Bula JUPI - ISK
CME MILHO (DEZ/20) US$ 3,650 (0,50%)
| Dólar (compra) R$ 5,55 (0,74%)

Bula Sanson 40 SC

Nicosulfuron
9011
ISK

Composição

Nicossulfurom 40 g/L

Classificação

Terrestre
Herbicida
5 - Produto Improvável de Causar Dano Agudo
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Seletivo, Sistêmico, Pós-emergência

Galão Plástico: 1,0; 3,785 (1,0 galão americano); 5,0; 5,6775 (1,5 galão americano); 9,4625 (2,5 galões americanos); 10,0; 15,14 (4,0 galões americanos); 18,925 (5,0 galões americanos) e 20 Litros.
Galão Metálico: 5, 10 e 20 Litros.
Tambor Plástico/Metálico: 100 (26,42 galões americanos) e 200 (52,84 galões americanos) Litros.

INSTRUÇÕES DE USO DO PRODUTO

Trata-se de herbicida sistêmico para aplicação em pós-emergência da cultura e das plantas daninhas. É seletivo para cultura do milho.

MODO DE APLICAÇÃO

Com pulverizador tratorizado ou costal manual: Usar uma barra com bicos tipo leque (jato plano), aplicando-se em área total com volume de calda de 130 a 400 litros por hectare e pressão de serviço de 30 a 60 libras por polegada quadrada (psi). Sugere-se a utilização de bicos 80.02; 80.03; 110.02 ou 110.03.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Milho: 45 dias

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite entrar antes desse período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados para o uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO:

• O produto não deverá ser aplicado quando a planta estiver passando por estado de estresse hídrico.
• Respeitar um período de sete dias entre a aplicação de SANSON 40SC e a aplicação de inseticidas organofosforados ou realização de adubação nitrogenada.
• A ocorrência de chuvas até uma hora após a aplicação do produto poderá diminuir sua eficiência. Não aplicar em culturas de sorgo, nem em locais onde possa haver deriva para este cultivo.
• Fitotoxicidade: SANSON 40SC é seletivo para a maioria das cultivares comerciais de milho, mas existem alguns híbridos/variedades que não devem ser tratados com o produto; por isso, antes de aplicar, consulte a “Lista de Híbridos e Variedades Recomendados para Tratamento com SANSON 40SC", que se encontra junto à embalagem ou com o fornecedor do produto.
• Para os híbridos/variedades que são recomendados, em alguns casos poderão ser observados sintomas iniciais de fitotoxicidade, que desaparecem naturalmente sem interferir na produtividade.
• Recomenda-se consultar um Engenheiro Agrônomo para maiores informações.

INFORMAÇÕES SOBRE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL A SEREM UTILIZADOS:

• Durante a manipulação e a preparação da calda, use o macacão com mangas compridas, chapéu de aba larga, óculos ou viseira facial, luvas, botas, avental impermeável e máscara apropriada.
• Durante a aplicação usar macacão de mangas compridas, chapéu de aba larga, luvas, botas e máscara apropriada.
• Evite comer fumar ou beber durante o manuseio ou aplicação do produto.
• Não utilize equipamento com vazamentos.
• Não desentupa bicos, orifício, válvulas, tubulações, etc, com a boca.
• Distribua o produto da própria embalagem sem contato manual.
• Após a utilização do produto, remova as roupas protetoras e tome banho.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado de pragas (MIP), envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle, como o controle cultural, controle biológico (predadores e parasitoides), controle microbiano, controle por comportamento, variedades resistentes e controle químico, sempre alternando produtos de diferentes grupos químicos, com mecanismos de ação distintos.
Recomenda-se, de modo geral, o manejo integrado de doenças, envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle. O uso de sementes sadias, variedades resistentes, rotação de culturas, época adequada de semeadura, adubação equilibrada, controle biológico, manejo da irrigação e outros, visam o melhor equilíbrio do sistema.

O uso continuado de herbicidas com o mesmo mecanismo de ação pode contribuir para o aumento de população de plantas daninhas a ele resistentes. Como prática de manejo de resistência de plantas daninhas, deverão ser aplicados herbicidas, com diferentes mecanismos de ação, devidamente registrados para a cultura. Não havendo produtos alternativos, recomenda-se a rotação de culturas que possibilite o uso de herbicidas com diferentes mecanismos de ação. Para maiores esclarecimentos, consulte um engenheiro agrônomo.