Bula Pratico

acessos
Imidacloprido
3613
Adama

Composição

Flutriafol 200 g/L Triazol
Imidacloprido 250 g/L Neonicotinóide

Classificação

Fungicida, Inseticida
II - Altamente tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Sistêmico

Café Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Bicho mineiro
(Leucoptera coffeella)
2 a 3 L p.c./ha 50 mL de calda/planta - Única. 120 dias. Realizar 1 aplicação no solo sob a copa do cafeeiro, no período de outubro a dezembro, sempre após as primeiras chuvas
Cigarra
(Quesada gigas)
2 a 3 L p.c./ha 50 mL de calda/planta - Única. 120 dias. Realizar 1 aplicação no solo sob a copa do cafeeiro, no período de outubro a dezembro, sempre após as primeiras chuvas
Ferrugem do cafeeiro
(Hemileia vastatrix)
2 a 3 L p.c./ha 50 mL de calda/planta - Única. 120 dias. Realizar 1 aplicação no solo sob a copa do cafeeiro, no período de outubro a dezembro, sempre após as primeiras chuvas

Balde Metálico: 2,5;3;5;10;15;20;25;30;40 e 50 Litros.
Bombona Plástica: 2,5;3,0;5,0;10;15;20;25;30;40 e 50 Litros.
Frasco Plástico e Metálico: 0,2;0,25;0,3;0,4;0,5;0,6;1;1,5;2;2,2 Listros.
Tambos Plástico e Metálico: 50;100;150;200;250;400 e 500 Litros.
Container Polietileno: 500;1000; 2000 ; 5000; 10000; 15000; 20000; 25000; 30000 Litros.
Tanque Metálico: 500; 1000; 2000; 5000; 10000; 15000; 20000; 25000 e 30000 Litros.

MODO DE APLICAÇÃO:
O PRATICO deve ser aplicado em esguicho ou "Drench": Aplicar a calda em jato contínuo e ambos os lados da planta. Usar pulverizador costal manual ou equipamento tratorizado, corretamente calibrado e adaptado para aplicação em linha no solo limpo, sob a copa do cafeeiro.
INTERVALO DE SEGURANÇA: Café 120 dias INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:
(De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana — ANVISA/MS).
LIMITAÇÕES DE USO:
•Os usos do produto estão restritos aos indicados no rótulo e bula;
•Quando este produto for utilizado nas doses recomendadas, não causará danos à cultura indicada.
•O produto não é fitotóxico para a cultura de café nas doses e condições recomendadas;
•Não é permitida a mistura de tanque deste produto com outro agrotóxico.
INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL A SEREM UTILIZADOS:
Vide recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana — ANVISA/MS. INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO A SEREM USADOS: Vide item MODO DE APLICAÇÃO.
DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TRÍPLICE LAVAGEM DA EMBALAGEM OU TECNOLOGIA EQUIVALENTE:
Vide recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente — IBAMA/MMA.
INFORMAÇÕES SOBRE OS PROCEDIMENTOS PARA A DEVOLUÇÃO, DESTINAÇÃO, TRANSPORTE, RECICLAGEM, REUTILIZAÇÃO E INUTILIZAÇÃO DAS EMBALAGENS VAZIAS:
Vide recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente — IBAMA/MMA.
INFORMAÇÕES SOBRE OS PROCEDIMENTOS PARA A DEVOLUÇÃO E DESTINAÇÃO DE PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:
Vide recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente — IBAMA/MMA.

INFORMAÇÕES SOBRE MANEJO DE RESISTÊNCIA: Inseticidas:
A resistência de pragas a agrotóxicos ou qualquer outro agente de controle pode tornar-se problema econômico, ou seja, fracassos no controle da praga podem ser observados devido à resistência. As seguintes estratégias podem prevenir retardar ou reverter à evolução da resistência:
•Rotação de produtos com mecanismos de ação distintos, quando apropriado;
•Adotar outras táticas de controle, prevista no Manejo Integrado de Pragas (MIP) como rotação de culturas, controle biológico, controle por comportamento etc., sempre que disponível e apropriado;
•Utilizar as recomendações de dose e modo de aplicação de acordo com a bula do produto;
•Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais para o manejo de resistência e para a orientação técnica na aplicação de inseticidas;
•Informações sobre possíveis casos de resistência em insetos e ácaros devem ser encaminhados para o IRAC-BR (www.irac-br.org.br), ou para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (www.agricultura.gov.br).
Fungicidas:
Qualquer produto utilizado no controle de doenças de forma inadequada pode ficar menos efetivo ao longo do tempo devido ao desenvolvimento de resistência. O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência a Fungicidas (FRAC-BR) recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência, visando com isso prolongar a vida útil dos fungicidas e também manter sua performance:
•Fungicidas específicos com o mesmo modo de ação, da mesma classe e com alto risco de resistência em alvos específicos, não devem ser utilizados em aplicações consecutivas no mesmo ciclo da cultura.
•Fazer a alternância e a rotação entre produtos de contato e produtos com modo de ação específico (sistêmicos).
•Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para orientação sobre as recomendações locais para o manejo de resistência.
•Informações sobre possíveis casos de resistência devem ser encaminhados para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (www.agricultura.gov.br).
INFORMAÇÕES SOBRE MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS / DOENÇAS:
Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado das pragas e doenças, envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle. O uso de sementes sadias, variedades resistentes, rotação de culturas, época adequada de semeadura, adubação equilibrada, inseticidas, fungicidas, manejo da irrigação e outros, visam o melhor equilíbrio do sistema.
MINISTÉRIO DA SAÚDE — AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA
2.DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DA SALDE HUMANA:
(De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana — ANVISA/MS).
INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS
3.DADOS RELATIVOS .A PROTEÇÃO DO MEIO AMBIENTE:
(De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente — IBAMA/MMA).
4.RESTRIÇÕES ESTABELECIDAS POR (MG COMPETENTE DO ESTADO, DO DISTRITO FEDERAL Ol MUNICIPAL:
De acordo com as recomendações aprovadas pelos órgãos responsáveis.
Londrina, 12 de abril de 2013.

DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DA SAÚDE HUMANA
ANTES DE USAR LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES.. PRODUTO PERIGOSO.
USE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL COMO INDICADO.-
-'Produto para-uso exclusivamente agrícola Não, coma, não ibeba e não fume durante o manuseio e aplicação do produtd
-Não manuseie 'ou aplique o produto sem. os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados.
-Os equipamentos de proteção individual (EPI) fecornendados &verti ser vestidos, na seguinte ordem: macacão, bOtas, avental, máscara, óculos, touca árabe -e luvas de nitrila.
-- Não utilize equipamentos de proteção individual (EPI) danificadds.
,
Não utilize-equipamentos coni vazamentos ou defeitos.
Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca.
- Não transporte o produto juntamente com alimentos, medicamentos, rações, animais e pessoas.
PRECAUÇÕES NA PREPARAÇÃO DA CALDA Caso ocorra contato acidental'da pessoa como produto, siga as orientações, descritas em pritniros sócorros e procure rapidamente um serviço médico de emergência.
Ao abrir a embalagem, faça-o de mOdO a evitar respingos.
Utilize equipamento de piotdção individual EPI; macacão com tratamento hidrorepelente com mangas compridas passando por cima do punho das luvas e' as pernas das calças por cinia das botas; botas de borracha; avental impermeável; máscara com filtro combinado (filtro químico contra vapores orgânicos e filtro mecânico classe P2/ ou P3 quando necessário); óculos de segurariça coro proteção lateral; touca árabe e luvas de nitrila. Manuseie o produto em local aberto e ventilado.
PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO
Evite o máxima possível o contato com a área tratadá: Não aplique o produto na presença de ventos fortes-e nas horas mais quentes do dia. 'Verifique a direção do vento e aplique de modo à não entrar na névoa do, produto. Aplique o produto somente nas doses recomendadas e observe o intervalo de segurança (intervalo de tempo entre a última aplicação e a colheita).
Utilize equipamento de proteção individual -- EPI: macacão com`tratamento hidtorepelente com mangas compridas passando por cima do punho das luvas e aspernas das calças por cima das botas; botas de borracha; .máscara com filtro combinado (filtro químico contra Vapores orgânicos e filtro mecânico classe P2/ ou, P3 quando necessáio); óculos de segurança com proteçãb lateral; touca árabe é luvas de nitrila.
PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO :
-Sinalizar a área tratada coín os dizpres: "PROIRIDA A ENTRAdA. ÁREA TRATADA" e manter os avisos ate o final do período de reentrada.
1 Caso necessite entrar na área tratada co.Y, o produto antes do término do intervalo.de reentrada, ..\
utilize os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados para o uso durante a aplicação.
Mantenha o restante do produto adequadamente fechado em sua embalagem original em local
PRECAUÇÕES GERAIS:
trancado, longe do alcance de crianças e animais.
Ames de retirar os equipamentos de proteção individual (EPI), lave as luvas ainda vestidas para evitar contaminação.
Os equipamentos de proteção individual_ (EPIs) recomendados devem ser retirados na seguinte ordem: touca árabe, óculos, avental, botas, macacão, luvas e máscara.
Tome banho imediatamente após a aplicação do produto.
Troque e lave as suas roupas de proteção separadas das demais roupas da família, ao lavar as roupas utilizar luvas e avental impermeável.
Faça a Manutenção e lavagem das equipaffientos de, proteção-após cada aplicação do produto. Fique atento ao tempo de uso dos filtros, seguindo corretamente as especificações do fabricante.
Não reutilizara embalagem vazia.
No descarte de embalagens utilize equipamento de proteção individual — EPI : Macacão com tratamento hidrorepelente, com mangas compridas, luvas de nitrila e botas de borracha.
PRIMEIROS SOCORROS: procure logo um serviço médico de, emergência levando a
embalagem, rótulo, bula e o prouto.
Ingestão: Se engolir o produto, não provoque vômito, Caso o vômito ocorra naturarmente, deite a pessoa de lado. Não dê nada para beber ou comer.
Olhos: Em caso de contato; lave com muita Água corrente durante pelo menos 15 minutos. Evite que a água de lavagem entre no outro olho.
Pele: Em caso de contato, tire a roupa contaminada e lave a pele com muita água corrente e sabão neutro.
Inalação: Se o produto for inalado respirado leve a pessoa para um local aberto e ventilado. A pessoa que ajudar deveria proteger-se da contaminação usando luvas e avental impermeáveis,por exemplo.

1. PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE:
- Este produto é:
- Altamente Perigoso ao Meio Ambiente (CLASSE I). - Muito Perigoso ao Meio Ambiente (CLASSE II). - Perigoso ao Meio Ambiente (CLASSE III).
- Pouco Perigoso ao Meio Ambiente (CLASSE IV).
I I
- Este produto é ALTAMENTE MÓVEL, apresentando alto potencial de deslocamento no solo podendo atingir principalmente águas subterrâneas. - Este produto é ALTAMENTE PERSISTENTE no meio ambiente
- Evite a contaminação ambiental - Preserve a Natureza.
- Não utilize equipamento com vazamento.
- Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes.
- Aplique somente as doses recomendadas.
- Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais coros d 'água. Evite a contaminação da água. p
- A destinação inadequada de embalagens ou restos de produtos ocasiona contaminação do solo, da água e do ar, prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas.

INFORMAÇÕES SOBRE MANEJO DE RESISTÊNCIA: Inseticidas:
A resistência de pragas a agrotóxicos ou qualquer outro agente de controle pode tornar-se problema econômico, ou seja, fracassos no controle da praga podem ser observados devido à resistência. As seguintes estratégias podem prevenir retardar ou reverter à evolução da resistência:
•Rotação de produtos com mecanismos de ação distintos, quando apropriado;
•Adotar outras táticas de controle, prevista no Manejo Integrado de Pragas (MIP) como rotação de culturas, controle biológico, controle por comportamento etc., sempre que disponível e apropriado;
•Utilizar as recomendações de dose e modo de aplicação de acordo com a bula do produto;
•Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais para o manejo de resistência e para a orientação técnica na aplicação de inseticidas;
•Informações sobre possíveis casos de resistência em insetos e ácaros devem ser encaminhados para o IRAC-BR (www.irac-br.org.br), ou para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (www.agricultura.gov.br).
Fungicidas:
Qualquer produto utilizado no controle de doenças de forma inadequada pode ficar menos efetivo ao longo do tempo devido ao desenvolvimento de resistência. O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência a Fungicidas (FRAC-BR) recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência, visando com isso prolongar a vida útil dos fungicidas e também manter sua performance:
•Fungicidas específicos com o mesmo modo de ação, da mesma classe e com alto risco de resistência em alvos específicos, não devem ser utilizados em aplicações consecutivas no mesmo ciclo da cultura.
•Fazer a alternância e a rotação entre produtos de contato e produtos com modo de ação específico (sistêmicos).
•Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para orientação sobre as recomendações locais para o manejo de resistência.
•Informações sobre possíveis casos de resistência devem ser encaminhados para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (www.agricultura.gov.br).

INFORMAÇÕES SOBRE MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS / DOENÇAS:
Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado das pragas e doenças, envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle. O uso de sementes sadias, variedades resistentes, rotação de culturas, época adequada de semeadura, adubação equilibrada, inseticidas, fungicidas, manejo da irrigação e outros, visam o melhor equilíbrio do sistema.