Bula Splat ME

acessos
Espinosade + Eugenol-metílico
5011
Isca Tecnologias

Composição

Espinosade 20 g/kg Espinosinas
Eugenol-metílico 520 g/kg Éter aromático

Classificação

Inseticida, Feromônio
III - Medianamente tóxico
IV - Produto pouco perigoso ao meio ambiente
Não inflamável
Não corrosivo
Gerador de Gás (GE)
Feromônio, Inseticida
Carambola Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca da carambola
(Bactrocera carambolae)
300 g em porções de 3 gramas - - Reaplicar a cada 60 dias Tendo em vista o tipo de produto, não é necessário se estabelecer intervalo de segurança. Início da captura de insetos nas armadilhas de monitoramento
Goiaba Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca da carambola
(Bactrocera carambolae)
300 g em porções de 3 gramas - - Reaplicar a cada 60 dias. Tendo em vista o tipo de produto, não é necessário se estabelecer intervalo de segurança. Início da captura de insetos nas armadilhas de monitoramento
Jambo Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca da carambola
(Bactrocera carambolae)
300 g em porções de 3 gramas - - Reaplicar a cada 60 dias. Tendo em vista o tipo de produto, não é necessário se estabelecer intervalo de segurança. Início da captura de insetos nas armadilhas de monitoramento
Manga Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca da carambola
(Bactrocera carambolae)
300 g em porções de 3 gramas - - Reaplicar a cada 60 dias. Tendo em vista o tipo de produto, não é necessário se estabelecer intervalo de segurança. Início da captura de insetos nas armadilhas de monitoramento

Sachet Metalizado: 1, 5, 10, 15, 20, 25, 30, 40, 50, 100, 200, 250 e 500 Kg.
Balde Plástico: 1, 5, 10, 15, 20, 25 e 30 Kg.
Tambor Plástico: 40, 50, 100, 200, 250 e 500 Kg.

INSTRUÇÕES DE USO:

CULTURAS E ESPÉCIE CONTROLADA
O produto é recomendado para controle da “Mosca-da-Carambola” (Bactrocera carambolae) nas culturas da carambola, jambeiro, manga e goiaba.

DOSES DE APLICAÇÃO:
Instalar 300 gramas de SPLAT® ME distribuídos em porções de 3 gramas.
Consulte um técnico especializado para a tomada de decisões sobre o melhor modo de aplicação de SPLAT® ME, de acordo com a sua situação e a necessidade de medidas adicionais de controle.

MODO DE APLICAÇÃO
- O SPLAT® ME libera paraferomônio atrativo aos machos de Bactrocera carambolae. A ingestão do inseticida presente na formulação promove o controle dos insetos
- Quanto maior o número de pontos com SPLAT® ME em relação ao número de machos na área, mais rápida será a ação do produto sobre a população da praga.
- Repetir as aplicações a cada 60 dias, mantendo as áreas cobertas durante todo o período de
incidência da praga.
- Para monitorar a eficiência das aplicações, instale armadilhas de monitoramento. Faça a distribuição das armadilhas em toda área, tomando cuidado para que as bordas e o centro não fiquem descobertos.
- O monitoramento da eficiência do sistema de controle deve ser realizado durante todo o ciclo produtivo das culturas, acompanhado de verificação de dano em frutos;
- Todos os demais tratamentos fitossanitários sejam fungicidas, acaricidas, bem como inseticidas para outras pragas podem ser aplicados normalmente durante o período de ação do SPLAT® ME.

MODO DE USO:
Regule a pistola pressurizada para aplicar "SPLAT® ME" em pontos de 3 gramas.
Em porções bem formadas (bolotas uniformes) aplique o produto na inserção de ramos laterais das plantas a uma altura de 2 a 3,5m do nível do solo.
Para reduzir o efeito negativo da ação da luz solar sobre o liberador, aplique "SPLAT® ME" na região de maior sombremento da planta.

INÍCIO, NÚMERO, ÉPOCAS OU INTERVALOS DE APLICAÇÕES:
Aplique o produto a partir do início da captura de insetos nas armadilhas de monitoramento, reaplicando com intervalo de 60 dias.

INTERVALO DE SEGURANÇA:
Tendo em vista o tipo de produto (Paraferomônio) e a modalidade de aplicação não é necessário estabelecer intervalo de segurança.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:
As pessoas podem circular livremente nas áreas tratadas.

LIMITAÇÕES DE USO:
- Não aplicar em dias chuvosos.
- Não aplicar com umidade nas plantas.
- Armazenar o produto em local fresco e seco.
- Temperatura mínima para armazenamento 4°C e máxima 25°C.

INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO:
O produto deve ser distribuído com aplicador manual ou dispositivo mecânico indicado.

INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL A SEREM
UTILIZADOS:
Utilize os equipamentos de proteção constantes nos dados relativos proteção da saúde humana.

DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DA SAÚDE HUMANA:

ANTES DE USAR LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES.
USE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL COMO INDICADO.

PRECAUÇÕES GERAIS:
- Produto para uso exclusivamente agrícola.
- Não coma, não beba e não fume durante o manuseio e aplicação do produto.
- Não manuseie ou aplique o produto sem os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados.
- Os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados devem ser vestidos na seguinte ordem: botas, máscara, óculos e luvas.
- Não utilize equipamentos de proteção individual (EPI) danificados.
- Não utilize equipamentos com vazamentos ou defeitos.
- Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca.
- Não transporte o produto juntamente com alimentos, medicamentos, rações, animais e pessoas.

PRECAUÇÕES NO MANUSEIO DO PRODUTO:
- Caso ocorra contato acidental da pessoa com o produto, siga as orientações descritas em primeiros socorros e procure rapidamente um serviço médico de emergência.
- Ao abrir a embalagem, faça-o de modo a evitar contato com a pasta.
- Utilize equipamento de proteção individual — EPI: botas de borracha; máscara com filtro mecânico classe P2 ou P3; óculos de segurança com proteção lateral e luvas de nitrila.
- Manuseie o produto em local aberto e ventilado.

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO:
- Evite o máximo possível o contato com a pasta aplicada.
- Não aplique o produto na presença de ventos fortes e nas horas mais quentes do dia.
- Aplique o produto somente nas doses recomendadas.
- Utilize equipamento de proteção individual — EPI: botas, máscara com filtro mecânico classe P2 / ou P3, óculos de segurança com proteção lateral e luvas de nitrila.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO:
- Mantenha o restante do produto adequadamente fechado em sua embalagem original em local trancado, longe do alcance de crianças e animais.
- Antes de retirar os equipamentos de proteção individual (EPI), lave as luvas ainda vestidas para evitar contaminação.
- Os equipamentos de de proteção individual (EPIs) recomendados devem ser retirados na seguinte ordem: óculos, botas, luvas e máscara.
- Troque e lave as suas roupas de proteção separado das demais roupas da família. Ao lavar as roupas utilizar luvas e avental impermeável.
- Faça a manutenção e lavagem dos equipamentos de proteção após cada aplicação do produto.
- Fique atento ao tempo de uso dos filtros, seguindo corretamente as especificações do fabricante.
- Não reutilizar a embalagem vazia.
- No descarte de embalagens utilize equipamento de proteção individual – EPI: luvas de nitrila e botas de borracha.

PRIMEIROS SOCORROS:
Procure logo o serviço médico de emergência levando a embalagem, rótulo, bula e/ou receituário agronômico do produto.
Ingestão: Se engolir o produto não provoque vômito. Caso o vômito ocorra naturalmente, deite a pessoa de lado. Não dê nada para beber ou comer.
Olhos: Em caso de contato, lave com muita água corrente durante pelo menos 15 minutos. Evite que a água de lavagem entre no outro olho.
Pele: Em caso de contato, tire a roupa contaminada e lave a pele com muita água corrente e sabão neutro.
Inalação: Se o produto for inalado (respirado), leve a pessoa para um local aberto e ventilado.
A pessoa que ajudar deve proteger-se da contaminação usando luvas e avental impermeáveis, por exemplo.

- INTOXICAÇÃO POR SPLAT® MAT -
INFORMAÇÕES MÉDICAS

Grupo químico:
Produto contendo Éter aromático (Eugenol Metílico) e Espinosinas (Espinosade)

Classe toxicológica:
Classe III-MEDIANAMENTE TÓXICO

Mecanismos de toxicidade:
SPLAT® MAT: Não foram feitos estudos para definir os mecanismos de toxicidade deste produto formulado.
Espinosade: Estimulação dos receptores nicotínicos da acetilcolina das células pós-sinápticas, com possível atuação no sistema GABA; susceptível de causar excitação dos motoneuronas.

Vias de exposição:
SPLAT® MAT: possivelmente dérmica, inalatória e oral. A absorção não foi definida para este produto formulado.
Espinosade: Digestiva (sobretudo alimentar) e cutâneo-mucosa. Possível absorção respiratória nas atividades profissionais realizadas acima de 20°C (produto com baixa pressão de vapor).

Sintomas e sinais clínicos:
SPLAT® MAT: testes laboratoriais demonstraram irritação ocular na conjuntiva dos olhos de coelhos sendo reversível em 48h.
Espinosade: Irritação e dor ocular. Irritação cutânea. Em caso de grande absorção, pode aparecer uma síndrome nicotínica: midríase, mialgia, fasciculações musculares, tremores e fraqueza. Pode haver paralisia de musculatura respiratória levando à morte. Taquicardia e hipertensão arterial podem manifestar-se.
Exposição crônica ou repetida: possibilidade de lesões renais e hepáticas - vacuolização intracitoplasmática, com acumulação de fosfolipídios.

Toxicocinética:
SPLAT® MAT: não foram feitos estudos para definir a toxicocinética deste produto formulado.
Espinosade: Após absorção o produto é rapidamente metabolizado e eliminado pelas fezes e pela urina.

Diagnóstico:
Espinosade: Noção de exposição aguda, crônica ou repetida. Sinais clínicos.

Tratamento:
SPLAT® MAT: Não há antídoto específico. O tratamento deve ser direcionado ao controle dos sintomas clínicos.
Espinosade:
• Utilizar luvas e avental durante a descontaminação:
- Remover roupas e acessórios e lavar a pele (incluindo pregas, cavidades e orifícios) e cabelos, com água corrente abundante e sabão neutro.
- Se houver exposição ocular, irrigar abundantemente com soro fisiológico ou água, por no mínimo 15 minutos, colocando a cabeça em posição lateral para evitar a contaminação do outro olho.
- Em caso de ingestão, importante proceder à lavagem gástrica e administrar carvão ativado. Atentar para nível de consciência e proteger as vias aéreas do risco de aspiração.
Suporte e tratamento sintomático: Manter vias aéreas permeáveis, se necessário através de intubação oro - traqueal, aspirar secreções e oxigenar.
Atenção especial pare fraqueza de musculatura respiratória e parada respiratória repentina, hipotensão e arritmias cardíacas. Adotar medidas de assistência ventilatória, se necessário, e controlar função renal e hepática.

Efeitos sinérgicos:
SPLAT® MAT e Espinosade: não há relatos.

Atenção:
As Intoxicações por Agrotóxicos estão incluídas entre as Enfermidades de Notificação Compulsória. Ligue pare o Disque Intoxicação: 0800-722-6001 pare notificar o caso e obter informações especializadas sobre o diagnóstico e tratamento
Rede Nacional de Centros de Informação e Assistência Toxicológica RENACIAT – ANVISA
Telefone de Emergência da empresa: (55) 3332-6844

MECANISMOS DE AÇÃO, ABSORÇÃO E EXCREÇÃO PARA O SER HUMANO:
Ainda não existem estudos sobre metabolismo deste produto com animais ou efeitos relatados em seres humanos.

EFEITOS AGUDOS E CRÔNICOS:
Efeitos agudos:
Estudos com o produto formulado Splat Me em animais de laboratórios apresentaram os seguintes resultados/valores.
DL50 oral para ratos: >2000mg/Kg, classe IV — pouco tóxico.
Irritabilidade dérmica: O produto foi considerado não irritante paa pele de coelhos. Nenhuma irritação foi observada em até 72h de teste.
Irritabilidade ocular: SplatMe causou irritação conjuntival nos olhos de todos os coelhos testados.
Todos os sintomas foram revertidos, em todos os animais dentro de 48 horas, indicando que o produto foi considerado irritante para a mucosa ocular de forma reversível sendo classificado como Classe III – medianamente tóxico.
Sensibilização cutânea: o produto foi considerado não sensibilizante para pele de cobaia.

Efeitos crônicos:
Ainda não existem estudos sobre efeitos crônicos deste produto formulado com animais ou efeitos relatados em seres humanos.

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE:

Este produto é: POUCO PERIGOSO AO MEIO AMBIENTE (CLASSE IV)
• Evite a contaminação ambiental - Preserve a Natureza.
• Não utilize equipamento com vazamento.
• Aplique somente as doses recomendadas.
• Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Evite a contaminação da água.
• A destinação inadequada de embalagens ou restos de produtos ocasiona contaminação do solo, da água e do ar, prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES
• Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada.
• O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas, rações ou outros materiais.
• A construção deve ser de alvenaria ou de material não combustível.
• O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável.
• Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO.
• Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças.
• Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis, para envolver embalagens rompidas ou para recolhimento de produtos vazados.
• Em caso de armazéns, deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843 da Associação Brasileira de Normas Técnicas — ABNT.
• Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES
• Isole e sinalize a área contaminada.
• Contate as autoridades locais competentes e a Empresa ISCA TECNOLOGIAS LTDA. - Telefone de Emergência: (55) 3332-6844.
• Utilize equipamento de proteção individual - EPI (macacão impermeável, luvas e botas de borracha, óculos protetor e máscara com filtros).
• Em caso de derrame, siga as instruções abaixo:
Piso pavimentado: recolha o material com auxilio de uma pá e coloque em recipiente lacrado e identificado devidamente. O produto derramado não deverá mais ser utilizado. Neste caso, consulte o registrante através do telefone indicado no rótulo para a sua devolução e
destinação final.
Solo: Retire as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado, recolha esse material e coloque em um recipiente lacrado e devidamente identificado. Contate a empresa registrante conforme indicado acima.
Corpos d'água: Interrompa imediatamente a captação para o consumo humano ou animal, contate o órgão ambiental mais próximo e o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do corpo hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido.
Em caso de incêndio, use extintores de água em forma de neblina, ou de CO2, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

PROCEDIMENTOS DE LAVAGEM, ARMAZENAMENTO, DEVOLUÇÃO, TRANSPORTE E DESTINAÇÃO DE EMBALAGENS VAZIAS E RESTOS DE PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:
- ESTA EMBALAGEM NÃO PODE SER LAVADA
- ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA
O armazenamento da embalagem vazia, até sua devolução pelo usuário deve ser efetuado em local coberto, ventilado, ao abrigo de chuva e com piso impermeável, no próprio local onde são guardadas as embalagens cheias.
• Use luvas no manuseio dessa embalagem.
• Essa embalagem vazia deve ser armazenada com sua tampa, em caixa coletiva, quando existente, separadamente das embalagens lavadas.

- DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA
No prazo de até um ano da data da compra, é obrigatória a devolução da embalagem vazia, com tampa, pelo usuário, ao estabelecimento onde foi adquirido o produto ou no local indicado na nota fiscal, emitida no ato da compra.
Caso o produto não tenha sido totalmente utilizado nesse prazo e ainda esteja dentro de seu prazo de validade, será facultada a devolução da embalagem em até 6 meses após o término do prazo de validade.
O usuário deverá guardar o comprovante de devolução para efeito de fiscalização, pelo prazo mínimo de um ano após a devolução da embalagem vazia.

- TRANSPORTE
As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas, medicamentos, rações, animais e pessoas.

- DESTINAÇÃO FINAL DAS EMBALAGENS VAZIAS
A destinação final das embalagens vazias, após a devolução pelos usuários, somente poderá ser realizada pela Empresa Registrante ou por empresas legalmente autorizadas pelos órgãos competentes.

É PROIBIDO AO USUÁRIO A REUTILIZAÇÃO E RECICLAGEM DESTA EMBALAGEM VAZIA OU O FRACIONAMENTO E REEMBALAGEM DETE PRODUTO.

EFEITOS SOBRE O MEIO AMBIENTE DECORRENTES DA DESTINAÇÃO INADEQUADA DA EMBALAGEM VAZIA E RESTOS DE PRODUTOS
A destinação inadequada das embalagens vazias e restos de produtos no meio ambiente causa contaminação do solo, da água e do ar prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas.

PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO
Caso este produto venha a se tornar impróprio para utilização ou em desuso, consulte o registrante através do telefone indicado no rótulo para sua devolução e destinação final.
A desativação do produto é feita através de incineração em fornos destinados para este tipo de operação, aprovado por órgão ambiental competente.

TRANSPORTE DE AGROTÓXICOS, COMPONENTES E AFINS:
O transporte está sujeito às regras e aos procedimentos estabelecidos na legislação específica, que inclui acompanhamento da ficha de emergência do produto, bem como determina que os agrotóxicos não podem ser transportados junto de pessoas, animais, rações, medicamentos ou outros materiais.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência a Inseticidas (IRAC – BR) recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência visando prolongar a vida útil do inseticida:
- Qualquer produto para controle de pragas, da mesma classe ou modo de ação, não deve ser usado em gerações consecutivas da praga;
- Usar somente as doses recomendadas na bula/rótulo;
- Consultar sempre um Engenheiro Agrônomo para orientação sobre o Manejo de Resistência a Inseticidas;
- Incluir outros métodos de controle de pragas (Ex.: controle cultural, biológico, químico, etc) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas, quando disponível e apropriado.