Bula Supermetrina Agria 500

acessos
permetrina
1338704
UPL

Composição

Permetrina 500 g/L Piretróide

Classificação

Inseticida
I - Extremamente tóxica
II - Produto muito perigoso
Inflamável
Não corrosivo
Concentrado Emulsionável (EC)
Contato, Ingestão

Arroz Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta do cartucho
(Spodoptera frugiperda)
40 mL p.c./ha 200 L de calda/ha 10 a 20 L de calda/ha (aéreo) Única. 20 dias. Iniciar a aplicação no aparecimento da praga
Milho Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta do cartucho
(Spodoptera frugiperda)
50 mL p.c./ha 400 L de calda/ha 10 a 20 L de calda/ha (aéreo) Única. 45 dias. Iniciar a aplicação no aparecimento da praga
Repolho Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Traças das crucíferas
(Plutella xylostella)
20 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha 10 a 20 L de calda/ha (aéreo) Aplicar novamente caso haja reinfestação, podendo ser feito até no máximo 3 aplicações. 3 dias. Iniciar a aplicação no aparecimento da praga
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta da soja
(Anticarsia gemmatalis)
30 a 50 mL p.c./ha 200 L de calda/ha 10 a 20 L de calda/ha (aéreo) Podendo ser feito até no máximo 2 aplicações. 30 dias. Iniciar a aplicação quando as pragas atingirem níveis de danos econômicos
Lagarta-falsa-medideira
(Pseudoplusia includens)
50 a 60 mL p.c./ha 200 L de calda/ha 10 a 20 L de calda/ha (aéreo) Podendo ser feito até no máximo 2 aplicações. 30 dias. Iniciar a aplicação quando as pragas atingirem níveis de danos econômicos
Percevejo verde pequeno da soja
(Piezodorus guildinii)
60 mL p.c./ha 200 L de calda/ha 10 a 20 L de calda/ha (aéreo) Podendo ser feito até no máximo 2 aplicações. 30 dias. Iniciar a aplicação quando as pragas atingirem níveis de danos econômicos
Tomate Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Broca pequena do tomateiro
(Neoleucinodes elegantalis)
20 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha 10 a 20 L de calda/ha (aéreo) Aplicar novamente caso haja reinfestação, podendo ser feito até no máximo 3 aplicações. 3 dias. Iniciar a aplicação no aparecimento da praga
Pulgão verde
(Myzus persicae)
10 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha 10 a 20 L de calda/ha (aéreo) Aplicar novamente caso haja reinfestação, podendo ser feito até no máximo 3 aplicações. 3 dias. Iniciar a aplicação no aparecimento da praga
Traça da batatinha
(Phthorimaea operculella)
20 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha 10 a 20 L de calda/ha (aéreo) Aplicar novamente caso haja reinfestação, podendo ser feito até no máximo 3 aplicações. 3 dias. Iniciar a aplicação no aparecimento da praga
Traça do tomateiro
(Tuta absoluta)
20 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha 10 a 20 L de calda/ha (aéreo) Aplicar novamente caso haja reinfestação, podendo ser feito até no máximo 3 aplicações. 3 dias. Iniciar a aplicação no aparecimento da praga
Tripes
(Frankliniella schultzei)
10 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha 10 a 20 L de calda/ha (aéreo) Aplicar novamente caso haja reinfestação, podendo ser feito até no máximo 3 aplicações. 3 dias. Iniciar a aplicação no aparecimento da praga

Frascos de vidro: 250 ml e 1 litro.

INSTRUÇÕES DE USO:

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO:

Arroz e Milho: Iniciar a aplicação no aparecimento da praga. Deve ser feita uma única aplicação.

Repolho e Tomate: Iniciar a aplicação no aparecimento da praga, aplicar novamente caso haja reinfestação, podendo ser feito até no máximo 3 aplicações.

Soja: Iniciar a aplicação quando as pragas atingirem níveis de danos econômicos, podendo ser feito até no máximo 2 aplicações.

MODO DE APLICAÇÃO:

O produto pode ser aplicado com equipamentos manuais ou motorizados, tratorizados e por aeronaves agrícolas.

Bicos de pulverização:

- Equipamentos terrestres:

Deverá se utilizar bicos de jato cônico vazio com a combinação adequada de ponta e difusor (core) de maneira a obtermos uma cobertura uniforme do produto sobre o alvo desejado, evitando-se o escorrimento do produto. A barra deverá estar posicionada a altura de 50 cm em relação ao alvo de deposição. Para as culturas de arroz e soja, o volume de calda a ser utilizado é de 200 L calda/ha. Para a cultura de milho: 400 L calda/ha. Para as culturas de repolho e tomate são recomendados 1000 L calda/ha.

- Aeronaves agrícolas:

Empregar o conjunto de barra e bicos com pontas de pulverização de jato cônico vazio ou bicos rotativos do tipo MICRONAIR. Com aviões do tipo Ipanema (qualquer modelo) utilizar um total de 40-42 bicos na barra de pulverização fechando os das extremidades das asas, em número de 4 a 5, para ser evitada a influência e arraste das gotas pelos vórtices das asas. É indispensável a utilização dos bicos existentes em número de oito abaixo da fuselagem ou barriga do avião.
Os bicos deverão trabalhar na angulação de 90º a 180º e os rotativos tipo MICRONAIR trabalharão com as pás num ângulo de 35º e 50º, em relação à linha de vôo e de acordo com as variações das condições climáticas locais durante a aplicação de maneira a se obter uma solução com uma VDM de 110-120 micras e um mínimo de 40 gotas/cm².

Volume de aplicação de aeronaves: 10-20 L de calda/ha.

Faixa de deposição:
Em aviões do tipo Ipanema (qualquer modelo) a faixa de deposição será de 20 metros e uma altura de vôo de 4-5 m em relação ao alvo de deposição.
Para outros tipos de aeronave consultar o Engenheiro Agrônomo.
Em equipamentos terrestres equipados com barra de pulverização, a faixa de deposição ficará limitada ao comprimento da própria barra.

Número e tamanho das gotas:
Equipamentos terrestres: cobertura uniforme do alvo desejado sem escorrimento do produto nas folhas.
Aeronaves agrícolas: Devem ter gotas com um VMD entre 110 e 150 micras e obter uma deposição mínima de 40-50 gotas/cm².

Pressão de trabalho:
costais manuais: 50-60 psi
tratorizados: 80-100 psi.
aeronaves agrícolas: 15-30 psi.

CONDIÇÕES CLIMÁTICAS: Temperatura máxima: 27 ºC. Umidade relativa do ar de 55%, Velocidade do vento: máximo 10 km/hora (3m/seg).

Observar que a condição mais importante é a umidade relativa do ar, pois será o maior influenciador na maior ou menor evaporação das gotas de pulverização. Gotas grandes ocasionarão deposição irregular, escorrimento do produto nas folhas. Gotas finas terão deriva maior ou não atingirão o alvo ocasionando perdas do produto e poluição do meio ambiente.

INTERVALO DE SEGURANÇA:
Arroz: 20 dias;
Milho: 45 dias;
Repolho e Tomate: 3 dias;
Soja: 30 dias.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS: (De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana - ANVISA/MS).

LIMITAÇÕES DE USO:
Fitotoxicidade: O produto quando aplicado nas culturas e doses recomendadas não apresenta fitotoxicidade.
O produto é incompatível com produtos fortemente alcalinos como calda bordalesa.

INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO A SEREM UTILIZADOS:
Vide modo de aplicação.

DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DA SAÚDE HUMANA:

PRECAUÇÕES DE USO E RECOMENDAÇÕES GERAIS QUANTO AOS PRIMEIROS SOCORROS, ANTÍDOTO E TRATAMENTO:

ANTES DE USAR O PRODUTO LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES

PRECAUÇÕES GERAIS:

- Produto para uso exclusivamente agrícola.
- Não coma, não beba e não fume durante o manuseio e aplicação do produto.
- Não utilize equipamentos de proteção individual ( EPI’s ) danificados.
- Não utilize equipamentos com vazamentos ou defeitos.
- Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca.
- Não distribua o produto com as mãos desprotegidas.
- Não transporte o produto juntamente com alimentos, medicamentos, pessoas, bebidas, rações e animais.

PRECAUÇÕES NO MANUSEIO:

- Use protetor ocular (óculos ou viseira facial) – Produto extremamente irritante para os olhos. Se houver contato do produto com os olhos, lave-os imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS.
- Use luvas de borracha - Ao contato do produto com a pele, lave-a imediatamente com água corrente e sabão e VEJA PRIMEIROS SOCORROS.
- Use máscara cobrindo o nariz e a boca - Caso o produto seja inalado ou aspirado, procure local arejado e VEJA PRIMEIROS SOCORROS.
- Ao abrir a embalagem, faça de modo a evitar respingos.
- Utilize Equipamentos de Proteção Individual – EPI’s (macacão de algodão hidro-repelente com mangas compridas, avental impermeável, máscara descartável para vapores orgânicos cobrindo nariz e boca, luvas de borracha e botas impermeáveis de cano longo).

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO:

- Evite o máximo possível o contato com a área de aplicação.
- Não aplique o produto contra e/ou presença de ventos fortes e nas horas mais quentes do dia.
- Aplique o produto somente nas doses recomendadas e observe o intervalo de segurança.
- Utilize Equipamento de Proteção Individual – EPI’s (macacão de algodão hidro-repelente com mangas compridas, avental impermeável, touca árabe, óculos ou viseira facial, máscara descartável para vapores orgânicos cobrindo nariz e boca, luvas de borracha e botas impermeáveis de cano longo).

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO:

- Não reutilize as embalagens vazias.
- Evite o máximo possível o contato com a área aplicada com o produto até o término do intervalo de reentrada.
- Mantenha o restante do produto em sua embalagem original, adequadamente fechado, em local trancado, longe do alcance de crianças e animais.
- Tome banho, troque e lave as suas roupas de proteção separadas das demais roupas de uso diário.
- Faça a manutenção e lavagem dos equipamentos de proteção após cada aplicação do produto. Fique atento ao período de vida útil dos filtros, seguindo corretamente as especificações do fabricante.
- Ao lavar as roupas utilizadas/contaminadas, utilize luvas e avental impermeáveis.
- No descarte de embalagens utilize equipamento de proteção individual - EPI (macacão de algodão hidro-repelente com mangas compridas, luvas/botas impermeáveis).

PRIMEIROS SOCORROS:

INGESTÃO: Em caso de ingestão, NÃO PROVOQUE VÔMITO. Vá ao médico levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto.
OLHOS: Em caso de contato, lave com água em abundância e procure o médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto.
Atenção: Produto extremamente irritante para os olhos.
PELE: Em caso de contato, lave com água corrente e sabão em abundância e procure o médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto.
INALAÇÃO: Caso o produto seja inalado ou aspirado, procure local arejado. Vá ao médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto.

TRATAMENTO MÉDICO DE EMERGÊNCIA / ANTÍDOTO:

Antihistamínico e tratamento sintomático.
A ingestão de grandes quantidades requer lavagem gástrica com cuidado, para se evitar aspiração intra-pulmonar.

MECANISMOS DE AÇÃO, ABSORÇÃO E EXCREÇÃO PARA ANIMAIS DE LABORATÓRIO:

O metabolismo do permethrin é extensivo e rápido. O tempo de permanência no organismo de análogos e todos os metabolitos é em grande parte é feita dentro de 24 horas e 76 a 87% da dose administrada é eliminada dentro de 4 dias. Estudos com C14 confirmaram rápida absorção, distribuição e excreção do composto após administração oral. Não ocorre praticamente retenção de resíduos nos tecidos, principalmente dos rins e fígado, órgãos ativamente envolvidos no metabolismo, distribuição e excreção de substâncias estranhas.

EFEITOS AGUDOS:

Em estudos toxicológicos realizados com animais de laboratório com o produto, foram observadas alterações comportamentais, dispnéia, tremores, convulsões e prostação. O produto é irritante para olhos e mucosas e não é irritante para a pele.

EFEITOS CRÔNICOS:

Em estudos toxicológicos de longa duração, nos quais os animais são observados durante toda ou boa parte de suas vidas expostos a Permetrina, em diferentes concentrações, os animais apresentaram redução do consumo alimentar e menor ganho de peso.
SINTOMAS DE ALARME:

Cefaléia, náuseas, vômitos e cólicas abdominais. Pruridos, urticárias e irritação ocular (contato dérmico). Pode ocorrer dificuldade respiratória e tosse improdutiva em pacientes hipersensíveis.


TELEFONE DE EMERGÊNCIA: 0800-7010450
CENTRO DE INFORMAÇÕES TOXICOLÓGICAS: 0800-410148 (PR)

DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DO MEIO AMBIENTE:

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE:

- Este produto é:

Altamente Perigoso ao Meio Ambiente ( CLASSE I)
MUITO PERIGOSO AO MEIO AMBIENTE (CLASSE II)
Perigoso ao Meio Ambiente (CLASSE III)
Pouco Perigoso ao Meio Ambiente (CLASSE IV)

- Este produto é ALTAMENTE TÓXICO para organismos aquáticos.
- Evite a contaminação ambiental – Preserve a Natureza.
- Não utilize equipamento com vazamento.
- Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes.
- Aplique somente as doses recomendadas.
- Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d’água. Evite a contaminação da água.
- A destinação inadequada de embalagens ou restos de produtos ocasiona contaminação do solo, da água e do ar, prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas.
- Não execute aplicação aérea de agrotóxico em áreas situadas a uma distância inferior a 500 (quinhentos) metros de povoação e de mananciais de captação de água para abastecimento público e de 250 (duzentos e cinqüenta) metros de mananciais de água, moradias isoladas, agrupamentos de animais e vegetação suscetível a danos.
- Observe as disposições constantes na legislação estadual e municipal concernentes às atividades aeroagrícolas.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES:

- Mantenha o produto em sua embalagem original sempre fechada.
- O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas, rações ou outros materiais.
- A construção deve ser de alvenaria ou de material não combustível.
- O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável.
- Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO.
- Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças.
- Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis, para envolver embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados.
- Em caso de armazéns, deverão ser seguidas as instruções constantes na NBR 9843 da Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT.
- Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES:

- Isole e sinalize a área contaminada.
- Contate as autoridades locais competentes e a Empresa BAYER CROPSCIENCE LTDA. – telefone de Emergência: 0800-243334.
- Utilize equipamento de proteção individual – EPI (macacão impermeável, luvas e botas de PVC, óculos protetores e máscara com filtros).
- Em caso de derrame, estanque o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos ou corpos d’água. Siga as instruções abaixo:
· Piso pavimentado: absorva o produto com serragem ou arreia, recolha o material com o auxílio de uma pá e coloque em recipiente lacrado e identificado devidamente. O produto derramado não deverá ser mais utilizado. Neste caso, consulte o registrante através do telefone indicado no rótulo para a sua devolução e destinação final.
· Solo: retire as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado, recolha esse material e coloque em um recipiente lacrado e devidamente identificado. Contate a empresa registrante conforme indicado acima.
· Corpos d’água: interrompa imediatamente a captação para o consumo humano ou animal, contate o órgão ambiental mais próximo e o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do corpo hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido.
- Em caso de incêndio, use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

PROCEDIMENTOS DE LAVAGEM, ARMAZENAMENTO, DEVOLUÇÃO, TRANSPORTE E DESTINAÇÃO DE EMBALAGENS VAZIAS E RESTOS DE PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:

EMBALAGEM RÍGIDA LAVÁVEL

- LAVAGEM DA EMBALAGEM:

Durante o procedimento de lavagem o operador deverá estar utilizando os mesmos EPI’s – Equipamentos de Proteção Individual – recomendados para o preparo da calda do produto.

· Tríplice Lavagem (Lavagem Manual):

Esta embalagem deverá ser submetida ao processo de Tríplice Lavagem, imediatamente após o seu esvaziamento, adotando-se os seguintes procedimentos:

- Esvazie completamente o conteúdo da embalagem no tanque do pulverizador, mantendo-a na posição vertical durante 30 segundos;
- Adicione água limpa à embalagem até ¼ do seu volume;
- Tampe bem a embalagem e agite-a por 30 segundos;
- Despeje a água de lavagem no tanque do pulverizador;
- Faça esta operação três vezes;
- Inutilize a embalagem plástica ou metálica perfurando o fundo.

· Lavagem sob Pressão:

Ao utilizar pulverizadores dotados de equipamentos de lavagem sob pressão seguir os seguintes procedimentos:

- Encaixe a embalagem vazia no local apropriado do funil instalado no pulverizador;
- Acione o mecanismo para liberar o jato de água;
- Direcione o jato de água para todas as paredes internas da embalagem, por 30 segundos;
- A água de lavagem deve ser transferida para o tanque do pulverizador;
- Inutilize a embalagem plástica ou metálica, perfurando o fundo.

Ao utilizar equipamento independente para lavagem sob pressão adotar os seguintes procedimentos:

- Imediatamente após o esvaziamento do conteúdo original da embalagem, mantê-la invertida sobre a boca do tanque de pulverização, em posição vertical, durante 30 segundos;
- Manter a embalagem nessa posição, introduzir a ponta do equipamento de lavagem sob pressão, direcionando o jato de água para todas as paredes internas da embalagem, por 30 segundos;
- Toda a água de lavagem é dirigida diretamente para o tanque do pulverizador;
- Inutilize a embalagem plástica ou metálica, perfurando o fundo.

- ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA

Após a realização da Tríplice Lavagem ou Lavagem sob Pressão, essa embalagem deve ser armazenada com a tampa, em caixa coletiva, quando existente, separadamente das embalagens não lavadas.

O armazenamento das embalagens vazias, até sua devolução pelo usuário, deve ser efetuado em local coberto, ventilado, ao abrigo de chuva e com piso impermeável, ou no próprio local onde guardadas as embalagens cheias.

- DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA

No prazo de até um ano da data da compra, é obrigatória a devolução da embalagem vazia, com tampa, pelo usuário, ao estabelecimento onde foi adquirido o produto ou no local indicado na nota fiscal, emitida no ato da compra.

Caso o produto não tenha sido totalmente utilizado nesse prazo, e ainda esteja dentro de seu prazo de validade, será facultada a devolução da embalagem em até 6 meses após o término do prazo de validade.

O usuário deve guardar o comprovante de devolução para efeito de fiscalização, pelo prazo mínimo de um ano após a devolução da embalagem vazia.

- TRANSPORTE

As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas, medicamentos, rações, animais e pessoas.


EMBALAGEM SECUNDÁRIA (CAIXA DE TRANSPORTE - NÃO CONTAMINADA)

- ESTA EMBALAGEM NÃO PODE SER LAVADA

- ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA

O armazenamento da embalagem vazia, até sua devolução pelo usuário, deve ser efetuado em local coberto, ventilado, ao abrigo de chuva e com piso impermeável, no próprio local onde guardadas as embalagens cheias.


- DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA

É obrigatória a devolução da embalagem vazia, pelo usuário, onde foi adquirido o produto ou no local indicado na nota fiscal, emitida pelo estabelecimento comercial.

- TRANSPORTE

As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas, medicamentos, rações, animais e pessoas.

- DESTINAÇÃO FINAL DAS EMBALAGENS VAZIAS

A destinação final das embalagens vazias, após a devolução pelos usuários, somente poderá ser realizada pela Empresa Registrante ou por empresas legalmente autorizadas pelos órgãos competentes.

- É PROIBIDO AO USUÁRIO A REUTILIZAÇÃO E A RECICLAGEM DESTA EMBALAGEM VAZIA OU O FRACIONAMENTO E REEMBALAGEM DESTE PRODUTO.

- EFEITOS SOBRE O MEIO AMBIENTE DECORRENTES DA DESTINAÇÃO INADEQUADA DA EMBALAGEM VAZIA E RESTOS DE PRODUTOS

A destinação inadequada das embalagens vazias e restos de produtos no meio ambiente causa contaminação do solo, da água e do ar, prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas.

- PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO

Caso este produto venha a se tornar impróprio para utilização ou em desuso, consulte o registrante através do telefone indicado no rótulo para sua devolução e destinação final.

A desativação do produto é feita através de incineração em fornos destinados para este tipo de operação, equipados com câmaras de lavagem de gases efluentes e aprovados por órgão ambiental competente.

- TRANSPORTE DE AGROTÓXICOS, COMPONENTES E AFINS:

O transporte está sujeito ás regras e aos procedimentos estabelecidos na legislação específica, que inclui o acompanhamento da ficha de emergência do produto, bem como determina que os agrotóxicos não podem ser transportados junto de pessoas, animais, rações, medicamentos e outros materiais.

RESTRIÇÕES ESTADUAIS, DO DISTRITO FEDERAL E MUNICIPAIS:

Incluir outros métodos de controle de insetos (ex. Controle Cultural, Biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponível e apropriado.

Qualquer agente de controle de inseto pode ficar menos efetivo ao longo do tempo se o inseto alvo desenvolver algum mecanismo de resistência. Implementando as seguintes estratégias de Manejo de Resistência a Inseticidas (MRI) poderíamos prolongar a vida útil dos inseticidas:
- Qualquer produto para controle de inseto da mesma classe ou modo de ação não deve ser utilizado em gerações consecutivas da mesma praga.
- Utilizar somente as doses recomendadas no rótulo / bula.
- Sempre consultar um engenheiro agrônomo para direcionamento sobre as recomendações locais para o MRI.

Compatibilidade

Incomp. produtos forte. alcalinos/calda Bordalesa.