 Kg

Tipo: Tambor
Material: Fibra Celulósica/ Metálico/ Plástico
Capacidade : 220 Kg.

INSTRUÇÕES DE USO

O produto poderá ser recomendado para o controle de plantas daninhas em áreas de cana-de-açúcar, tanto em cana planta, após o plantio, quanto em cana soca, após o corte da cana-de-açúcar, sendo aplicada em pré-emergência das plantas daninhas.

MODO E EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO

A aplicação pode ser realizada com equipamento manual e tratorizado. Coact deverá ser aplicado em área total, podendo ser aplicado sobre a cultura já emergida. O solo deve estar bem preparado, livre de torrões, no caso de cana planta.
Os parâmetros de aplicação através de equipamento tratorizado, como ângulo de barra, tipo e número de pontas, distância entre pontas, altura do alvo, pressão de trabalho, largura da faixa de aplicação, velocidade do pulverizador, entre outros relevantes em questão, deverão seguir as recomendações do modelo do pulverizador definido pelo fabricante, bem como as recomendações do Engenheiro Agrônomo, de modo a promover uma cobertura uniforme da superfície a ser tratada. acompanhando as boas práticas agrícolas.
As condições climáticas a serem seguidas no momento da aplicação deverão favorecer a adequada cobertura do alvo biológico pela calda de pulverização e deverão minimizar o risco de deriva para áreas adjacentes. Recomenda-se a aplicação da calda à temperatura abaixo de 30° C, umidade relativa acima de 55% e a velocidade do vento entre 2 a 10 km/h.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite entrar antes desse período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPI's) recomendados para o uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

- A cana-de-açúcar apresenta tolerância à aplicação do herbicida.
- Não é recomendado o uso em soqueira seca.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

O uso sucessivo de herbicidas do mesmo mecanismo de ação para o controle do mesmo alvo pode contribuir para o aumento da população da planta daninha alvo resistente a esse mecanismo de ação, levando a perda de eficiência do produto e um consequente prejuízo. Como prática de manejo de resistência de plantas daninhas e para evitar os problemas com a resistência, seguem algumas recomendações:
- Rotação de herbicidas com mecanismos de ação distintos do Grupo B para o controle do mesmo alvo, quando apropriado.
- Adotar outras práticas de controle de plantas daninhas seguindo as boas práticas agrícolas.
- Utilizar as recomendações de dose e modo de aplicação de acordo com a bula do produto.
- Sempre consultar um engenheiro agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais para o manejo de resistência e a orientação técnica da aplicação de herbicidas.
- Informações sobre possíveis casos de resistência em plantas daninhas devem ser consultados e, ou, informados à: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas (SBCPD: www.sbcpd.org), Associação Brasileira de Ação à Resistência de Plantas Daninhas aos Herbicidas (HRAC-BR: www.hrac-br.org), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA: www.agricultura.gov.br).

GRUPO B HERBICIDA

O produto herbicida é composto por Diclosulam, que apresenta mecanismo de ação dos inibidores da acetolactato sintase (ALS), pertencente ao Grupo B, segundo classificação internacional do HRAC (Comitê de Ação à Resistência de Herbicidas).




Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.