Bula Combat MBc

CI
Metarhizium anisopliae, isolado IBCB 425
8922
Eloiza Cristiba Castelan

Composição

Metarhizium anisopliae cepa IBCB 425 50 mL/L

Classificação

Terrestre/Aérea
Inseticida microbiológico
5 - Produto Improvável de Causar Dano Agudo
IV - Produto pouco perigoso ao meio ambiente
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Inseticida microbiológico

Tipo: Galão
Material: Polietileno
Capacidade: 1 a 20 L.

INSTRUÇÕES DE USO
O produto é um inseticida microbiológico (Metarhizium anisopliae, isolado IBCB 425) de contato, indicado para aplicação em pulverização de plantas e solos, para controle de cigarrinhas, de acordo com especificação de referência publicada através da INC SDA/SDC 36/201.

MODO DE PREPARO DA CALDA

- Diluir a dose recomendada em água. A calda deve permanecer em agitação para homogeneidade do ingrediente ativo.
- Aguardar 5 minutos para precipitação do inerte e levar o líquido até o tanque do pulverizador passando pela peneira do equipamento. Evite deixar ir o precipitado.
- Repetir este procedimento por três vezes para retirar o máximo de esporos do fungo. Descartar o precipitado.

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO

Devem ser realizadas aplicações quando houver ocorrência da praga e de acordo com o levantamento populacional em área total.

MODO DE APLICAÇÃO

Aplicado na forma liquida via pulverizadores hidropneumáticos tratorizados ou tracionados, via aérea, via irrigação ou através de iscas.

Modo de aplicação terrestre

Para a aplicação deve-se utilizar pulverizador de barra ou pingente. O produto não deve ser administrado em volume de calda inferior a 200L/ ha. Recomenda-se bico triplo leque com vazão igual ou superior a 0,75 L/ min.

Modo de aplicação aérea

O produto deve ser administrado no campo por meio de aeronaves preparadas para pulverizações agrícolas utilizando altura de voo entre 3 e 4 metros. Recomenda-se volume de calda entre 40 e 60 litros/ha.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NA CULTURA E ÁREAS TRATADAS

Entrar na área após secagem completa da calda (no mínimo 4 horas após a aplicação). Caso necessite entrar antes desse período, utilizar os equipamentos de proteção individual (EPls) recomendados para o uso durante à aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

Recomenda-se aplicar nas horas mais frescas do dia, preferencialmente no final da tarde.
Nessas condições a exposição dos conídios (esporos) do fungo à radiação UV do sol é menor, propiciando a manutenção da viabilidade do fungo.
O produto não é fitotóxico quando aplicado nas doses recomendadas.
Aplicar fungicida ou herbicida somente 1 semana após a aplicação do produto.
Para beneficiar a atuação deste produto, protegendo o inóculo dos fatores climáticos e melhorando as condições microclimáticas, recomenda-se as seguintes práticas culturais:
- Usar a calda no mesmo dia do seu preparo; Aplicar com umidade relativa do ar acima de 70%;
- Conservar o produto sob refrigeração ou lugar fresco e arejado;
- Nunca deixar o produto exposto ao sol;
- Lavar bem o pulverizador antes de usá-lo, ou usar um novo, sem resíduos de agroquímicos;
- Não aplicar em período de chuvas intensas;
- Não aplicar sob vento forte.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado de pragas, envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle, como o controle cultural, controle biológico (predadores e parasitoides), controle microbiano, controle por comportamento, uso de cultivares resistentes e controle químico, sempre alternando produtos de diferentes grupos químicos, com mecanismo de ação distinta.

Não há relatos de desenvolvimento de resistência a fungos entomopatogênicos,porém, para evitar o surgimento de insetos com resistência, o Comitê Brasileiro de Resistência a Inseticidas – IRAC-BR- recomenda algumas estratégias:
- Qualquer produto para controle de inseto da mesma classe ou modo de ação não deve ser utilizado em gerações consecutivas da mesma praga;
- Utilizar somente as dosagens recomendadas no rótulo/bula do produto;
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para direcionamento das recomendações locais;
- Incluir outros métodos de controle de insetos (controle cultural, por ex.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP), quando disponíveis.”




Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.