Bula Conquest

acessos
Clorimurom-etílico
2501
Adama

Composição

Clorimurom-etílico 250 g/kg Sulfoniluréia

Classificação

Herbicida
III - Medianamente tóxico
III - Produto perigoso
Não inflamável
Corrosivo
Pó molhável (WP)
Seletivo, Sistêmico, Pós-emergência
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Apaga fogo
(Alternanthera tenella)
60 a 80 g p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação feita conforme a indicação de uso permite o controle adequado das plantas infestantes indicadas. 65 dias. Aplicar em pós-emergência das plantas infestantes de folhas largas, sendo mais indicado quando estas se encontram na fase inicial de crescimento, de 2 a 6 folhas
Beldroega
(Portulaca oleracea)
60 a 80 g p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação feita conforme a indicação de uso permite o controle adequado das plantas infestantes indicadas. 65 dias. Aplicar em pós-emergência das plantas infestantes de folhas largas, sendo mais indicado quando estas se encontram na fase inicial de crescimento, de 2 a 6 folhas
Carrapicho beiço de boi
(Desmodium tortuosum)
60 a 80 g.p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação feita conforme a indicação de uso permite o controle adequado das plantas infestantes indicadas. 65 dias. Aplicar em pós-emergência das plantas infestantes de folhas largas, sendo mais indicado quando estas se encontram na fase inicial de crescimento, de 2 a 6 folhas
Carrapicho de carneiro
(Acanthospermum hispidum)
60 a 80 g p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação feita conforme a indicação de uso permite o controle adequado das plantas infestantes indicadas. 65 dias. Aplicar em pós-emergência das plantas infestantes de folhas largas, sendo mais indicado quando estas se encontram na fase inicial de crescimento, de 2 a 6 folhas
Carrapicho rasteiro
(Acanthospermum australe)
60 a 80 g p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação feita conforme a indicação de uso permite o controle adequado das plantas infestantes indicadas. 65 dias. Aplicar em pós-emergência das plantas infestantes de folhas largas, sendo mais indicado quando estas se encontram na fase inicial de crescimento, de 2 a 6 folhas
Caruru roxo
(Amaranthus hybridus)
60 a 80 g p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação feita conforme a indicação de uso permite o controle adequado das plantas infestantes indicadas. 65 dias. Aplicar em pós-emergência das plantas infestantes de folhas largas, sendo mais indicado quando estas se encontram na fase inicial de crescimento, de 2 a 6 folhas
Cheirosa
(Hyptis suaveolens)
60 a 80 g p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação feita conforme a indicação de uso permite o controle adequado das plantas infestantes indicadas. 65 dias. Aplicar em pós-emergência das plantas infestantes de folhas largas, sendo mais indicado quando estas se encontram na fase inicial de crescimento, de 2 a 6 folhas
Corda de viola
(Ipomoea grandifolia)
60 a 80 g p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação feita conforme a indicação de uso permite o controle adequado das plantas infestantes indicadas. 65 dias. Aplicar em pós-emergência das plantas infestantes de folhas largas, sendo mais indicado quando estas se encontram na fase inicial de crescimento, de 2 a 6 folhas
Fedegoso branco
(Senna obtusifolia)
80 g p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação feita conforme a indicação de uso permite o controle adequado das plantas infestantes indicadas. 65 dias. Aplicar em pós-emergência das plantas infestantes de folhas largas, sendo mais indicado quando estas se encontram na fase inicial de crescimento, de 2 a 6 folhas
Mentrasto
(Ageratum conyzoides)
60 a 80 g p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação feita conforme a indicação de uso permite o controle adequado das plantas infestantes indicadas. 65 dias. Aplicar em pós-emergência das plantas infestantes de folhas largas, sendo mais indicado quando estas se encontram na fase inicial de crescimento, de 2 a 6 folhas
Nabiça
(Raphanus raphanistrum)
60 a 80 g p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação feita conforme a indicação de uso permite o controle adequado das plantas infestantes indicadas. 65 dias. Aplicar em pós-emergência das plantas infestantes de folhas largas, sendo mais indicado quando estas se encontram na fase inicial de crescimento, de 2 a 6 folhas
Picão preto
(Bidens pilosa)
60 a 80 g p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação feita conforme a indicação de uso permite o controle adequado das plantas infestantes indicadas. 65 dias. Aplicar em pós-emergência das plantas infestantes de folhas largas, sendo mais indicado quando estas se encontram na fase inicial de crescimento, de 2 a 6 folhas
Trapoeraba
(Commelina benghalensis)
60 a 80 g p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 40 L de calda/ha (aéreo) Uma única aplicação feita conforme a indicação de uso permite o controle adequado das plantas infestantes indicadas. 65 dias. Aplicar em pós-emergência das plantas infestantes de folhas largas, sendo mais indicado quando estas se encontram na fase inicial de crescimento, de 2 a 6 folhas

Conteúdo: 1, 2, 5, 20, 100, 200, 500, 600, 700, 800, 900, 1000, 1100, 1200 e 1300 kg; 60, 70, 80, 100, 150, 240, 250, 300, 360, 400, 480 e 500 g. As embalagens de 150 g a 200 kg podem ou não conter saquinhos hidrossolúveis.

INSTRUÇÕES DE USO:
CONQUEST é um herbicida pós-emergente seletivo para a cultura da soja, utilizado no controle de plantas daninhas de folha larga.

CULTURAS/DOSES/PLANTAS DANINHAS CONTROLADAS: Vide seção “Indicações de Uso/Doses”.

Obs.: As doses mais elevadas são indicadas para plantas daninhas em estádio de desenvolvimento avançado ou para espécies mais resistentes.

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO:
CONQUEST é um herbicida seletivo para a soja, de uso na pós-emergência das plantas daninhas de folhas largas, sendo mais indicado quando estas se encontram na fase inicial de crescimento de 2 a 6 folhas. Uma única aplicação feita conforme a indicação de uso permite o controle adequado das plantas daninhas indicadas.

MODO DE APLICAÇÃO: O produto pode ser aplicado através de pulverizadores tratorizados ou aeronaves agrícolas. Este produto permite a preparação da calda a ser pulverizada utilizando-se a embalagem hidrossolúvel, a qual juntamente com o produto na dose indicada deve ser adicionada a água de pulverização, onde ambos serão dissolvidos. Deve ser aplicado em cobertura total das plantas daninhas e da cultura. Adicionar a calda de pulverização óleo mineral na dose de 0,05%.

-Aplicação tratorizada: O Tipo de bico, Pressão (Lib/pol²), Velocidade (Km/h), Volume de calda (L/ha) são respectivamente, Leque (11002 e 11003), 20 a 40 (lib/pol²), 5 km/h, 100 a 300 L/ha. Deve-se realizar a aplicação de modo que a pulverização proporcione gotas no tamanho de 200 a 400 micras e densidade de 40 gotas/cm².

-Aplicação aérea: Parâmetros Técnicos: Aeronaves Agrícolas equipadas com barras; Bicos: tipo cônico (D8. CORE 46); Altura de vôo: 4 m sobre a cultura; Largura da faixa de deposição efetiva: 15 metros; Tamanho de Gotas: 200 a 400 micras; Densidade de Gotas: 40 gotas /cm². Volume de Calda: 40 L/ha.
-Obs.: A critério do Engenheiro Agrônomo ou Técnico Responsável as condições de aplicação poderão ser alteradas. No caso de usar outros equipamentos, providenciar uma boa cobertura de pulverização nas plantas. Observações locais deverão ser feitas visando reduzir ao máximo as perdas por deriva.

-Condições climáticas: Para obter uma melhor eficiência do produto a aplicação deverá ocorrer dentro dos seguintes parâmetros: Umidade relativa do ar: superior a 60%. Temperatura: até 30º C. Vento: 2 a 6 Km/h.

INTERVALO DE SEGURANÇA: Soja: 65 dias

LIMITAÇÕES DE USO:
-Fitotoxicidade para as culturas recomendadas: Nas doses registradas o produto não é fitotóxico a cultura da soja, contanto que se observe os seguintes pontos: O uso de óleo mineral a 0,05% pode melhorar a eficácia do produto, porém pode ocorrer clorose nas folhas apicais, reversível em torno de 15 dias, não causando prejuízos à produtividade da soja; Não aplicar o produto em períodos de seca prolongada ou quando a umidade relativa do ar estiver abaixo de 60%, pois a tolerância da cultura ao produto pode estar reduzida por estas condições adversas.

-Outras restrições a serem observadas: Na rotação da cultura da Soja com Trigo, Milho, Algodão e Feijão, observar o prazo de 60 dias entre a aplicação e o novo plantio; Caso houver necessidade de plantio de outras culturas, recomenda-se realizar bio-ensaios antes do plantio em rotação; Caso ocorra chuva nas primeiras 2 horas após a aplicação, a eficiência do produto pode ser prejudicada; Aplicar somente se as plantas daninhas estiverem em bom estado vegetativo.

PRODUTO PERIGOSO EVITE EXPOSIÇÃO ORAL, INALATÓRIA, OCULAR E DERMAL. USE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL COMO INDICADO.

PRECAUÇÕES GERAIS: Este produto é de uso exclusivo na agricultura contra ervas daninhas; Este produto não deve ser transportado juntamente com alimentos, medicamentos, rações, animais e pessoas; Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto; Não distribua o produto com as mãos desprotegidas, utilize os Equipamentos de Proteção Individual recomendados; Antes de vestir, certifique-se de que os equipamentos de proteção individual estão limpos e descontaminados; Não utilize equipamentos de proteção individual danificados e/ou defeituosos, bem como, equipamentos de aplicação com vazamentos; Não desentupa bicos, orifícios, tubulações e válvulas com a boca.

PRECAUÇÕES NA PREPARAÇÃO DA CALDA: Use protetor ocular (óculos ou viseira facial): se houver contato do produto com os olhos, lave-os imediatamente, VEJA PRIMEIROS SOCORROS; Use máscara apropriada (com filtro para partículas e/ou névoas tóxicas de até 6 () cobrindo o nariz e a boca: caso o produto seja inalado, procure local arejado e VEJA PRIMEIROS SOCORROS; Use luvas de borracha: ao contato do produto com a pele, lave-a imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS; Ao abrir a embalagem, não danifique e/ou perfure os saquinhos hidrossolúveis: use máscara apropriada (com filtro para partículas e/ou névoas tóxicas de até 6 () cobrindo o nariz e a boca, luvas e botas de borracha, macacão com mangas compridas, chapéu de aba larga, protetor ocular (óculos ou viseira facial) e avental impermeável; Não manipule e/ou carregue embalagens danificadas; Evite derrames ou a contaminação do equipamento durante o seu abastecimento; Mantenha pessoas, principalmente crianças e animais domésticos longe do local de trabalho.

PRECAUÇÕES DURANTE O USO: Aplique somente nas doses recomendadas pelo fabricante; O produto produz neblina, use máscara apropriada (com filtro para partículas e/ou névoas tóxicas de até 6) cobrindo o nariz e a boca, botas de borracha, macacão com mangas compridas e chapéu de aba larga na aplicação tratorizada, além desses, use protetor ocular (óculos ou viseira facial), luvas de borracha e avental impermeável na aplicação costal, manual ou motorizada; Evite o máximo possível, o contato com a área de aplicação; Não aplique o produto contra o vento e nas horas mais quentes do dia; Se durante a aplicação sentir qualquer sintoma de intoxicação, interrompa imediatamente os trabalhos, saia da área tratada, retire os equipamentos de proteção individual e tome banho com água à temperatura ambiente; Mantenha pessoas, principalmente crianças e animais domésticos longe da área de aplicação.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO DO PRODUTO: Mantenha os eventuais saquinhos do produto que sobraram em suas embalagens originais; Mantenha as embalagens com saquinhos do produto que sobraram adequadamente fechadas em local seco, trancado e próprio para o armazenamento, longe do alcance de crianças e animais; No descarte de rejeitos contaminados utilize os equipamentos de proteção individual indicados no item 2.2; Recolha os rejeitos contaminados e coloque-os em sacos plásticos, tambores ou recipientes devidamente lacrados e identificados, siga o disposto no item 3 da bula; Tome banho e troque de roupa, estas devem ser lavadas separadamente das outras roupas da família; Os equipamentos de proteção individual contaminados devem ser lavados e/ou limpos e arrumados em local próprio, seco e limpo, aguardando o próximo uso; Mantenha pessoas, principalmente crianças e animais domésticos longe da lavoura, até a secagem completa da calda de aplicação ou pelo menos por 72 horas, fora deste período, use os equipamentos de proteção individual dispostos no item 2.2.

INFORMAÇÕES RELATIVAS AOS CUIDADOS COM A SAÚDE HUMANA: Mecanismo de Ação para o Ser Humano. Não foi perfeitamente caracterizado pelas informações disponíveis na literatura consultada.

ABSORÇÃO, METABOLIZAÇÃO E EXCREÇÃO: Animais de laboratório (ratos) foram expostos via oral em quatro regimes diferentes (doses de 16 a 3000 mg/kg e período de amostragem de 1 a 72 hs e 1 a 168 hs) ao Clorimuron-etil, radiomarcado nas posições Fenil e Pirimidina. O composto foi bem absorvido pelo trato gastro-intestinal e metabolizado via hepática. Sua extensa metabolização não foi afetada por fatores como gênero (macho ou fêmea) ou nível de dose. Aproximadamente oitenta por cento da radioatividade encontrada foi distribuída em onze metabólitos (Oito Sulfonil-pirimidínicos e 3 Amino-pirimidínicos) e menos de vinte por cento permaneceu como composto inalterado todos sendo encontrados na excreta, órgãos e tecidos em quantidades diferentes. A eliminação da radioatividade na urina e fezes foi rápida, com uma meia vida de aproximadamente 50 horas. As quantidades excretadas pela urina e fezes foram similares; a radioatividade retida ao final de 168 horas foi de 2 - 3 % do total administrado.

EFEITOS AGUDOS (Sintomas de intoxicação): Não devem ser considerados específicos, a ocorrência de irritações da pele, olhos e mucosas associadas à confirmação de exposição ao produto, sugerem intoxicação.

EFEITOS CRÔNICOS PARA O SER HUMANO: Não devem ser considerados específicos; exposições intensas podem levar a danos hepáticos e renais. Eventualmente depressão do S.N.C. Em um estudo em ratos de laboratório, tratados diariamente com Clorimuron-etil (96%), não foram observados efeitos adversos importantes, inclusive na maior dose testada 125 mg/Kg/dia. O Clorimuron-etil não foi oncogênico, não ocorreram efeitos toxicológicos importantes ou sinais clínicos de laboratório relacionados ao composto, bem como, no peso dos órgãos, sinais macroscópicos, ou sinais histológicos não neoplásicos.

EFEITOS COLATERAIS PARA O SER HUMANO: Por não ser de finalidade terapêutica, não há como caracterizar seus efeitos colaterais.

PRIMEIROS SOCORROS: Ingestão: não provoque vômito, procure o médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto. Olhos: lave-os com água em abundância e procure o médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto.
Pele: lave-a com água em abundância e procure logo o médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto.
Inalação: procure lugar arejado e vá ao médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto.

TRATAMENTO MÉDICO DE EMERGÊNCIA: O tratamento é sintomático e deve ser instituído a critério médico; as ocorrências clinicas devem ser tratadas segundo seu surgimento e gravidade, em caso de ingestão, o tratamento envolve lavagem gástrica, até 1 hora após a exposição e/ou o aparecimento dos sintomas de intoxicação, após este período, proceder como descrito no item Antídoto; e em caso de exposição por contato, o tratamento envolve a higienização das áreas do corpo do paciente atingidas, dando atenção especial as regiões que sofreram maior depósito ou que podem reter o produto (cabelo, ouvido, axilas, umbigo, unhas e genitais). Avaliações especializadas do trato respiratório, oftalmoscópica e dermatológica podem ser requeridas.

ANTÍDOTO: A critério médico, utilizar antídotos de ação ampla, que modifiquem a toxicocinética e/ou a toxicodinâmica do produto, como o Carvão Ativado (adsorção digestiva) e Purgativos Salinos (catarse), monitorando o equilíbrio hidroeletrolítico. Diagnóstico laboratorial: Provas de função hepática e urinária, detecção do produto no vômito coletado ou lavado da pele. Doseamento de resíduos do produto na urina e no sangue.

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE: Este produto é: Altamente Perigoso ao Meio Ambiente (CLASSE I); Muito Perigoso ao Meio Ambiente (CLASSE II); PERIGOSO AO MEIO AMBIENTE (CLASSE III); Pouco Perigoso ao Meio Ambiente (CLASSE IV); Este produto é ALTAMENTE MÓVEL no solo, podendo atingir principalmente águas subterrâneas; Este produto é ALTAMENTE TÓXICO para algas; Evite a contaminação ambiental - Preserve a natureza; Não utilize equipamento com vazamentos; Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes; Aplique somente as doses recomendadas; Não execute aplicação aérea de agrotóxicos em áreas situadas a uma distância inferior a 500 (quinhentos) metros de povoação e de mananciais de captação de água para abastecimento público e de 250 (duzentos e cinqüenta) metros de mananciais de água, moradias isoladas, agrupamentos de animais e culturas suscetíveis a danos. Observe as disposições constantes na legislação estadual e municipal concernentes às atividades aeroagrícolas; Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água; Descarte corretamente as embalagens e restos do produto.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES: Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada. O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou outros materiais. A construção deve ser de alvenaria ou de material não comburente. O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável. Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO. Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas principalmente crianças. Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis, para envolver embalagens rompidas ou para recolhimento de produtos vazados. Em caso de armazéns, deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843; Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES: Isole e sinalize a área contaminada. Contate as autoridades locais competentes e a Empresa. Utilize o equipamento de proteção individual - EPI (macacão de PVC, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara contra eventuais vapores). Em caso de derrame, siga as instruções abaixo: Piso Pavimentado: recolha o material com auxílio de uma pá e coloque em recipiente lacrado e identificado devidamente. O produto derramado não deverá ser mais utilizado. Neste caso, contate a empresa ou o distribuidor ou qualquer representante da empresa na região. O produto deverá ser desativado em incinerador apropriado e aprovado pelas autoridades competentes. Lave o local com grande quantidade de água. Solo: retire as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado e adote os mesmos procedimentos acima descritos para recolhimento e destinação adequada. Corpos d'água: interromper imediatamente a captação para o consumo humano e animal e contate o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do recurso hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido. Em caso de incêndio, use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico, ficando a favor do vento para evitar intoxicações.

DESTINAÇÃO ADEQUADA DE RESÍDUOS E EMBALAGENS: As embalagens rígidas devem ser enxaguadas três vezes (tríplice lavagem) e a calda resultante acrescentada à preparação para pulverização. Não reutilize embalagens. As embalagens devem ser perfuradas, de maneira a torna-las inadequadas para outros usos (Obs: exceto em caso de existência do recolhimento das mesmas pela empresa). Observar as legislações Estadual e Municipal específica. Fica proibido enterrar embalagens. Consulte o Órgão Estadual de Meio Ambiente. Para desativação de restos de produto contate a empresa e o Órgão Estadual de Meio Ambiente. O produto deve ser incinerado em fornos destinados para este tipo de operação e aprovados pelo órgão estadual responsável, equipados com câmara de lavagem de gases efluentes.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

INFORMAÇÕES SOBRE MANEJO DE RESISTÊNCIA:
O uso continuado de herbicidas com o mesmo mecanismo de ação pode contribuir para o aumento de população de plantas infestantes a ele resistentes.Como prática de manejo e resistência de platas infestantes deverão ser aplicados herbicidas com diferentes mecanismos de ação, devidamente registrados para a cultura. Não havendo produtos alternativos recomenda-se a rotação de culturas que possibilite o uso de herbicidas com diferentes mecanismos de ação. Para maiores esclarecimentos consulte um Engenheiro Agrônomo.