Bula Mimic 240 SC - Iharabras

Bula Mimic 240 SC

CI
Tebufenozida
7796
Iharabras

Composição

Tebufenozida 240 g/L

Classificação

Terrestre/Aérea
Inseticida
Não Classificado
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Acelerador de ecdise

Abobrinha

Calda Terrestre Dosagem
Diaphania nitidalis (Broca dos frutos)

Algodão

Calda Terrestre Dosagem
Alabama argillacea (Curuquerê)

Brócolis

Calda Terrestre Dosagem
Ascia monuste orseis (Lagarta da couve)

Cana-de-açúcar

Calda Terrestre Dosagem
Diatraea saccharalis (Broca do colmo)

Citros

Calda Terrestre Dosagem
Ecdytolopha aurantiana (Bicho furão)
Phyllocnistis citrella (Minadora da folhas)

Couve

Calda Terrestre Dosagem
Ascia monuste orseis (Lagarta da couve)

Couve-chinesa

Calda Terrestre Dosagem
Ascia monuste orseis (Lagarta da couve)

Couve-flor

Calda Terrestre Dosagem
Ascia monuste orseis (Lagarta da couve)

Eucalipto

Calda Terrestre Dosagem
Thyrinteina arnobia (Lagarta dos eucalipotos)

Maçã

Calda Terrestre Dosagem
Bonagota cranaodes (Lagarta enroladeira)
Grapholita molesta (Mariposa oriental)

Milheto

Calda Terrestre Dosagem
Spodoptera frugiperda (Lagarta do cartucho)

Milho

Calda Terrestre Dosagem
Spodoptera frugiperda (Lagarta do cartucho)

Repolho

Calda Terrestre Dosagem
Ascia monuste orseis (Lagarta da couve)

Soja

Calda Terrestre Dosagem
Anticarsia gemmatalis (Lagarta da soja)

Sorgo

Calda Terrestre Dosagem
Spodoptera frugiperda (Lagarta do cartucho)

Tomate

Calda Terrestre Dosagem
Neoleucinodes elegantalis (Broca pequena do tomateiro)
Tuta absoluta (Traça do tomateiro)

Frascos plásticos de 1; 1,9; 2; 2,5; 3,8; 5; 7,6 e 10 L.
Baldes plásticos de 7,6; 10; 15,2; 20 e 25 L.

INSTRUÇÕES DE USO

MIMIC 240 SC (TEBUFENOZIDA) é um inseticida que mimetiza o hormônio (ecdisona) responsável pela mudança de pele dos insetos e que age especificamente sobre larvas de lepidópteros (lagartas). MIMIC 240 SC atua ligando-se fortemente à proteína receptora de ecdisona, ativando-a e iniciando o processo de mudança de pele (ecdise). Imediatamente após a ligação do MIMIC 240 SC com o receptor de ecdisona, as lagartas param de se alimentar e produzem uma nova, mas mal formada, cutícula por baixo da antiga. Incapazes, as lagartas morrem por inanição e desidratação. Por atuar especificamente sobre as larvas de lepidópteros, por seu alto grau de seletividade e segurança para inimigos naturais, predadores e parasitoides, MIMIC 240 SC é especialmente recomendado para os programas de manejo integrado de pragas.

MODO DE APLICAÇÃO

Este produto pode ser aplicado por via terrestre, através de equipamentos pulverizadores costais (manuais ou motorizados), tratorizados e por via aérea, conforme recomendação para cada cultura. Utilize sempre tecnologias de aplicação que ofereçam boa cobertura das plantas. As recomendações para aplicação poderão ser alteradas à critério do Engenheiro Agrônomo responsável, respeitando sempre a legislação vigente na região da aplicação, a especificação do fabricante do equipamento e tecnologia de aplicação empregada. Em todas as aplicações, excetuando-se na cultura de cana-de-açúcar, adicionar óleo vegetal ou mineral emulsionável ou um adjuvante de boa qualidade na dosagem de 0,125% - 0,250% (125 mL250 mL/100L).

ABOBRINHA
Pulverizadores costais Velocidade: 1 m/s
Volume de aplicação: 500 litros/ha
Pressão de trabalho: 40-60 psi
Tipos de bico: jato cônico vazio ou D4 a D6 com combinação adequada de ponta e difusor (core) de maneira a obter-se uma deposição mínima de 40 gotas/cm² com VMD de 110-120 µ.

Pulverizadores tratorizados de barra
Velocidade do trator: 6-8 km/h
Volume de aplicação: 500 litros/ha
Pressão do manômetro: 80-100 psi
Tipos de bico: jato cônico vazio com combinação adequada de ponta e difusor (core) de maneira a obter-se uma deposição mínima de 40 gotas/cm² com VMD de 110-120 µ.

ALGODÃO
Pulverizadores costais
Velocidade: 1 m/s
Volume de aplicação: 200 litros/ha
Pressão de trabalho: 40-60 psi
Tipos de bico: jato cônico ou D2 a D4 com combinação adequada de ponta e difusor (core) de maneira a obter-se uma deposição mínima de 40 gotas/cm² com VMD de 110-120 µ.

Pulverizadores tratorizados de barra
Velocidade do trator: 6-8 km/h
Volume de aplicação: 500 litros/ha
Pressão do manômetro: 80-100 psi
Tipos de bico: jato cônico vazio com combinação adequada de ponta e difusor c(core) de maneira a obter-se uma deposição mínima de 40 gotas/cm² com VMD de 110-120 µ.
Altura da barra: 50 cm em relação ao alvo de deposição.

Aérea Uso de barra com 40-42 bicos de jato cônico vazio.
Volume de aplicação: 10-12 litros/ha
Pressão de trabalho: 15-30 psi Uso de MICRONAIR com deposição mínima de 40 gotas/cm².
Altura de voo: 4-5 metros em relação ao alvo de deposição.

CANA-DE-AÇÚCAR

Pulverizadores tratorizados de barra
Velocidade do trator: 6-8 km/h
Volume de aplicação: 50-200 litros/ha
Pressão do manômetro: 80-100 psi
Tipos de bico: leque 110.01 - 110.02
Altura da barra: 50 cm em relação ao alvo de deposição.

Aérea Uso de barra com 40-42 bicos
Volume de aplicação: 20-40 litros/ha Pressão de trabalho: 30-50 psi Uso de MICRONAIR com deposição mínima de 40 gotas/cm².
Altura de voo: 4-5 metros em relação ao alvo de deposição.

CITROS

Atomizadores

Devem-se observar os seguintes parâmetros:
Velocidade do trator: 2-3 km/hora Rpm na tomada de força: 540 rpm
Pressão: 300 a 350 libras/pol²
Vazão: 145 litros/minuto
Tipo de bico: Disco ou chapinha número 6, os dois lados do atomizador devem estar abertos, ou seja, 7 bicos de cada lado, num total de 14 bicos; considerando-se que todos estejam abertos, recomenda-se alternar bicos com difusor de 2 furos (menor vazão) com bicos de difusão de 3 furos (maior vazão).
Volume de calda: Usar 5-15 litros de calda por planta, dependendo do porte da árvore.

Pistolas

Devem-se observar os seguintes parâmetros:
Velocidade do trator: 1,8 km/hora
Rpm do trator: 1.400 rpm
Marcha do trator: 1ª reduzida
Pressão: 200-350 libras/pol²
Vazão: 130 litros/minuto
Tipo de bico: Disco ou chapinha nos 6 a 8
Volume de aplicação: Usar 5-15 litros de calda por planta, dependendo do porte da árvore. 4.3

Pulverizadores costais
Como os pulverizadores costais manuais não possuem regulador de pressão, o volume a ser aplicado depende muito do operário que executa a operação. A calibração deve ser feita individualmente, sendo considerada uma velocidade usual aquela ao redor de 1 m/segundo. A pressão de trabalho varia conforme o ritmo de movimento que o operador imprime à alavanca de acionamento da bomba, combinado com a vazão do bico. Bicos de alta vazão geralmente são trabalhados a baixa pressão, uma vez que no ritmo normal de bombeamento não se consegue atingir altas pressões. Em oposição, bicos de baixa vazão são operados em pressões maiores, pois o operador consegue manter o circuito pressurizado acionando poucas vezes a alavanca da bomba. Recomenda-se utilizar bicos de média a baixa vazão para melhor cobertura da área foliar.

COUVE, BRÓCOLIS, COUVE-FLOR, COUVE-CHINESA, REPOLHO

Pulverizadores costais
Velocidade: 1 m/s
Volume de aplicação: 400 litros/ha
Pressão de trabalho: 40-60 psi
Tipos de bico: jato cônico vazio ou D4 a D6 com combinação adequada de ponta e difusor (core) de maneira a obter-se uma deposição mínima de 40 gotas/cm² com VMD de 110-120 µ.

Pulverizadores tratorizados de barra
Velocidade do trator: 6-8 km/h
Volume de aplicação: 400 litros/ha
Pressão do manômetro: 80-100 psi Tipos de bico: jato cônico vazio com combinação adequada de ponta e difusor (core) de maneira a obter-se uma deposição mínima de 40 gotas/cm² com VMD de 110-120 µ.

MAÇÃ

Pulverizadores tratorizados turbinados
Velocidade de aplicação: 4-6 km/ha
Volume de aplicação: Lagarta-enroladeira-da-folha (Bonagota cranaodes): 600 a 1200 litros/ha
Volume de aplicação: Mariposa-oriental (Grapholita molesta): 1000 litros/ha
Pressão de trabalho: 120-150 psi
Tipos de bicos: jato cônico vazio com combinação adequada de ponta e difusor (core) de maneira a obter-se uma deposição mínima de 40 gotas/cm² com VMD de 110-120 µ.

MILHO, MILHETO, SORGO

Pulverizadores tratorizados de barra
Velocidade de aplicação: 4 a 6 km/h
Volume de aplicação: 200 a 400 litros/ha.
Pressão de trabalho: 40-60 psi
Tipos de bicos: Leque - 8002 a 8003 - direcionado para a linha de milho.
Altura da barra: 50 cm acima do alvo a ser depositado.

SOJA

Pulverizadores costais
Velocidade: 1 m/s
Volume de aplicação: 200 litros/ha
Pressão de trabalho: 40-60 psi
Tipos de bico: jato cônico ou D2 a D4 com combinação adequada de ponta e difusor (core) de maneira a obter-se uma deposição mínima de 40 gotas/cm² com VMD de 110-120 µ.

Pulverizadores tratorizados de barra
Velocidade do trator: 6-8 km/h
Volume de aplicação: 200-400 litros/ha
Pressão do manômetro: 80-160 psi
Tipos de bico: jato cônico vazio com combinação adequada de ponta e difusor (core) de maneira a obter-se uma deposição mínima de 40 gotas/cm² com VMD de 110-120 µ.
Altura da barra: 50 cm em relação ao alvo de deposição.

Aérea
Uso de barra com 40-42 bicos de jato cônico vazio.
Volume de aplicação: 10-20 litros/ha
Pressão de trabalho: 40-60 psi Uso de MICRONAIR com deposição mínima de 40 gotas/cm².
Altura de voo: 4-5 metros em relação ao alvo de deposição.

TOMATE

Pulverizadores costais (tomate envarado)
Velocidade: 1 m/s
Volume de aplicação: 500-1000 litros/ha
Pressão de trabalho: 40-60 psi
Tipos de bico: jato cônico vazio ou D4 a D6 compatível com a vazão de 500-1000 litros/ha.

Pulverizadores tratorizados de barra (tomate rasteiro)
Velocidade do trator: 6-8 km/h
Volume de aplicação: 500-1000 litros/ha
Pressão do manômetro: 80-100 psi
Tipos de bico: jato cônico vazio com combinação adequada de ponta e difusor (core) de maneira a obter-se uma deposição mínima de 40 gotas/cm² com VMD de 110-120 µ.
Altura da barra: 50 cm em relação ao alvo de deposição.

EUCALIPTO

Atomizador costal (motorizado):
Volume de aplicação: 500 a 1000 L/ha
Pulverizador tratorizado tipo canhão:
Volume de aplicação: 250 a 500 L/ha
Rotação do trator: 540 rpm
Rotação da turbina centrífuga: 3400 rpm
Faixa de aplicação: 1 a 3 linhas, dependendo da altura da árvore.

Aérea: Uso do MICRONAIR AU 5000 ou bicos hidráulicos
Volume de aplicação: 10 a 20 litros/ha
Altura do voo: 3 a 4 metros do topo da árvore Ângulo das pás (MICRONAIR): 35 a 45º Inclinação dos bicos hidráulicos: 45 a 90º

CONDIÇÕES CLIMÁTICAS PARA APLICAÇÃO DE MIMIC 240 SC

Temperatura máxima: 30ºC
Umidade relativa do ar: 55% (mínima)
Velocidade do vento: máximo de 10 km/h

INTERVALO DE SEGURANÇA

Algodão, Maçã e Soja: 14 dias
Abobrinha, Brócolis, Couve, Couve-flor, Couve-chinesa, Repolho e Tomate: 3 dias
Cana-de-açúcar: 28 dias
Citros: 7 dias
Eucalipto: Uso não alimentar
Milho, Milheto e Sorgo: 60 dias

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite entrar antes deste período, utilize os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) recomendados para o uso durante a aplicação”.

LIMITAÇÕES DE USO

Fitotoxicidade: MIMIC 240 SC não é fitotóxico às culturas indicadas quando utilizado de acordo com os usos e doses recomendados.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre MIP, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

A resistência de pragas a agrotóxicos ou qualquer outro agente de controle pode tornar-se um problema econômico, ou seja, fracassos no controle da praga podem ser observados devido à resistência. O inseticida MIMIC 240 SC pertence ao grupo 18 (agonistas de receptores de ecdisteróides) e o uso repetido deste inseticida ou de outro produto do mesmo grupo pode aumentar o risco de desenvolvimento de populações resistentes em algumas culturas. Para manter a eficácia e longevidade do MIMIC 240 SC como uma ferramenta útil de manejo de pragas agrícolas, é necessário seguir as seguintes estratégias que podem prevenir, retardar ou reverter a evolução da resistência: Adotar as práticas de manejo a inseticidas, tais como:
• Rotacionar produtos com mecanismo de ação distinto do Grupo 18. Sempre rotacionar com produtos de mecanismo de ação efetivos para a praga alvo.
• Usar MIMIC 240 SC ou outro produto do mesmo grupo químico somente dentro de um “intervalo de aplicação” (janelas) de cerca de 30 dias.
• Aplicações sucessivas de MIMIC 240 SC podem ser feitas desde que o período residual total do “intervalo de aplicações” não exceda o período de uma geração da praga-alvo.
• Respeitar o intervalo de aplicação para a reutilização do (nome do produto – marca comercial) ou outros produtos do Grupo 18 quando for necessário;
• Sempre que possível, realizar as aplicações direcionadas às fases mais suscetíveis das pragas a serem controladas;
• Adotar outras táticas de controle, previstas no Manejo Integrado de Pragas (MIP) como rotação de culturas, controle biológico, controle por comportamento etc., sempre que disponível e apropriado;
• Utilizar as recomendações e da modalidade de aplicação de acordo com a bula do produto; Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais para o manejo de resistência e para a orientação técnica na aplicação de inseticidas; Informações sobre possíveis casos de resistência em insetos e ácaros devem ser encaminhados para o IRAC-BR (www.irac-br.org) ou para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento ( www.agricultura.gov.br).