Bula Eventra - Alta
CME MILHO (SET/20) US$ 3,114 (0,39%)
| Dólar (compra) R$ 5,34 (0,94%)

Bula Eventra

Fipronil
13112
Alta

Composição

Fipronil 800 g/kg

Classificação

Terrestre
Cupinicida, Inseticida
3 - Produto Moderadamente Tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Granulado Dispersível (WG)
Contato, Ingestão

Frasco - Metálico - 1; 10; 15 e 20 Kg

Frasco - Plástico - 1; 10; 15 e 20 Kg

Saco - Multifolheado papel/kraft - 0,5; 1; 1,5; e 2 Kg

Saco - Papel - 1; 1,5; 2; 3; 4; 5; 6; 7; 8; 9; 10; 15; 20 e 25 Kg

Saco - Plástico- 1; 1,5; 2; 3; 4; 5; 6; 7; 8; 9; 10; 15; 20 e 25 Kg

Bombona - Metal - 1; 1,5; 2; 3; 4; 5; 6; 7; 8; 9; 10; 15; 20 e 25 Kg

Caixa Secundária - Papelão - 5; 10; 15; 20; 25 e 50 Kg

Tambor - Metálico - 75; 100; 150 e 200 Kg

Tambor - Plástico - 75; 100; 150 e 200 Kg

Barrica - Papelão - 20; 25; 30; 35; 40; 45; 50; 55; 60; 65; 70; 75; 80; 85; 90; 95 e 100 Kg

Big Bag - Plástico - 200; 250; 300; 350; 400; 450; 500; 550; 600 e 650 Kg

INSTRUÇÕES DE USO

O EVENTRA é indicado para controle de insetos pragas, nas culturas da batata, cana-de-açúcar e eucalipto, conforme bula.

MODO/EQUIPAMENTO DE APLICAÇÃO

BATATA E CANA-DE-AÇÚCAR: O produto poderá ser aplicado com equipamentos tratorizados adaptados com bico de jato leque (plano) ou cônico, dependendo do alvo a ser atingido, e a uma vazão de 300 litros de calda por hectare, procurando sempre colocar o produto no local de ocorrência da praga a ser controlada, devendo o mesmo a ser coberto imediatamente com terra.
EUCALIPTO: Aplicar o produto dirigindo o jato para a região do solo e caule das plantas. Fazer uma leve incorporação após a aplicação da calda inseticida.
Aplicar com equipamentos manuais, costais e tratorizados.
Bicos: utilizar bicos de jato cônico vazio com combinação adequada de ponta e difusor (core) de maneira que se obtenha uma cobertura uniforme do alvo a ser atingido.
Volume de aplicação: 20 ml/planta.
SOJA: A pulverização deve ser realizada durante a semeadura da cultura, dirigindo o jato no sulco de plantio, sobre as sementes, através de equipamento tratorizado adequado. Utilizar bicos tipo leque com volume de aplicação variando de 100-200 L/ha.

CONDIÇÕES CLIMÁTICAS

- Temperatura: máxima 27ºC
- Umidade relativa do ar: mínima 55%
- Velocidade de ventos: máxima 10 km/hora (3m/seg)
Considerar sempre que a umidade relativa do ar é o elemento mais importante na maior ou menor velocidade de evaporação das gotas. Lembrar que as gotas muito finas não atingem adequadamente o alvo, e tem deriva maior, enquanto que gotas muito grossas dão uma deposição inadequada e escorrem par o solo.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Batata, Cana-de-açúcar e Soja: Intervalo de Segurança não determinado devido à modalidade de emprego
Eucalipto: Uso não alimentar

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite entrar antes desse período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPI's) recomendados para o uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

Não há, desde que siga as recomendações de uso do produto.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Qualquer agente de controle de pragas pode ficar menos efetivo ao longo do tempo se o alvo desenvolver algum mecanismo de resistência.
Implementando as seguintes estratégias de manejo poderemos prolongar a vida útil do produto utilizado:
- Qualquer produto para o controle das pragas, da mesma classe ou mecanismo de ação, não deve ser utilizado em aplicações consecutivas. Utilizar rotação de produtos com mecanismos de ação distintos;
- Utilizar os produtos somente na época, na dose e nos intervalos de aplicação recomendados no rótulo ou bula;
- Sempre consultar um engenheiro agrônomo para direcionamento sobre as recomendações locais para o Manejo de Resistência;
- Incluir outros métodos de controle (ex.: Resistência genética, controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado, quando disponível e apropriado.

Qualquer agente de controle de pragas pode ficar menos efetivo ao longo do tempo se o alvo desenvolver algum mecanismo de resistência.
Implementando as seguintes estratégias de manejo poderemos prolongar a vida útil do produto utilizado:
- Qualquer produto para o controle das pragas, da mesma classe ou mecanismo de ação, não deve ser utilizado em aplicações consecutivas. Utilizar rotação de produtos com mecanismos de ação distintos;
- Utilizar os produtos somente na época, na dose e nos intervalos de aplicação recomendados no rótulo ou bula;
- Sempre consultar um engenheiro agrônomo para direcionamento sobre as recomendações locais para o Manejo de Resistência;
- Incluir outros métodos de controle (ex.: Resistência genética, controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado, quando disponível e apropriado.

PT - Regent Técnico registro nº 005894