Bula Zino 750 WG - Sharda

Bula Zino 750 WG

CI
Hexazinona
14318
Sharda

Composição

Hexazinona 750 g/kg

Classificação

Terrestre/Aérea
Herbicida
1 - Produto Extremamente Tóxico
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Granulado Dispersível (WG)
Seletivo, Sistêmico

Tipo: Bombona.
Material: Plástico.
Capacidade: 2 - 50 kg.
Tipo: Saco.
Material: Plástico/Plástico aluminizado/Fibra celulósica.
Capacidade: 0,5 - 5 kg.
Tipo: Saco.
Material: Hidrossolúvel.
Capacidade: 0,025 - 0,5 kg.

INSTRUÇÕES DE USO

ZINO 750 WG é um herbicida de ação sistêmica, seletivo às plantas de cana-de açúcar, à base do ingrediente ativo Hexazinona (750 g/Kg), do grupo químico triazinona, apresentado na formulação Granulado Dispersível (WG) e indicado para o controle de plantas infestantes nas áreas cultivadas de cana-de-açúcar (planta ou soca), em pré ou pós-emergência inicial.
Recomenda-se uma (1) única aplicação no ciclo da cultura da cana-de-açúcar em pré ou pós emergência.
Na aplicação em PRÉ-EMERGÊNCIA o solo deve estar bem preparado, úmido, livre de torrões e restos de culturas. As maiores doses devem ser utilizadas quando o solo apresentar alto teor de matéria orgânica e/ou argila e alta pressão de plantas daninhas. As menores doses, próximas a 200 g/ha devem ser utilizadas em condições de solo arenosos. O produto não deve ser utilizado em cana-planta em condições de solo leve.
ZINO 750 WG poderá ser aplicado em condições de baixa umidade do solo quando em um período ao redor de 2 semanas as chuvas se tornarem regulares e ocorrer o fechamento da cana-de-açúcar.
Na aplicação em PÓS-EMERGÊNCIA é importante observar os estádios das plantas infestantes e dosagem a ser utilizada. Para folhas largas com 2 a 4 folhas e gramíneas recomenda-se a dose de 350 g /ha do produto. Em estádios mais desenvolvidos, com folhas larga acima de 4 folhas até 10cm de altura e gramíneas antes do perfilhamento recomenda-se a dose de 450 g/ha. É indicado o uso de espalhante adesivo à calda de pulverização de acordo com a recomendação do fabricante.
Quando ao estádio da cultura de cana-de-açúcar, a aplicação poderá ocorrer desde antes da emergência até o estádio de “esporão” para cana-planta ou até início de perfilhamento para a cana-soca, por serem estas as fases em que a cana-de-açúcar é mais tolerante aos herbicidas.
Caso o porte da cana estiver dificultando o perfeito molhamento das plantas infestantes ou do solo, recomenda-se aplicação em jato dirigido com pingente, a fim de se evitar o efeito “guarda-chuva”. Em cana-soca, a aplicação deve ser feita após o enleiramento da palha e o cultivo. Em cana-planta, a aplicação deve ser feita após as primeiras chuvas depois do plantio para se evitar a concentração excessiva do produto no sulco de plantio, em decorrência de assoreamento, obtendo-se assim maior seletividade à cultura e uniformidade de controle nas entrelinhas.

MODO DE APLICAÇÃO

ZINO 750 WG deve ser aplicado nas dosagens recomendadas, diluído em água. Aplicar o produto de maneira uniforme dando um perfeito molhamento da parte aérea das plantas daninhas que se deseja o controle.

Equipamentos de aplicação:
ZINO 750 WG deve ser aplicado através de pulverizadores costal manual, costal pressurizado, pulverizadores tratorizados convencionais ou aeronaves agrícolas. Os equipamentos de pulverização devem ser equipados com filtros adequados a cada tipo de bico.
Manter a calda de pulverização sob agitação contínua e o registro do pulverizador fechado durante as paradas e manobras com o equipamento de tal forma a se evitar sobreposição nas áreas tratadas.

APLICAÇÃO TERRESTRE:
- Equipamentos: pulverizador costal ou tratorizado de barra, com pressão constante.
- Pressão constante (15 a 50 lb/pol²) de acordo com o tipo de pulverizador e bico utilizados.
- Altura da barra: a altura da barra deve permitir boa cobertura do solo e/ou das plantas daninhas.
- Tipo de bico: de acordo com as recomendações dos fabricantes.
- Volume de aplicação: 250 a 600 L de calda/ha em pré e pós-emergência das plantas daninhas e da cultura. Utilizar maiores volumes de calda de acordo com a infestação, espécie de plantas daninhas e porte da cultura.

APLICAÇÃO AÉREA:
- Equipamentos: aeronaves agrícolas equipadas com barra de aplicação apropriada, munidas de pontas tipo cônicas, ou bicos rotativos.
- Volume de calda: 30 a 40 L/ha.
- Ângulo dos bicos em relação à direção de voo: de acordo com o equipamento e aeronave utilizados, e das condições climáticas no momento da aplicação.
- Altura do voo: 3 a 5 metros sobre o alvo.
Largura da faixa de deposição efetiva: de acordo com a aeronave, de modo a proporcionar uma cobertura uniforme. Deve-se evitar sobreposição incorreta das faixas de aplicação, proporcionando uma cobertura uniforme na faixa de deposição escolhida.

CONDIÇÕES CLIMÁTICAS

- Umidade relativa do ar: mínimo 70%.
- Velocidade do vento: mínimo 2 km/hora; máximo 10 km/hora.
- Temperatura: inferior a 25°C.
- Em condições de orvalho não há restrições nas aplicações com aviões ou máquinas terrestres.
- Observações locais deverão ser realizadas visando reduzir ao máximo as perdas por volatilização ou deriva.

Instruções para preparo da calda de pulverização:
Encher ¾ do volume do tanque de pulverização com água e adicionar ZINO 750 WG mantendo o misturador mecânico ou o retorno em funcionamento e completar o volume do tanque com água. A agitação da calda deve ser contínua durante o preparo da calda e durante a operação de aplicação da calda.

Lavagem do equipamento de pulverização:
Somente utilizar equipamentos limpos e devidamente conservados. Após a aplicação do produto, realizar lavagem completa do equipamento em local apropriado.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Cana-de-açúcar: 150 dias

INTERVALO DE RE-ENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite de entrar antes deste período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPl’s) recomendados para o uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

- Somente utilizar as doses recomendadas.
- Seguir as recomendações da bula.
- Cana-soca: as aplicações devem ser feitas após o enleiramento da palha e o cultivo.
- Cana-planta: as aplicações sejam feitas após as primeiras chuvas depois do plantio para se evitar concentração excessiva do produto no sulco de plantio, em decorrência do assoreamento, obtendo-se assim maior seletividade à cultura, e uniformidade de controle nas entrelinhas.
- Chuvas extremamente pesadas após a aplicação podem resultar em um baixo controle e/ou injúria à cultura, especialmente se a aplicação foi feita em condições de solo seco.
- Rotação de cultura: observar o período mínimo de um ano após a aplicação do produto.
- Não aplicar o produto através de sistemas de irrigação.
- Não servir como alimentação animal a cana-de-açúcar em que foi aplicado o produto.
- Quando se aplicar em pós-emergência inicial em condições de solo leve, com menos de 1% de matéria orgânica, deve-se determinar a tolerância à variedade, antes de se adotar o produto como prática.

INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL A SEREM UTILIZADOS

Os EPI’s visam proteger a saúde do s trabalhadores e reduzir o risco de intoxicação decorrente de exposição aos agrotóxicos. Para cada atividade envolvendo o uso de agrotóxicos é recomendado o uso de EPI's específicos descritos nas orientações para preparação da calda, durante a aplicação, após a aplicação, no descarte de embalagens e no atendimento aos primeiros socorros.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

O manejo de plantas daninhas é um procedimento sistemático adotado para minimizar a interferência das plantas daninhas e otimizar o uso do solo, por meio da combinação de métodos preventivos de controle. A integração de métodos de controle: (1) cultural - rotação de culturas, variação de espaçamento e uso de cobertura verde, (2) mecânico ou físico - capina manual, roçada, inundação, cobertura não viva e cultivo mecânico, (3) controle biológico e (4) controle químico têm como objetivo mitigar o impacto dessa interferência com o mínimo de dano ao meio ambiente.

ZINO 750 WG é um herbicida composto por Hexazinona, pertencente ao grupo das Triazinonas, que apresentam como modo de ação, a inibição do transporte de elétrons, resultando na remoção ou inativação de um ou mais carregadores intermediários de transporte de elétrons.
Classificado no Grupo C1, segundo classificação internacional do HRAC (Associação Brasileira de Ação à Resistência de Plantas a Herbicidas).
O uso sucessivo de herbicidas do mesmo modo de ação para o controle do mesmo alvo pode contribuir para o aumento da população da planta daninha alvo resistente a esse mecanismo de ação, levando a perda de eficiência do produto e consequente prejuízo. Como prática de manejo de resistência de plantas daninhas para evitar os problemas de resistência, devem ser adotadas as seguintes recomendações:
• Rotação de herbicidas com mecanismos de ação distinto do Grupo C1 para o controle do mesmo alvo, quando apropriado.
• Adotar outras práticas de controle de plantas daninhas seguindo as boas práticas agrícolas.
• Utilizar as recomendações de dose e modo de aplicação de acordo com a bula do produto.
• Sempre consultar um engenheiro agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais para o manejo da resistência e a orientação técnica da aplicação de herbicidas.
• Informações sobre possíveis casos de resistência em plantas daninhas devem ser consultadas e, ou, informadas à Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas (SBCPD: www.sbcpd.org), Associação Brasileira de Ação à Resistência de Plantas Daninhas aos Herbicidas (HRAC-BR: www.hrac.br.org), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA: www.agricultura.gov.br).