Bula Progibb 400

acessos
Ácido giberélico
11912
Sumitomo

Composição

Ácido giberélico 400 g/kg Giberelina

Classificação

Regulador de crescimento
III - Medianamente tóxico
IV - Produto pouco perigoso ao meio ambiente
Não inflamável
Não corrosivo
Granulado Dispersível (WG)
Regulador de crescimento
Arroz Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Regulador de crescimento
(Regulador de crescimento)
5 g p.c./100 kg de sementes 1 L de calda/100 Kg de sementes - Fazer uma única aplicação. Não determinados devido à sua ocorrência natural em culturas alimentares. Aplicar em tratamento das sementes
Azevém Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Regulador de crescimento
(Regulador de crescimento)
20 a 40 g.p.c./ha 100 L de calda/ha - Recomenda-se fazer 3 aplicações. Não determinados devido à sua ocorrência natural em culturas alimentares. A primeira aplicação deve ser feita quando a cultura estiver com 8 a 10 cm de altura em estágio de elongação, a segunda aplicação deve ser realizada quando as plantas atingirem 15 cm de altura e a terceira aplicação deve ser feita quando as plantas atingirem 10 cm de altura
Banana Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Regulador de crescimento
(Regulador de crescimento)
3,75 g p.c. / L de calda 1 L de água - Fazer uma única aplicação do produto através de pincelamento da coroa das pencas na solução. Não determinados devido à sua ocorrência natural em culturas alimentares. Logo após a colheita e limpeza dos frutos
Regulador de crescimento
(Regulador de crescimento)
375 g p.c./100 L 100 L de água - Fazer uma única aplicação do produto através da imersão da coroa das pencas na solução. Não determinados devido à sua ocorrência natural em culturas alimentares. Logo após a colheita e limpeza dos frutos
Batata Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Regulador de crescimento
(Regulador de crescimento)
2,5 g p.c. / 100 kg de tubérculos 2 L de calda/100 kg tubérculos - Fazer uma única aplicação. Não determinados devido à sua ocorrência natural em culturas alimentares. Aplicar na fase de quebra de dormência antes do plantio
Cana-de-açúcar Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Regulador de crescimento
(Regulador de crescimento)
7,5 g p.c./ha 200 L de calda/ha 30 a 40 L de calda/ha (aéreo) Fazer uma única aplicação. Não determinados devido à sua ocorrência natural em culturas alimentares. Aplicar a partir de 70 dias após o plantio da cana-de-açúcar (1º internódio formado) até no máximo a formação do 3° internódio. Adicionar 0,25% (v/v) de espalhante adesivo não iônico à calda de pulverização
Laranja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Regulador de crescimento
(Regulador de crescimento)
6,25 g p.c./100 L de água 5 a 20 L de calda/ha - Fazer uma única aplicação. Não determinados devido à sua ocorrência natural em culturas alimentares. Aplicar quando os frutos ainda estão verdes. Adicionar 0,1% de espalhante adesivo não iônico
Limão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Regulador de crescimento
(Regulador de crescimento)
10 g p.c./100 L de água 100 L de água - Fazer uma única aplicação. Não determinados devido à sua ocorrência natural em culturas alimentares. Imersão dos frutos logo após a colheita em solução por 30 segundos
Milho Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Regulador de crescimento
(Regulador de crescimento)
5 g p.c./100 kg de sementes 1 L de calda/100 Kg de sementes - Fazer uma única aplicação. Não determinados devido à sua ocorrência natural em culturas alimentares. Aplicação em tratamento das sementes
Regulador de crescimento
(Regulador de crescimento)
20 a 40 g p.c./ha 200 L de calda/ha - Fazer uma única aplicação. Não determinados devido à sua ocorrência natural em culturas alimentares. Aplicar via foliar no estádio V4
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Regulador de crescimento
(Regulador de crescimento)
3,75 a 6,25 g.p.c./ha 150 a 200 L de calda/ha 30 a 40 L de calda/ha (aéreo) Devem ser feitas duas aplicações durante o ciclo da cultura. Não determinados devido à sua ocorrência natural em culturas alimentares. A primeira aplicação deve ser feita quando a cultura estiver em estágio R1 (início da floração, até 50% das plantas com flor) e a segunda aplicação 7 a 10 dias após a primeira
Trigo Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Regulador de crescimento
(Regulador de crescimento)
7,5 g p.c./100 kg de sementes 1 L de calda/100 Kg de sementes - Fazer uma única aplicação. Não determinados devido à sua ocorrência natural em culturas alimentares. Aplicação em tratamento das sementes
Uva Crimson Seedless Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Regulador de crescimento
(Regulador de crescimento)
1,25 g p.c./100 L de água 600 L de calda/ha - Fazer 2 aplicações. Não determinados devido à sua ocorrência natural em culturas alimentares. Para aumentar o tamanho das bagas fazer a primeira aplicação deve ser realizada quando as bagas tiverem entre 6 e 8 mm de diâmetro e a segunda quando as bagas tiverem entre 10 e 12 mm de diâmetro. Adicionar 0.2% v/v de espalhante adesivo não iônico à calda de pulverização
Uva Festival Seedless Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Regulador de crescimento
(Regulador de crescimento)
2,5 a 3,75 g p.c./100 L de água 600 L de calda/ha - Fazer 2 aplicações. Não determinados devido à sua ocorrência natural em culturas alimentares. Para aumentar o tamanho das bagas fazer a primeira aplicação deve ser realizada quando as bagas tiverem entre 6 e 8 mm de diâmetro, com a dosagem de 25 g p.c./100 L de água, e a segunda quando as bagas tiverem entre 10 e 12 mm de diâmetro, com a dosagem de 3,75 g p.c./100 L de água. Adicionar 0.2% v/v de espalhante adesivo não iônico à calda de pulverização
Uva ltália Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Regulador de crescimento
(Regulador de crescimento)
6,25 g p.c./100 L de água 600 L de calda/ha - Fazer 2 aplicações. Não determinados devido à sua ocorrência natural em culturas alimentares. Para aumentar o tamanho das bagas fazer a primeira aplicação deve ser realizada quando as bagas tiverem 8 mm de diâmetro e a segunda quando as bagas tiverem entre 24 e 26 mm de diâmetro. Adicionar 0.2% v/v de espalhante adesivo não iônico à calda de pulverização
Uva Thompson Seedless Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Regulador de crescimento
(Regulador de crescimento)
2,5 g p.c./100 L de água 400 L de calda/ha - Fazer 2 aplicações para alongamento dos cachos. Não determinados devido à sua ocorrência natural em culturas alimentares. Para alongamento dos cachos aplicar logo após a poda e quando os cachos tiverem de 5 a 10 cm de comprimento. Adicionar 0.2% v/v de espalhante adesivo não iônico à calda de pulverização
Regulador de crescimento
(Regulador de crescimento)
3,75 g p.c./100 L de água 600 L de calda/ha - Fazer 4 aplicações. Não determinados devido à sua ocorrência natural em culturas alimentares. Para raleio a primeira aplicação deve ser feita com a caliptra aberta e as próximas sempre dois dias após a anterior. Adicionar 0.2% v/v de espalhante adesivo não iônico à calda de pulverização
Regulador de crescimento
(Regulador de crescimento)
7,5 a 10 g p.c./100 L de água 600 L de calda/ha - Fazer 4 aplicações. Não determinados devido à sua ocorrência natural em culturas alimentares. Para aumentar o tamanho das bagas fazer a primeira aplicação quando as bagas tiveram 4 – 5 mm de diâmetro e a segunda três dias após, com a dosagem de 7,5 g p.c./100 L de água. A terceira e a quarta aplicações três dias após as anteriores respectivamente, com a dosagem de 10 g p.c./100 L de água. Adicionar 0.2% v/v de espalhante adesivo não iônico à calda de pulverização

Saco plástico - 25 g (contendo 10 saquinhos com 2,5g cada), 50 g (contendo 20 saquinhos com 2,5g cada), 100 g, 200 g, 250g, 500 g, 1 kg, 1,5 kg, 2kg, 3kg, 5 kg, 10 kg e 15 kg.
Saco Metalizado - 25 g (contendo 10 saquinhos com 2,5g cada), 50 g (contendo 20 saquinhos com 2,5g cada), 100 g, 200g,250g,500g,l kg, l,S kg, 2 kg, 3 kg, 5 kg, 10 kg e 15 kg.
Saco de papel - 25 g (contendo 10 saquinhos com 2,5g cada), 50 g (contendo 20 saquinhos com 2,5g cada), 100 g, 200 g, 250 g, 500 g, 1 kg, 1,5 kg, 2 kg, 3 kg, 5 kg, 10 kg e 15 kg
Bombona Plástica - 3 kg, 5 kg, 10 kg e 15 kg
Envelope de papel - 25 g (contendo 10 saquinhos com 2,5g cada), 50g (contendo 20 saquinhos com 2,5g cada), 100 g, 200 g e 250 g.
Frasco Plástico - 100 g, 200 g, 250 g, 500 g, 1 kg, 1,5 kg e 2 kg
Saco (Plástico) - 250g
Saco (Metalizado) - 250g
Saco (Papel) - 250g
Saco (Plástico) - 250g (contendo 20 saquinhos de 12,5g cada)
Saco (Metalizado) - 250g (contendo 20 saquinhos de 12,5g cada)
Saco (Papel) - 250g (contendo 20 saquinhos de 12,5g cada)
Emvelope (Papel) - 250g (contendo 20 saquinhos de 12,5g cada)
Caixa (Pepelão) - 250g (contendo 20 saquinhos de 12,5g cada)
Caixa de papelão - 25 g (contendo 10 saquinhos com 2,5g cada), 50 g (contendo 20 saquinhos com 2,5g cada), 100g e 200g.

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO:

ARROZ, MILHO e TRIGO (tratamento de sementes): Fazer uma única aplicação no tratamento das sementes.

AZEVÉM (pastagem): Recomenda-se fazer 3 aplicações, sendo que a primeira deve ser feita quando a cultura estiver com 8 a 10 cm de altura em estágio de elongação (ESTÁGIO 30 da escala BBCH (Weber, 2001)). A segunda aplicação deve ser realizada quando as plantas atingirem 15 cm de altura. Após a segunda aplicação, deve ser realizado o primeiro corte quando as plantas atingirem 30 cm de altura. A terceira aplicação deve ser feita quando as plantas atingirem 10 cm de altura. O segundo corte deve ser realizado quando as plantas atingirem 30 cm de altura.

BANANA: Logo após a colheita e limpeza dos frutos, fazer uma única aplicação do produto através de pincelamento da coroa das pencas ou imersão das mesmas na solução contendo ProGibb 400 na dosagem recomendada.

BATATA: Uma única aplicação na fase de quebra de dormência antes do plantio.

CANA-DE-AÇÚCAR: Fazer uma única aplicação, a partir de 70 dias após o plantio da cana-de-açúcar (1º internódio formado) até no máximo a formação do 3º internódio.

LARANJA: Fazer uma única aplicação. O momento ideal de aplicação é quando os frutos ainda estão verdes e não atrativos ao ataque da mosca-das frutas (Anastrepha fraterculus e Ceratitis capitata).

LIMÃO TAHITI: Uma única aplicação, logo após a colheita dos frutos para controlar a maturação dos frutos, retardando o aparecimento da coloração amarela.

MILHO (aplicação foliar): Deve ser realizada uma única aplicação durante o ciclo da cultura no estádio V4 (quando 50% das plantas do talhão estiverem com 4 folhas completamente desenvolvidas). Doses maiores devem ser empregadas na medida em que se aumenta a expectativa de produtividade da cultura, de acordo com o nível tecnológico de produção adotado.

SOJA: Devem ser feitas duas aplicações durante o ciclo da cultura, sendo a primeira aplicação quando a cultura estiver em estágio R1 (início da floração, até 50% das plantas com flor) e a segunda aplicação 7 a 10 dias após a primeira.

UVAS:

• VARIEDADES SEM SEMENTES (Thompson seedless, Festival seedless, Crimson seedless)

Thompson seedless: Adicionar 0,2% v/v de espalhante adesivo não iônico à calda de pulverização.

Para alongamento dos cachos:

Fazer 2 aplicações utilizando 2,5 gramas de ProGibb 400 / 100 Litros de água (por aplicação), nas épocas abaixo:
1ª - Logo após a poda, brotos com 15-20 cm de comprimento.
2ª - Cachos com 5 a 10 cm de comprimento.

Para raleio (redução da densidade de bagas no cacho):

Fazer 4 aplicações conforme épocas e doses abaixo:
1ª - Primeiro cacho com caliptra aberta. Dose: 3,75 gramas de ProGibb 400 / 100 Litros de água.
2ª - Dois dias após a aplicação anterior. Dose: 3,75 gramas de ProGibb 400 / 100 Litros de água.
3ª - Dois dias após a aplicação anterior. Dose: 3,75 gramas de ProGibb 400 / 100 Litros de água.
4ª - Dois dias após a aplicação anterior. Dose: 3,75 gramas de ProGibb 400 / 100 Litros de água.

Para aumentar o tamanho das bagas:

Fazer 4 aplicações conforme épocas e doses abaixo:
1ª - Primeiro cacho com bagas de 4-5 mm de diâmetro. Dose: 7,50 gramas de ProGibb 400 / 100 L d’água.
2ª - Três dias após a aplicação anterior. Dose: 7,50 gramas de ProGibb 400 / 100 Litros de água.
3ª - Três dias após a aplicação anterior. Dose: 10,0 gramas de ProGibb 400 / 100 Litros de água.
4ª - Três dias após a aplicação anterior. Dose: 10,0 gramas de ProGibb 400 / 100 Litros de água.
Festival seedless: Adicionar 0,2% v/v de espalhante adesivo não iônico à calda de pulverização.

Para aumentar o tamanho das bagas:

Fazer 2 aplicações conforme épocas e doses abaixo:
1ª - Bagas com 6-8 mm de diâmetro. Dose: 2,5 gramas de ProGibb 400 / 100 Litros de água.
2ª - Bagas com 10-12 mm de diâmetro. Dose: 3,75 gramas de ProGibb 400 / 100 Litros de água.
Crimson seedless: Adicionar 0,2% v/v de espalhante adesivo não iônico à calda de pulverização.

Para aumentar o tamanho das bagas:

Fazer 2 aplicações conforme épocas e doses abaixo:
1ª - Bagas com 6-8 mm de diâmetro. Dose: 1,25 gramas de ProGibb 400 / 100 Litros de água.
2ª - Bagas com 10-12 mm de diâmetro Dose: 1,25 gramas de ProGibb 400 / 100 Litros de água.

• VARIEDADES COM SEMENTES

Itália: Adicionar 0,2% v/v de espalhante adesivo não iônico à calda de pulverização.
Para aumentar o tamanho das bagas:
Fazer 2 aplicações conforme épocas e doses abaixo:
1ª - Bagas com 8 mm de diâmetro. Dose: 6,25 gramas de ProGibb 400 / 100 Litros de água.
2ª - Bagas com 24-26 mm de diâmetro. Dose: 6,25 gramas de ProGibb 400 / 100 Litros de água.

MODO DE APLICAÇÃO

PULVERIZAÇÃO FOLIAR:

AZEVÉM, CANA-DE-AÇÚCAR, MILHO e SOJA: para o preparo da calda, inicialmente diluir a quantidade necessária do PROGIBB 400 em um tanque auxiliar contendo água limpa. Em seguida, encher o reservatório do pulverizador até a metade da capacidade do tanque. Adicionar a solução preparada ao tanque do pulverizador e completar com água limpa, mantendo o agitador do pulverizador em funcionamento. Utilizar espalhante adesivo não iônico na proporção 0,25% v/v para a cultura da cana-de-açúcar; e na proporção 0,1% v/v para as culturas milho e soja. Aplicar a calda imediatamente após o preparo.

Equipamentos para pulverização foliar:

• Terrestre (AZEVÉM, CANA-DE-AÇÚCAR, MILHO e SOJA): aplicar PROGIBB 400 com pulverizador tratorizado de barra ou costal manual, utilizando bicos de jato leque que produzam gotas de diâmetro adequado. O volume de calda recomendado é de 100 a 200 L/ha. É importante que se consiga boa cobertura de toda a planta. O sistema de agitação do produto no interior do tanque deve ser mantido em funcionamento durante toda a aplicação. Não sobrepor as faixas de aplicação.

• Aéreo (CANA-DE-AÇÚCAR e SOJA): PROGIBB 400 deve ser aplicado com um volume de calda de 20 a 40 L/ha. Para um volume de aplicação de 20 L/ha, aplicar através de aeronaves agrícolas dotadas de barra com bicos tipo cônico ou com bicos rotativos. A altura de voo, largura da faixa de deposição efetiva e volume de calda deve ser de acordo com o bico utilizado. Não sobrepor as faixas de aplicação.

LARANJA: Utilizar equipamento pulverizador tipo turbo-atomizador, ou pistola, equipado com bicos apropriados, devendo-se calibrar o equipamento para gastar o volume de calda suficiente para dar cobertura uniforme em toda a parte aérea das plantas até o ponto de escorrimento da calda. O volume de calda pode variar dependendo do tamanho das árvores, densidade de plantio, variedades e idade das plantas. Adicionar 0,1% v/v de espalhante adesivo não iônico em 100 litros de água uniformemente na copa das árvores, até os frutos atingirem o ponto de escorrimento.
• Aplicação com PISTOLA
Pressão: 100 a 300 lb/pol2
Aplicação: 5 a 20 litros de calda por planta, de acordo com a idade e tamanho da copa.
• Aplicação com TURBO ATOMIZADOR
Pressão: 300 lb/pol2
Bicos: JD.2 no meio e JD.3 nas extremidades
Aplicação: 5 a 20 litros de calda por planta, de acordo com a idade e tamanho da copa.
O jato de aplicação deve ser direcionado aos frutos aplicando-se até o ponto de escorrimento.

UVAS:

• VARIEDADES SEM SEMENTES (Thompson seedless, Festival seedless, Crimson seedless) E VARIEDADES COM SEMENTES (Itália): as plantas devem ser pulverizadas com pulverizador tratorizado ou costal, com pressão constante de 40 kgf/cm2, com bico de pontas de jato cone oco - JA1 ou equivalente, pulverizando toda a parte aérea das plantas proporcionando uma cobertura completa e uniforme com volume de calda especificado acima para cada época de aplicação.
Obs.: Seguir corretamente as instruções da bula e sempre consultar um Engenheiro Agrônomo.

Condições Climáticas: Devem ser respeitadas as condições de velocidade do vento de 3 a 15 km/h, temperatura inferior a 30°C e umidade relativa superior a 55%, visando reduzir ao máximo as perdas por deriva e evaporação. Não realizar aplicações em condições de inversão térmica e de correntes ascendentes. Não aplicar se houver rajadas de vento ou em condições sem vento.

CUIDADOS NA LIMPEZA DO PULVERIZADOR:

Antes de aplicar PROGIBB 400, verifique se todo o equipamento de aplicação está limpo e bem cuidado.
O tanque de pulverização, bem como as mangueiras, filtros e bicos devem ser limpos para garantir que nenhum resíduo de produto de pulverização anterior permaneça no pulverizador.
Antes de aplicar o PROGIBB 400, o pulverizador deve ser limpo de acordo com as instruções do fabricante do último produto utilizado.

TRATAMENTO DE SEMENTES:

Utilizar máquina de tratamento de sementes. Estas máquinas já vêm equipadas com rosca sem fim e compartimento dosador para receber a solução.
Preparo da solução:
• ARROZ e MILHO: em 1,0 litro de água adicionar 5,0 gramas de PROGIBB 400.

• TRIGO: em 1,0 litro de água adicionar 7,5 gramas de PROGIBB 400.

Esta quantidade de solução é suficiente para tratar 100 kg de sementes.
OBS.: Obedecer à profundidade de plantio recomendada para a região e para a variedade selecionada.

OUTRAS MODALIDADES DE APLICAÇÃO:

BANANA:

Pincelamento: Diluir 3,75 gramas de ProGibb 400 em um (1) litro de água e aplicar com pincel, na região do corte, na coroa da penca.
Imersão: As pencas devem ser mergulhadas - por 3 minutos - em tanque contendo solução de 375 gramas de ProGibb 400 em 100 litros de água e depois colocadas para secar à sombra.

BATATA:
Micro aspersão: Para tratamento dos tubérculos em micro aspersão, utilizar equipamento costal pressurizado com CO2 ou costal manual, ou outro equipamento, acoplado com bico XR Teejet 110.01 com pressão de trabalho de 30 lb/pol2 gastando-se volume de calda de 2,0 litros/100 kg de batata semente.
Após a aplicação dos produtos, os tubérculos devem ser secos em local coberto (sombra) e ventilado à temperatura ambiente.

LIMÃO TAHITI: Para o tratamento dos frutos de limão, em imersão, diluir a quantidade de produto recomendado em uma caixa plástica ou caixa de água e as frutas devem ser mergulhadas por 30 segundos e depois colocadas para secar à sombra. A solução no tanque deve ser mantida sempre com a concentração de 10 gramas de ProGibb 400 em 100 litros de água.


INTERVALO DE SEGURANÇA:
Arroz ............................................................................ (1)
Azevém ....................................................................... (1)
Banana ........................................................................ (1)
Batata .......................................................................... (1)
Cana-de-açúcar ........................................................... (1)
Citros (Laranja e Limão Tahiti) .................................... (1)
Milho (aplicação foliar e tratamento de sementes) ...... (1)
Soja ............................................................................. (1)
Trigo ............................................................................ (1)
Uva .............................................................................. (1)
(1) - não determinado devido à sua ocorrência natural em culturas alimentares.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:

(De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS).

LIMITAÇÕES DE USO:

Os usos do produto estão restritos aos indicados no rótulo e bula.
Quando este produto for utilizado nas doses recomendadas, não causará danos às culturas indicadas.
Compatibilidade: não se recomenda a mistura de ProGibb 400 com outros produtos.

INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL A SEREM UTILIZADOS:

VIDE DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DA SAÚDE HUMANA, conforme Avaliação Toxicológica da ANVISA, para cada processo.

INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO A SEREM USADOS:
Vide modo de aplicação.

DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TRÍPLICE LAVAGEM DA EMBALAGEM OU TECNOLOGIA EQUIVALENTE:

VIDE DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DO MEIO AMBIENTE.

INFORMAÇÕES SOBRE OS PROCEDIMENTOS PARA A DEVOLUÇÃO, DESTINAÇÃO, TRANSPORTE, RECICLAGEM, REUTILIZAÇÃO E INUTILIZAÇÃO DAS EMBALAGENS VAZIAS:

VIDE DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DO MEIO AMBIENTE.

INFORMAÇÕES SOBRE OS PROCEDIMENTOS PARA A DEVOLUÇÃO E DESTINAÇÃO DE PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:

VIDE DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DO MEIO AMBIENTE.

MINISTÉRIO DA SAÚDE — AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA

DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DA SAÚDE HUMANA

ANTES DE USAR LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES.

USE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL COMO INDICADO.

PRECAUÇÕES GERAIS:
Produto para uso exclusivamente agrícola.
Não coma, não beba e não fume durante o manuseio e aplicação do produto.
Não manuseie ou aplique o produto sem os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados. Os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados devem ser vestidos na seguinte ordem: macacão, botas, avental, máscara, óculos, touca árabe e luvas de nitrila.
Não utilize equipamentos de proteção individual (EPI) danificados.
Não utilize equipamentos com vazamentos ou defeitos.
Não desentupa bicos, orificios e válvulas com a boca.
Não transporte o produto juntamente com alimentos, medicamentos, rações, animais e pessoas.

PRECAUÇÕES NA PREPARAÇÃO DA CALDA:
Caso ocorra contato acidental da pessoa com o produto, siga as orientações descritas em primeiros socorros e procure rapidamente um serviço médico de emergência.
Ao abrir a embalagem, faça-o de modo a evitar dispersão de poeira.
Utilize equipamento de proteção individual- EPI: macacão com tratamento hidrorepelente com mangas compridas passando por cima do punho das luvas e as pernas das calças por cima das botas; botas de borracha; avental impermeável; máscara com filtro Mecânico classe P2 (ou.P3 quando necessário; óculos de segurança com proteção lateral; touca árabe e luvas de nitrila.

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO:
- Evite o máximo possível o contato com a área tratada.
-Não aplique o produto na presença de ventos fortes e nas horas mais quentes do dia, de modo a evitar que o aplicador entre na névoa de produto.
- Aplique o produto somente nas doses recomendadas.
-Utilize equipamento de proteção individual - EPI: macacão com tratamento hidrorepelente com mangas compridas passando por cima do punho das luvas é as pernas das calças por cima das botas; botas de borracha; máscara com filtro mecânico classe P2 (ou P3 quando necessário); óculos de segurança com proteção lateral; touca árabe e luvas de nitrila

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO
- Quando realizar a aplicação foliar do produto, sinalizar a área tratada com os dizeres: "PROIBIDA A ENTRADA. ÁREA TRATADA" e manter os avisos até o final do período de reentrada
-Caso necessite entrar na áreítratada com q produto antes do término do intervalo de reentrada, utilize os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados para o uso durante a aplicação.
Mantenha o restante do produto adequadamente fechado em sua embalagem original em local trancado, longe do alcance de crianças e animais.
Antes de retirar os equipamentos de proteção individual (EPI), lave as luvas ainda vestidas para evitar contaminação.
Os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados devem ser retirados na seguinte ordem: touca árabe, óculos, avental, botas, macacão, luvas e máscara.
Tome banho imediatamente após a aplicação do produto.
Troque e lave as suas roupas de proteção separado das demais roupas da família. Ao lavar as roupas utilizar luvas e avental impermeável.
Faça a manutenção e lavagem dos equipamentos de proteção após-cada aplicação do produto
-Fique atento ao tempo de uso dos filtros, seguindo corretamente as especificações.
Manuseie o produto em local aberto e ventilado.
Não reutilizar a embalagern vazia. No descarte de embalagens utilize equipamento de proteção individual - EPI: macacão co tratamento hidrorepelente corn mangas compridas, luvas de nitrila e botas de borracha.

PRIMEIROS SOCORROS: procure logo um serviço médico de emergência levando a embalagem,
rótulo, bula efou receituário agronômico da produto.
Ingestão: Se engolir o produto, não provoque vômito. Caso o vômito ocorra naturahnente, deite a pessoa
de lado. Não dê nada para beber ou comer.
Olhos: Em caso de contato, lave com muita água corrente durante pelo menos 15 minutos. Evite que a
água de lavagem entre'no outro olho.
Pele: Em caso de contato, tire a roupa contaminada e lave a pele com muita água corrente e sabão neutro. Inalação: Se o produto for inalado erespirado"), leve a pessoa para tun local aberto e ventilado.
A pessoa que ajudar deveria proteger-se da contaminação usando luvas e avental impermeáveis, por
exemplo.

- INTOXICAÇÕES POR ÁCIDO GIBERÉLICO (Gibberellic Acid) - Informações Médicas

GRUPO QUÍMICO: Giberelina
VIAS DE EXPOSIÇÃO: Oral, dérmica, ocular e inalatória
MECANISMOS DE TOXIDADE: Ë um potente hormônio.de crescimento de plantas, encontrado naturalmente em plantas.
SINTOMAS E SINAIS CLÍNICOS: Os dados de intoxicação em humanos são muito limitados.
Os dados provêm de estudos com animais.
Toxicidade aguda: toxicidade sistêmica é improvável a menos que grandes quantidades tenham sido ingeridas. Pode produzir:
DÉRMICA: Irritação; sensibilização
OCULAR: Irritação
INALATÓRIA: Irritação: tosse e dispinéia
ORAL: Náuseas, vômitos, diarréia, cefaléia, confusão e depleção de eletrólitos
Toxicidade crônica: em estudos de toxicidade subcrônica em ratos foram observados efeitos quando da administração de doses extremamente altas (superióres a 2000mg/Kg/dia p.c.). Foram relatados efeitos sobre os rins (aumento nos níveis de ureia e aumento de peso dos rins), decréscimo nos níveis de globulina e glicose sérica, diminuição da ingestão aliméntar e peso corporal, aumento de peso relativo de alguns órgãos (cérebro, rins e testículos).
DIAGNÓSTICO: O diagnóstico é estabelecido pela confirmação da exposição e de quadro clínico compatível.
•Obs.: Em se apresentando mais e sintomas indicativos de' intoxicação aguda, trate o paciente imediatamente.
TRATAMENTO: Antídoto: não há antídoto específico.
Tratamento: as medidas gerais são orientadas à remoção da fonte de exposição, descontaminação do paciente, proteção das vias respiratórias, prevenção de aspiração de conteúdo gástrico, tratamento sintomático e de suporte. Evitar o contato com os olhos, pele 'e roupas contaminadas.
O tratamento é o de substâncias tóxicas em geral.
Exposição Oral:'
1. Lavagem gástrica: na maioria dos casos não é necessário.
I. Considere logo após ingestão de uma grande quantidade do produto (até 1 hora). Proteger as vias aéreas em posição de Trendelenburg e decúbito lateral esquerdo ou por intubação endotraqueal.
.2. Contra-indicações: perda de reflexos protetores das vias respiratórias ou alteração de consciência em pacientes não-intubados; corrosivos e hidrocarbonetos; risco de hemorragia ou perfuração gastrointestinal.
•Carvão ativado: se liga à maioria dos agentes tóxicos e pode diminuir a
absorção sistêmica deles, se administrado logo após a ingestão (1 h)
I. Dose: suspensão (240 ml de água/30 g de carvão). Dose: 25 a 100 g em
adultos, 25 a 50 g em crianças de (1-12)a e 1 g/kg em < I a;
•Não provocar vômito, caso ocorra espontaneamente não deve ser evitado; deitar o paciente de lado para evitar que aspire resíduos.
•Fluidos intravenosos e monitorização laboratorial. Exposição Inalatória: Descontaminação: Remova o paciente para um local arejado. Se ocorrer tosse ou 'dispnéia, avalie quanto a irritações, bronquite ou pneumonia. Administre oxigênio e auxilie na ventilação, se necessário. Trate broncoespasmos com I32-agonistas via inalatória e corticosteróides via oral ou parenteral.
Explosieão Ocular: Descontaminação: Lave os olhos expostos com quantidades copiosas de água ou salina ao 0,9%, à temperatura ambiente, por pelo menos 15 minutos. Se a irritação, dor, inchaço, lacrimejamento bu fotofobia persistirem, encaminhar o paciente para o especialista.
Exposição Dérmica: Descontaminação: Remova as roupas contaminadas e lave a área exposta com' abundante água e sabão. Encaminhar o paciente para o especialista caso a irritação ou dor persistirem.
CUIDADOS para os prestadores de primeiros socorros:
•EVITAR aplicar respiração boca-boca em caso de ingestão do produto; usar equipamento de reanimação manual (Ambú).
•Usar equipamentos de PROTEÇÃO: para evitar contato cutâneo, ocular e inalatório com o produto.
CONTRA-INDICAÇÕES: A indução do vômito é contra-indicada em razão do risco de aspiração e de pneumonite química.
EFEITOS SINÉRGICOS: Não .se conhecem informações a respeito de efeitos aditivos, sinérgicos e/ou potencializadores relacionados ao produto.
ATENÇÃO: Ligue para o Disque-Intoxicação: 0800-722-6001 para notificar o caso e obter
•informações especializadas sobre o diagnóstico e tratamento Rede Nacional de Centros de Informação e Assistência Toxicológica RENACIAT — ANVISA/MS
Notifique ao sistema de informação de agravos de notificação (SINAN/MS)
Telefone de Emergência da empresa: 0800 141 149

Efeitos apodos e crônicos para animais de laboratório: - DL50 oral > 5.000 mg/Kg
- DL,50 dérmica > 5.000 mg/Kg
inalatória (4h) > 2,269 mg/L
- Irritação dérmica: Foi observada leve irritação dérmica reversível em 48 horas
- Irritação ocular: A irritação ocular foi reversível em 72 horas.

Sensibilização cutânea: não-sensibilizante.

Efeitos crônicos: Vide item Sinais e Sintomas Clínicos no quadro acima.

1. PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE
Este produto é:

- (X) POUCO PERIGOSO AO MEIO AMBIENTE (CLASSE IV)
Evite a contaminação ambiental - Preserve a Natureza.
Não utilize equipamentos com vazamentos. Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes.
Aplique somente as doses recomendadas.
Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Evite a
contaminação ambiental.
A destinação inadequada de embalagens ou restos de produtos ocasiona a contaminação do solo, da água e do ar, prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas.

2.INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E
PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES:

- Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada.
O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidos, rações
ou outros materiais.
A construção deve ser de alvenaria ou de material não combustível.
O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável.
Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO.
Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças.
Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis, para envolver embalagens rompidas ou para
o recolhimento de produtos vazados.
Em caso de armazéns, deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843 da Associação
Brasileira de Normas Técnicas - ABNT.
Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.

3.INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES

Isole e sinalize a área contaminada.
Contate as autoridades locais competentes e a Empresa SUMITOMO CHEMICAL DO BRASIL
REPRESENTAÇÕES LTDA. - Telefone de Emergência: 0800-111767.
Utilize equipamento de proteção individual - EPI (macacão impermeável, luvas e botas de borracha,
óculos protetores e máscara com filtros).
Em caso de derrame, estanque o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos
ou corpos d'água. Siga as instruções abaixo:
•Piso pavimentado - absorva o produto com serragem ou areia, recolha o material com o auxílio de
uma pá e coloque em recipiente lacrado e identificado devidamente. O produto derramado não deverá mais ser utilizado. Neste caso, consulte o registrante, através do telefone indicado no rótulo
para sua devolução final;
•Solo - retire as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado, recolha esse
material e coloque em um recipiente lacrado e devidamente identificado. Contate a empresa
registrante conforme indicado acima.
•Corpos d'água - interrompa imediatamente a captação para o consumo humano ou animal, contate
o órgão ambiental mais próximo e o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do corpo hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido.
Em caso de incêndio, use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

PROCEDIMENTOS DE LAVAGEM, ARMAZENAMENTO, DEVOLUÇÃO, TRANSPORTE E DESTINAÇÃO DE EMBALAGENS VAZIAS E RESTOS DE PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:

EMBALAGEM RÍGIDA LAVÁVEL
- LAVAGEM DA EMBALAGEM
Durante o procedimento de lavagem o operador deverá estar utilizando os mesmos EPI's -Equipamentos de Proteção Individual - recomendados para o preparo da calda do produto.

•Tríplice Lavagem (Lavagem Manual)
- Esta embalagem deverá ser submetida ao processo de Tríplice Lavagem, imediatamente após o seu esvaziamento, adotando-se os seguintes procedimentos:
- Esvazie completamente o conteúdo da embalagem no tanque do pulverizador, mantendo-a na posição vertical durante 30 segundos;
- Adicione água limpa à embalagem até um quarto do seu volume;
- Tampe bem a embalagem e agite-a, por 30 segundos; - Despeje a água de lavagem no tanque pulverizador;
- Faça esta operação três vezes;
- Inutilize a embalagem plástica ou metálica perfurando o fundo.

•Lavagem sob Pressão:
Ao utilizar pulverizadores dotados de equipamentos de lavagens sobre pressão seguir os seguintes
procedimentos:
- Encaixe a embalagem vazia no local apropriado do funil instalado no pulverizador;
- Acione o mecanismo para liberar o jato de água;
- Direcionar o jato de água para todas as paredes internas da embalagem, por 30 segundos;
- A água de lavagem deve ser transferida para o tanque do pulverizador;
- Inutilize a embalagem plástica ou metálica, perfurando o fundo.
Ao utilizar e. tu lamento independente para lavagem sob pressão adotar os seguintes procedimentos: Imediatamente após o esvaziamento do conteúdo original da embalagem, mantê-la invertida sobre a boca do tanque de pulverização, em posição vertical, durante 30 segundos;
Manter a embalagem nessa posição, introduzir a ponta do equipamento de lavagem sob pressão, direcionando o jato de água para todas as paredes internas da embalagem, por 30 segundos;
Toda água de lavagem é dirigida diretamente para o tanque do pulverizador;
Inutilize a embalagem plástica ou metálica, perfurando o fundo.

ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA
Após a realização da Tríplice Lavagem ou Lavagem Sob Pressão, esta embalagem deve ser armazenada com tampa, em caixa coletiva, quando existente, separadamente das embalagens não lavadas.
O armazenamento das embalagens vazias, até sua devolução pelo usuário, deve ser efetuado em local coberto, ventilado, ao abrigo de chuva e com piso impermeável, ou no próprio local onde guardadas as embalagens cheias.

- DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA
No prazo de até um ano da data da compra, é obrigatória a devolução da embalagem vazia, com tampa, pelo usuário, ao estabelecimento onde foi adquirido o produto ou no local indicado na nota fiscal, emitida no ato da compra.
Caso o produto não tenha sido totalmente utilizado nesse prazo e ainda estiver dentro de seu prazo de validade, será facultada a devolução da embalagemem até 6 meses após o término do prazo de validade.
O usuário deve aguardar o comprovante de devolução para efeito de fiscalização, pelo prazo mínimo de um ano após a devolução da embalagem vazia.

- TRANSPORTE
As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas,
medicamentos, rações, animais e pessoas.

EMBALAGEM FLEXÍVEL
- ESTA EMBALAGEM NÃO PODE SER LAVADA

ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA
O armazenamento da embalagem vazia, até sua devolução pelo usuário, deve ser efetuado em local coberto, ventilado, ao abrigo de chuva e com piso impermeável, no próprio local onde são
guardadas as embalagens cheias.
Use luvas no manuseio desta embalagem.
Esta embalagem deve ser armazenada separadamente das lavadas, em saco plástico transparente (Embalagem Padronizada — modelo ABNT), devidamente identificado e com lacre, o qual
deverá ser adquirido nos Canais de Distribuição.

- DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA
No prazo de até um ano da data da compra, é obrigatória a devolução da embalagem vazia, pelo usuário, ao estabelecimento onde foi adquirido o produto ou no local indicado na nota fiscal,
emitida no ato da compra.
Caso o produto não tenha sido totalmente utilizado nesse prazo e ainda estiver dentro de sue prazo de validade, sertã facultada a devolução da embalagem em até 6 (seis) meses após o termino do
prazo de validade.

- TRANSPORTE
As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas, medicamentos, rações, animais e pessoas. Devem ser transportas em sacos plásticos transparentes (Embalagem Padronizada — modelo ABNT), devidamente identificadas e com lacre, o qual deverá ser adquirido nos Canais de Distribuição.

EMBALAGEM SECUNDÁRIA (NÃO CONTAMINADA)

- ESTA EMBALAGEM NÃO PODE SER LAVADA

- ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA
O armazenamento da embalagem vazia, até sua devolução pelo usuário, deve ser efetuado em local
coberto, ventilado, ao abrigo de chuva e com piso impermeável, no próprio local onde são guardadas as embalagens cheias.

- DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA
É obrigatória a devolução da embalagem vazia, pelo usuário, onde foi adquirido o produto ou no local indicado na nota fiscal, emitida pelo estabelecimento comercial.

- TRANSPORTE
As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas, medicamentos, rações, animais e pessoas.

- DESTINAÇÃO FINAL DAS EMBALAGENS VAZIAS
A destinação fmal das embalagens vazias, após a devolução pelos usuários, somente poderá ser realizada pela Empresa Registrante ou por empresas legalmente autorizadas pelos órgãos competentes.

- É PROIBIDO AO USUÁRIO A REUTILIZAÇÃO E A RECICLAGEM DESTA EMBALAGEM
VAZIA OU O FRACIONAMENTO E REEMBALAGEM DESTE PRODUTO.

- EFEITOS SOBRE O MEIO AMBIENTE DECORRENTES DA DESTINAÇÃO INADEQUADA DA EMBALAGEM VAZIA E RESTOS DE PRODUTOS
A destinação inadequada das embalagens vazias e restos de produtos no meio ambiente causa contaminação do solo, da água e do ar prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas.

- PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO
Caso este produto venha a se tornar impróprio para utilização ou em desuso, consulte o registrante através do telefone indicado no rótulo para sua devolução e destinação final.
A desativação do produto é feita através de incineração em fornos destinados para esse tipo de operação, equipados com câmara de lavagem de gases efluentes e aprovados por órgão ambiental competente.
Para desativação do produto, contate a empresa SUMITOMO CHEMICAL DO BRASIL REPRESENTAÇÕES LTDA.e o Órgão Estadual do Meio Ambiente.

- TRANSPORTE DE AGROTÓXICOS, COMPONENTES E AFINS.
O transporte está sujeito às regras e aos procedimentos estabelecidos na legislação específica, que inclui o acompanhamento da ficha de emergência do produto, bem como determina que os agrotóxicos não podem ser transportados junto de pessoas, animais, rações, medicamentos ou outros materiais.

INFORMAÇÕES SOBRE MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS:

Não se aplica por se tratar de um regulador de crescimento vegetal.

INFORMAÇÕES SOBRE O MANEJO DE RESISTÊNCIA:

Não se aplica por se tratar de um regulador de crescimento vegetal.