Bula Conquest - Adama

Bula Conquest

CI
Clorimurom-etílico
2501
Adama

Composição

Clorimurom-etílico 250 g/kg

Classificação

Terrestre/Aérea
Herbicida
4 - Produto Pouco Tóxico
III - Produto perigoso
Não inflamável
Corrosivo
Pó molhável (WP)
Seletivo, Sistêmico

Conteúdo: 1, 2, 5, 20, 100, 200, 500, 600, 700, 800, 900, 1000, 1100, 1200 e 1300 kg; 60, 70, 80, 100, 150, 240, 250, 300, 360, 400, 480 e 500 g. As embalagens de 150 g a 200 kg podem ou não conter saquinhos hidrossolúveis.

INSTRUÇÕES DE USO

CONQUEST é um herbicida pós-emergente, de ação sistêmica, seletivo para a cultura da soja, utilizado no controle de plantas infestantes de folha larga.

MODO DE APLICAÇÃO

O produto pode ser aplicado através de pulverizadores tratorizados ou aeronaves agrícolas. Este produto permite a preparação da calda a ser pulverizada utilizando-se a embalagem hidrossolúvel, a qual juntamente com o produto na dose indicada deve ser adicionada a água de pulverização, onde ambos serão dissolvidos. Deve ser aplicado em cobertura total das plantas infestantes e da cultura. Adicionar a calda de pulverização óleo mineral na dose de 0,05%.

APLICAÇÃO TERRESTRE

Tipo de bico Pressão Lib/pol² Velocidade Km/h Volume de calda L/ha Leque (11002 e 11003) 20 a 40 5 100 a 300 Deve-se realizar a aplicação de modo que a pulverização proporcione gotas no tamanho de 200 a 400 micras e densidade de 40 gotas/cm².

APLICAÇÃO AÉREA:

Parâmetros Técnicos:
- Aeronaves Agrícolas equipadas com barras
- Bicos: tipo cônico (D8. CORE 46) - Altura de voo: 4 m sobre a cultura - Largura da faixa de deposição efetiva: 15 metros
- Tamanho de Gotas: 200 a 400 micra - Densidade de Gotas: 40 gotas /cm²
- Volume de Calda: 40 L/ha
Obs.: No caso de usar outros equipamentos, providenciar uma boa cobertura de pulverização nas plantas. Observações locais deverão ser feitas visando reduzir ao máximo as perdas por deriva.

MODO DE PREPARO DA CALDA

Colocar água limpa até aproximadamente 2/3 da capacidade do tanque de pulverização. Em seguida, adicionar CONQUEST e o adjuvante nas doses recomendadas, completando o tanque com água e mantendo a agitação da calda durante o processo de preparo. Realizar a aplicação em seguida, mantendo o sistema de agitação do tanque em funcionamento durante a aplicação.
Realizar o processo da tríplice lavagem das embalagens durante o processo de preparo da calda.

CONDIÇÕES CLIMÁTICAS

Devem-se observar as condições climáticas ideais para a aplicação, tais como:
- Temperatura ambiente até 30ºC;
- Umidade relativa do ar no mínimo de 60%;
- Velocidade do vento entre 3 e 10 km/h;
Para outros parâmetros referentes à tecnologia de aplicação, seguir as recomendações técnicas indicadas pela pesquisa e/ou assistência técnica da região, sempre sob orientação de um Engenheiro Agrônomo.

INTERVALO DE SEGURANÇA: Soja: 65 dias

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:

Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite entrar antes desse período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPI's) recomendados para o uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

Fitotoxicidade para as culturas recomendadas
• O uso de óleo mineral a 0,05% pode melhorar a eficácia do produto, porém pode ocorrer clorose nas folhas apicais, reversível em torno de 15 dias, não causando prejuízos à produtividade da soja;
• Não aplicar o produto em períodos de seca prolongada ou quando a umidade relativa do ar estiver abaixo de 60%, pois a tolerância da cultura ao produto pode estar reduzida por estas condições adversas. Outras restrições a serem observadas
• Na rotação da cultura da Soja com Trigo, Milho, Algodão e Feijão, observar o prazo de 60 dias entre a aplicação e o novo plantio;
• Caso houver necessidade de plantio de outras culturas, recomenda-se realizar bioensaios antes do plantio em rotação;
• Caso ocorra chuva nas primeiras 2 horas após a aplicação, a eficiência do produto pode ser prejudicada;
• Aplicar somente se as plantas infestantes estiverem em bom estado vegetativo.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

O uso sucessivo de herbicidas do mesmo mecanismo de ação para o controle do mesmo alvo pode contribuir para o aumento da população da planta daninha alvo resistente a esse mecanismo de ação, levando a perda de eficiência do produto e um consequente prejuízo. Como prática de manejo de resistência de plantas daninhas e para evitar os problemas com a resistência, seguem algumas recomendações:
• Rotação de herbicidas com mecanismos de ação distintos do Grupo B para o controle do mesmo alvo, quando apropriado.
• Adotar outras práticas de controle de plantas daninhas seguindo as boas práticas agrícolas.
• Utilizar as recomendações de dose e modo de aplicação de acordo com a bula do produto.
• Sempre consultar um engenheiro agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais para o manejo de resistência e a orientação técnica da aplicação de herbicidas.
• Informações sobre possíveis casos de resistência em plantas daninhas devem ser consultados e, ou, informados à: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas (SBCPD: www.sbcpd.org), Associação Brasileira de Ação à Resistência de Plantas Daninhas aos Herbicidas (HRAC-BR: www.hrac-br.org), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA: www.agricultura.gov.br).

GRUPO B HERBICIDA

O produto herbicida CONQUEST é composto por Clorimurom, que apresenta mecanismo de ação Inibidores da acetolactato sintase (ALS) (síntese de aminoácido de cadeia ramificada), pertencente ao Grupo O, segundo classificação internacional do HRAC (Comitê de Ação à Resistência de Herbicidas), respectivamente.