Bula Pro-Gibb - Sumitomo
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,142 (0,44%)
| Dólar (compra) R$ 5,62 (0,18%)

Bula Progibb

Ácido giberélico
3995
Sumitomo

Composição

Ácido giberélico 100 g/kg

Classificação

Terrestre
Regulador de crescimento
5 - Produto Improvável de Causar Dano Agudo
IV - Produto pouco perigoso ao meio ambiente
Não inflamável
Não corrosivo
Pó solúvel (SP)
Não Classificado

Arroz

Calda Terrestre Dosagem
Oryza sativa (Arroz)

Batata

Calda Terrestre Dosagem
Solanum tuberosum (Batata)

Cana-de-açúcar

Calda Terrestre Dosagem
Saccharum officinarum (Cana de açúcar)

Citros

Calda Terrestre Dosagem
Citrus latifolia (Limão taiti)
Citrus sinensis (Laranja)

Uva

Calda Terrestre Dosagem
Vitis spp (Uva) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Saco de aluminio ( envelope), acondicionado em caixa de papelão contendo 10 envelopes cada um de 10 gramas.
Tubo de plástico de 100g
Saco plástico de 1kg
Frasco plástico de 1kg
Saco aluminizado de 0,5 kg e 1 kg

INSTRUÇÕES DE USO

CULTURAS

ProGibb® é um regulador de crescimento vegetal, de ocorrência natural na planta.

É recomendado para:
- As sementes de arroz irrigado: tratamento das sementes para plantio.
- Os frutos cítricos:
• LARANJA, para retardar a maturação dos frutos e redução do ataque de Moscas-das- Frutas: Anastrepha fraterculus e Ceratitis capitata
• LIMÃO TAHITI, retardar a maturação dos frutos colhidos.
- As batatas-sementes, para facilitar a brotação e obter maior produção.
- As uvas, para melhorar as características morfológicas dos cachos e bagas – tamanho, peso dos cachos e bagas.
- Cana-de-açúcar, para um maior desenvolvimento vegetativo da cultura, com ganho significativo no rendimento.

ARROZ IRRIGADO

Para estimular, na semente, uma brotação uniforme e rápida.
DOSE: Pulverizar 50 kg de sementes de arroz com uma solução contendo 10 gramas de ProGibb® em 1,5 litros d'água. Acrescentar à solução 0,05% do corante Brillant Blue.
NÚMERO / ÉPOCA DE APLICAÇÃO: Fazer uma única aplicação antes do plantio das sementes.
PRECAUÇÕES: Obedecer a profundidade de plantio recomendado para a região e para a variedade selecionada.

CITROS:

LARANJA:
Para retardar a maturação dos frutos (senescência dos tecidos) e para conseqüente redução do ataque de Mosca-das-frutas, em laranja da variedade Pêra.
DOSE: Pulverizar 400 gramas de ProGibb®, adicionando-se 0,1% de espalhante adesivo não iônico em 2000 litros d'água uniformemente na copa das árvores, até os frutos atingirem o ponto de escorrimento.
NÚMERO / ÉPOCA DE APLICAÇÃO: Fazer uma única aplicação. Em laranja Pêra, o momento ideal de aplicação é em abril, quando os frutos estão verdes e não atrativos à ovoposição da mosca-das-frutas (Anastrepha fraterculus e Ceratitis capitata).
PRECAUÇÕES: Na prática, um pé de laranja adulta consome 20 litros de calda. Consulte a TABELA PARA DOSAGEM DO ProGibb®, coluna 20 ppm de Ácido Giberélico, para o melhor cálculo.

LIMÃO TAHITI:
Para retardar a maturação de frutos colhidos, prolongando a possibilidade de armazenamento e transporte.
DOSE: Imergir o limão em solução contendo 40 gramas de ProGibb® em 100 litros d'água, por 15 segundos.
NÚMERO / ÉPOCA DE APLICAÇÃO: Uma única aplicação – logo após a colheita dos frutos – controla a maturação dos frutos, retardando o aparecimento da coloração amarela.

BATATA-SEMENTE: Para facilitar a brotação e a maior produção por hectare nos cultivares Itararé e Achat.
DOSE: Imergir a batata em solução contendo 10 gramas de ProGibb® em 100 litros d'água, por 10 minutos.
NÚMERO / ÉPOCA DE APLICAÇÃO: Uma única aplicação na fase de quebra de dormência.

UVA: Para aumentar o tamanho, o peso dos cachos e bagas – melhor padrão morfológico dos cachos e bagas da uva – adequando-as às exigências do mercado consumidor.
- SEM SEMENTES (Variedade: Centennial Seedless)
DOSE: imergir os cachos em solução contendo 20 a 30 gramas de ProGibb® em 100 litros
d'água, adicionando-se 0,1% de espalhante adesivo não iônico.
NÚMERO / ÉPOCA DE APLICAÇÃO: Fazer a imersão dos cachos por 03 (três) segundos das inflorescências ou cachos. Fazer uma única aplicação, após o florescimento.
- COM SEMENTES (Variedade: Maria = IAC 514-6)
DOSE: Imergir os cachos em solução contendo 400 a 800 gramas de ProGibb® em
100 litros d'água, adicionando-se 0,1% de espalhante adesivo não iônico.
NÚMERO / ÉPOCA DE APLICAÇÃO: Fazer a imersão dos cachos por 03 (três) segundos das inflorescências ou cachos. Fazer uma única aplicação, após o florescimento.

CANA-DE-AÇÚCAR: Para aumentar o tamanho dos internódios, proporcionando maior desenvolvimento vegetativo e conseqüente aumento de produtividade.
DOSE: 30 gramas de ProGibb®/ha adicionando-se 0,25% (v/v) de espalhante adesivo não iônico. Fazer pulverização via terrestre, sobre plantas de cana-de-açúcar.
NÚMERO / ÉPOCA DE APLICAÇÃO: Fazer uma única aplicação antes a partir dos 90 dias após o plantio (1º internódio formado) até no máximo a formação do 3º internódio ou durante a formação do primeiro internódio.
PRECAUÇÕES: Aplicar nos horários mais frescos do dia, evitando ventos acima de 3 km/h, temperaturas superiores a 27ºC e umidade relativa do ar inferior a 70%, visando diminuir as perdas por deriva e evaporação.

MODO DE APLICAÇÃO / EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO A SEREM USADOS

ARROZ IRRIGADO:
Máquina de tratamento de semente. Estas máquinas já vêm equipadas com rosca sem fim e compartimento dosador para receber a solução contendo: 1,5 litros d'água, 10 gramas de ProGibb® e 0,75 gramas do corante Brilliant Blue. Esta quantidade de solução é suficiente para tratar 50 kg de sementes.

LARANJA:
• Aplicação com PISTOLA
Pressão: 100 a 300 lb/pol²
Aplicação: 20 litros de calda/planta, de acordo com a idade e tamanho da copa.
• Aplicação com TURBO ATOMIZADOR
Pressão: 300 lb/pol² ;
Bicos: JD.2 no meio e JD.3 nas extremidades
Aplicação: 20 litros de calda/planta, de acordo com a idade e tamanho da copa. O jato de aplicação deve ser direcionado aos frutos aplicando-se até o ponto de escorrimento.

LIMÃO:
Tanque para imersão dos frutos ou das caixas plásticas de colheita.
Observar que a solução mantenha-se sempre na concentração de 40 gramas de ProGibb® em 100 litros d'água.

BATATA

As batatas devem ser mergulhadas em tanque contendo solução de 10 gramas de ProGibb® em 100 litros d'água, por 10 minutos depois colocadas para secar à sombra.

CANA-DE-AÇÚCAR

Aplicar com pulverizador tratorizado de barra ou costal manual utilizando-se bicos de jato leque que produzam gotas de diâmetro médio volumétrico entre 350 e 800 micra. O volume de calda a ser aplicado depende do equipamento a ser utilizado, recomendando-se 200 L/ha. É importante que se consiga uma cobertura uniforme da folhagem. O sistema de agitação do produto no interior do tanque deve ser mantido em funcionamento durante toda a aplicação.

INTERVALO DE SEGURANÇA:
Arroz, Batata, cana-de-açúcar, citros e uva: Não determinado devido à sua ocorrência natural em culturas alimentares.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Mantenha afastado das áreas de aplicação, crianças, animais domésticos e pessoas desprotegidas. Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da completa secagem da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite entrar antes desse período, utilize os EPI's recomendados para o uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

Compatibilidade: não se recomenda a mistura de Pro-Gibb® com outros produtos, porque não se dispõe desse dado.
Fitotoxicidade: o produto não é fitotóxico quando aplicado de acordo com as recomendações acima.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado de pragas (MIP), envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle, como o controle cultural, controle biológico (predadores e parasitoides), controle microbiano, controle por comportamento, variedades resistentes e controle químico, sempre alternando produtos de diferentes grupos químicos, com mecanismos de ação distintos.
Recomenda-se, de modo geral, o manejo integrado de doenças, envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle. O uso de sementes sadias, variedades resistentes, rotação de culturas, época adequada de semeadura, adubação equilibrada, controle biológico, manejo da irrigação e outros, visam o melhor equilíbrio do sistema.

Qualquer agente de controle de insetos pode ficar menos efetivo ao longo do tempo se a praga-alvo desenvolver algum mecanismo de resistência. Implementando-se as seguintes estratégias de manejo de resistência a inseticidas (MRI) pode-se prolongar a vida útil dos inseticidas:
- Qualquer produto para controle de inseto da mesma classe ou modo de ação não deve ser utilizado em gerações consecutivas da mesma praga;
- Utilizar somente as doses recomendadas no rótulo/bula;
- Em caso de dúvidas, consultar sempre um Engenheiro Agrônomo para direcionamento sobre as recomendações locais para o Manejo de Resistência a Inseticidas (MRI);
- Incluir outros métodos de controle de insetos (Ex.: Controle Cultural, Biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponível e apropriado;
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para a orientação sobre as recomendações locais para o manejo de resistência.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre MIP, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados. Qualquer agente de controle de insetos pode se tornar menos efetivo ao longo do tempo, se a praga alvo desenvolver algum mecanismo de resistência a ele. O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência a Inseticidas (IRAC – BR) recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência visando prolongar a vida útil do inseticida:
- Qualquer produto para controle de pragas, da mesma classe ou modo de ação, não deve ser usado em gerações consecutivas da praga;
- Usar somente as doses recomendadas na bula/rótulo;
- Consultar sempre um Engenheiro Agrônomo para orientação sobre o Manejo de Resistência a Inseticidas;
- Incluir outros métodos de controle de pragas (Ex.: controle cultural, biológico, químico, etc) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas, quando disponível e apropriado.