Bula Primóleo - Syngenta
CME MILHO (DEZ/20) US$ 3,650 (0,50%)
| Dólar (compra) R$ 5,55 (0,74%)

Bula Primóleo

Atrazina
2308794
Syngenta

Composição

Atrazina 400 g/L

Classificação

Terrestre/Aérea
Herbicida
Não Classificado
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Seletivo, Não sistêmico

Bombona 5, 10 e 20 L. Farm-pack 225, 420, 530 e 600 L. Bulk 10000 e 20000 L.
Embalagem Farm Pack polietileno 200, 500, 1000, 2000, 3000, 5000, 10000, 15000, 20000 e 25000 L.

INSTRUÇÕES DE USO

Primóleo é um herbicida seletivo à cultura do milho, recomendado para o controle na pósemergência das plantas infestantes anuais, folhas largas e Capim-marmelada, nos sistemas de plantio direto e convencional.
Principais situações de uso:
• Como tratamento básico nas infestações mistas (folhas largas, mais Capim-marmelada - Brachiaria plantaginea), onde não foi aplicado o herbicida pós-emergente.
• Como tratamento básico nas altas infestações de infestantes de folhas largas de difícil controle como: Leiteira (Euphorbia heterophylla).
• Como tratamento complementar, em áreas com teor de matéria orgânica acima de 6%, onde os herbicidas pré-emergentes têm atividade residual limitada.
• Como tratamento complementar nas eventuais reinfestações do Capim-marmelada (Brachiaria plantaginea), nas áreas de alta infestação.

MODO DE APLICAÇÃO

PRIMÓLEO deve ser aplicado na forma de pulverização com auxílio de pulverizadores terrestres convencionais, avião ou helicóptero, através de tratamento em área total, na pósemergência das infestantes e da cultura.

Na utilização do PRIMÓLEO, o usuário deverá estar atento aos itens: fatores ambientais, estádio de desenvolvimento das plantas infestantes e preparo da calda conforme descritos a seguir. Influência dos fatores ambientais nas aplicações:
Umidade relativa: Evitar aplicações com a umidade relativa do ar inferior a 60%. Horário da aplicação: Em dias ensolarados, as condições climáticas mais favoráveis à atividade pós-emergente do PRIMÓLEO são as existentes pela manhã até às 10 horas e à tarde a partir das 16 horas, períodos estes de maior umidade relativa do ar. Não há restrições em dias nublados. Seca: Evitar aplicações se o solo não estiver úmido ou quando as plantas infestantes apresentarem stress por deficiência hídrica, mesmo após uma chuva, principalmente se antecedeu um período de estiagem.
Orvalho/chuva: Retardar a aplicação até que as plantas infestantes sequem, quando ocorrer excesso de orvalho ou uma chuva.
Vento: Evitar aplicações com vento apresentando velocidade superior a 10 km/hora.
Plantas infestantes e seu estádio de controle: Folhas Estreitas: A aplicação do PRIMÓLEO deverá ser feita até o estádio de 4 folhas de Capim-marmelada (Brachiaria plantaginea), porém antes do perfilhamento. PRIMÓLEO não é recomendado para o controle de outras gramíneas.
Folhas Largas: Para as plantas infestantes recomendadas, aplicar até o estádio de 2 a 6 folhas, conforme o estádio mencionado para cada espécie. Preparo da Calda: Fazer inicialmente a pré-mistura do PRIMÓLEO num recipiente, em partes iguais do produto mais água, em seguida, despejar no tanque do pulverizador com o agitador ligado e completar o nível de água.
Informações sobre os equipamentos de aplicação: PRIMÓLEO é aplicado com equipamentos terrestres (pulverizadores costal-manual ou pressurizado e pulverizadores tratorizados adaptados com barras), utilizando-se bicos leque do tipo Teejet - 80.03; 80.04; 110.03; 110.04 ou similares, com um volume de calda de 250 a 400 L/ha. Pressão de trabalho entre 40 e 60 libras por polegada quadrada.

Aplicação aérea (aviões ou helicópteros)

Para o avião Ipanema, são recomendados os seguintes parâmetros:
- volume de calda: 40 a 50 L/ha;
- bicos: 80.15 e 80.20;
- altura do voo: 3 a 4 m;
- temperatura ambiente: até 27º C;
- umidade do ar: mínima de 70%;
- velocidade do vento: máxima de 10 km/h;
- faixa de aplicação: 15 m;
- diâmetro das gotas
Pré-emergência das plantas infestantes: maior que 400 micrômetros;
Pós-emergência das plantas infestantes: 200 a 400 micrômetros. Utilizar somente empresas e pilotos de aplicação aérea que sigam estritamente às normas e regulamentos da aviação agrícola, devidamente registrados junto ao MAPA, e que empreguem os conceitos das boas práticas na aplicação aérea dos produtos fitossanitários. Recomendamos a utilização de empresas certificadas para aplicação aérea.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Intervalo de segurança não determinado devido à modalidade de emprego.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

A reentrada na lavoura após a aplicação do produto, só deverá ocorrer quando a calda aplicada estiver seca. Caso seja necessário a reentrada na lavoura antes desse período, é necessário utilizar aqueles mesmos equipamentos de proteção individual usados durante a aplicação do produto.

LIMITAÇÕES DE USO

Utilize este produto de acordo com as recomendações em rótulo e bula. Esta é uma ação importante para obter resíduos dentro dos limites permitidos no Brasil (referência: monografia da ANVISA). No caso de o produto ser utilizado em uma cultura de exportação, verifique, antes de usar, os níveis máximos de resíduos aceitos no país de destino para as culturas tratadas com este produto, uma vez que eles podem ser diferentes dos valores permitidos no Brasil ou não terem sido estabelecidos. Em caso de dúvida, consulte o seu exportador e/ou importador. Respeite as leis federais, estaduais e o Código Florestal, em especial a delimitação de Área de Preservação Permanente, observando as distâncias mínimas por eles definidas. Nunca aplique este produto em distâncias inferiores a 30 metros de corpos d’água em caso de aplicação terrestre, e 250 metros em caso de aplicação aérea. E utilize-se sempre das Boas Práticas Agrícolas para a conservação do solo, entre elas a adoção de curva de nível em locais de declive e o plantio direto.

Fitotoxicidade para as culturas indicadas: Nas doses recomendadas, PRIMÓLEO é totalmente seletivo na cultura do milho, em qualquer estádio de desenvolvimento, porém eventual fitotoxicidade poderá ocorrer na incidência de dias nublados e temperaturas muito baixas durante a aplicação. Outras restrições a serem observadas:
- Evitar aplicar nas horas mais quentes do dia e com a umidade relativa do ar inferior a 60%.
- Não aplicar PRIMÓLEO com o solo apresentando baixo teor de umidade e plantas infestantes no estado de stress hídrico.
- Não aplicar com ventos fortes.
- PRIMÓLEO não é recomendado para o controle de outras gramíneas, com exceção do Capim-marmelada (Brachiaria plantaginea).

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Incluir outros métodos de controle de pragas dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas, quando disponível e apropriado.

O uso continuado de herbicidas com o mesmo mecanismo de ação pode contribuir para o aumento de população de plantas infestantes a ele resistentes. Como prática de manejo de resistência de plantas infestantes, deverão ser aplicados herbicidas com diferentes mecanismos de ação, devidamente registrados para a cultura. Não havendo produtos alternativos, recomenda-se a rotação de culturas que possibilite o uso de herbicidas com diferentes mecanismos de ação. Para maiores esclarecimentos, consulte um Engenheiro Agrônomo. O uso sucessivo de herbicidas do mesmo mecanismo de ação para o controle do mesmo alvo pode contribuir para o aumento da população da planta daninha alvo resistente a esse mecanismo de ação, levando a perda de eficiência do produto e um consequente prejuízo. Como prática de manejo de resistência de plantas daninhas e para evitar os problemas com a resistência, seguem algumas recomendações:
• Rotação de herbicidas com mecanismos de ação distintos do Grupo C1 para o controle do mesmo alvo, quando apropriado.
• Adotar outras práticas de controle de plantas daninhas seguindo as boas práticas agrícolas.
• Utilizar as recomendações de dose e modo de aplicação de acordo com a bula do produto.
• Sempre consultar um engenheiro agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais para o manejo de resistência e a orientação técnica da aplicação de herbicidas.
• Informações sobre possíveis casos de resistência em plantas daninhas devem ser consultados e, ou, informados à: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas (SBCPD: www.sbcpd.org), Associação Brasileira de Ação à Resistência de Plantas Daninhas aos Herbicidas (HRAC-BR: www.hrac-br.org), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA: www.agricultura.gov.br).

GRUPO C1 HERBICIDA

O produto herbicida PRIMÓLEO é composto por atrazina, que apresenta mecanismo de ação de inibição da fotossíntese, pertencente ao Grupo C1, segundo classificação internacional do HRAC (Comitê de Ação à Resistência de Herbicidas).