Bula Garant - Mitsui

Bula Garant

CI
Hidróxido de cobre
2421
Mitsui

Composição

Hidróxido de cobre 538 g/kg

Classificação

Terrestre
Fungicida, Bactericida
4 - Produto Pouco Tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Corrosivo
Granulado Dispersível (WG)
Contato

Tipo: Saco
Material: Fibra celulósica/Plástico/Plástico metalizado
Capacidade: 25 kg

Tipo: Tambor
Material: Fibra celulósica
Capacidade: 25 kg.

INSTRUÇÕES DE USO

GARANT é um fungicida de contato multi-sítio, indicado para controle de doenças na cultura da soja.

Número, Época e Intervalo de Aplicação

Soja: Para o controle de Crestamento-foliar, iniciar a aplicação no início dos primeiros sintomas e reaplicar após 7 a 14 dias. Utilizar dose mais alta e até 3 aplicações, em condições favoráveis ao desenvolvimento da doença ou alto nível de infecção. Para o controle de Ferrugem-asiática, realizar 3 aplicações. Iniciar as aplicações ao observar os primeiros sintomas da doença e reaplicar após 7 a 14 dias. A definição da dose e do intervalo entre as aplicações deve ser baseada no monitoramento da lavoura e da evolução da doença na região. Usar dose mais alta e intervalo menor entre aplicações em condições favoráveis ao desenvolvimento da doença ou alto nível de infecção.

Modo de Aplicação

Realizar a pulverização na parte aérea da cultura indicada, de forma a assegurar uma aplicação uniforme, com boa cobertura sobre as plantas e evitar a deriva. A boa cobertura de toda a parte aérea das plantas é fundamental para o sucesso de controle das doenças, independente do equipamento utilizado. Desta forma o tipo e calibração do equipamento, estágio de desenvolvimento da cultura, bem como as condições ambientais em que a aplicação é conduzida, devem balizar o volume de calda, pressão de trabalho e diâmetro de gotas, a ser utilizado.

Instruções para preparo da calda de pulverização

Encher 1/2 tanque do pulverizador com água. Adicionar o produto GARANT lentamente no tanque, mantendo o agitador mecânico operando. Completar com o restante de água necessário. Não fazer pré-pasta com GARANT. Utilizar a calda preparada no mesmo dia.

Aplicação terrestre

Utilizar pulverizador tratorizado ou costal, com pontas de jato cônico tipo D, seguindo especificações dos fabricantes quanto à pressão e tamanho de gotas. Ajustar o equipamento, adequando-o à cultura, com volume de calda em torno de 200 L/ha. O equipamento de aplicação e todas as partes em contato com a calda deverão ser lavados com água limpa, após cada dia de operação, para evitar corrosões das partes metálicas como ferro, ferro galvanizado e alumínio.

Limpeza do equipamento de aplicação

Antes da aplicação, verificar as condições de limpeza e uso do equipamento. Imediatamente após a aplicação, realizar a limpeza completa de todo o equipamento, para evitar a formação de depósitos sólidos, difíceis de serem removidos e para evitar danos nas culturas, onde o equipamento for utilizado. Etapas de limpeza do equipamento:
1. Esvaziar o tanque do equipamento de pulverização.
2. Enxaguar todas as partes do equipamento em contato com a calda, fazendo circular água limpa por todo o sistema, desde o tanque, passando pelas mangueiras, barras e até os bicos. Remover os depósitos visíveis do produto.
3. Completar o tanque com água limpa e adicionar solução de amônia (3%), na proporção de 1L da solução para 100L de água. Circular a solução por todo o sistema até os bicos.
4. Encher o tanque com água limpa e manter em agitação por 15 minutos, com o sistema fechado. Depois, abrir o sistema para a circulação da água pelas mangueiras, barra e bicos, até esvaziar o tanque.
5. Remover e limpar os bicos, filtros, difusores e pontas, em solução descrita no item 3. Enxaguar com água limpa.

Não fazer a limpeza do equipamento de pulverização ou qualquer material em contato com o produto, próximo de nascentes, fontes de água ou de plantas úteis. Descartar os resíduos da limpeza de acordo com a legislação local.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite entrar antes desse período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPI's) recomendados para o uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

Use de acordo com as recomendações da bula/rótulo e observe as precauções necessárias. Somente usar as doses recomendadas. Evite contato do produto com superfícies metálicas. O produto pode reagir com superfícies metálicas, como metais galvanizados.

FITOTOXICIDADE PARA AS CULTURAS INDICADAS
- Condições ambientais, tais como períodos prolongados de umidade, chuva ácida, etc, que podem alterar o pH da superfície da folha podem influir no desempenho do produto, resultando em diminuição do período de controle, ou fitotoxicidade em cultivares sensíveis. Recomenda-se realizar teste prévio em pequena escala, no caso de dúvida.
- Aplicações de doses elevadas a intervalos reduzidos podem provocar fitotoxicidade em cultivares sensíveis ao cobre.
- Descontinuar o uso quando ocorrerem sintomas de fitotoxicidade.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado das doenças, envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle. O uso de sementes sadias, variedades resistentes, rotação de culturas, época adequada de semeadura, adubação equilibrada, fungicidas, manejo da irrigação e outros, visam o melhor equilíbrio do sistema.

O uso sucessivo de fungicidas do mesmo mecanismo de ação para o controle do mesmo alvo pode contribuir para o aumento da população de fungos causadores de doenças resistentes a esse mecanismo de ação, levando à perda de eficiência do produto e conseqüente prejuízo. Como prática de manejo de resistência e para evitar os problemas com a resistência dos fungicidas, seguem algumas recomendações:
- Alternância de fungicidas com mecanismos de ação distintos do Grupo M1 para o controle do mesmo alvo, sempre que possível;
- Adotar outras práticas de redução da população de patógenos, seguindo as boas práticas agrícolas, tais como rotação de culturas, controles culturais, cultivares com gene de resistência quando disponíveis, etc.;
- Utilizar as recomendações de dose e modo de aplicação de acordo com a bula do produto;
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais sobre orientação técnica de tecnologia de aplicação e manutenção da eficácia dos fungicidas;
- Informações sobre possíveis casos de resistência em fungicidas no controle de fungos patogênicos devem ser consultados e, ou, informados à: Sociedade Brasileira de Fitopatologia (SBF: www.sbfito.com.br), Comitê de Ação à Resistência de Fungicidas (FRAC-BR: www.frac-br.org), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA: www.agricultura.gov.br).

GRUPO M01 FUNGICIDA

O produto GARANT é composto por Hidróxido de cobre, que apresenta mecanismo de atividade de contato multi-sítio, pertencente ao grupo M01, segundo classificação internacional do FRAC (Comitê de Ação à Resistência de Fungicidas).