A notícia que lemos é imparcial?

A notícia que lemos é imparcial?

Por:
144 acessos

Observando os fatos recentes e analisando o jornalismo atual, vejo que ao invés de desafiar interesses e evidenciar de forma ampla todos os fatos, a imprensa está mais interessada em derrubar, disseminar mitos e mentiras imediatas para beneficiar os reclamantes. 

Em diversas ”notícias” e coberturas jornalísticas, a mídia vem desempenhando um papel crítico na disseminação de perigosos equívocos, que resulta em uma população ainda mais dividida do que antes, sendo que o seu papel seria de informar o fato de forma imparcial para as pessoas obterem a capacidade de formação de opinião independente do que foi escrito.

Diante disso, a explosão de opinião nas “notícias” é uma problemática atual nos diversos meios de comunicação. Na crise em que diversos meios de comunicação estão passando devido à falta de dinheiro, muitas vezes vemos a opinião de jornalistas substituindo o jornalismo investigativo sobre os fatos, aquele que gera altas despesas para redação e também ocupa muitas pessoas e tempo, com resultados na maioria das vezes inexpressivos. A crise nas receitas dos jornais levou a cortes nas investigações para substituir pela opinião, que é mais barata, e pode ser revertida rapidamente obtendo muitos cliques gerando receitas, independente do conteúdo ser confiável ou não.

Essa redução nas receitas significa o fim de uma era do que chamo de paternalismo dos grandes meios de comunicação, mostrando que, precisamos mais do que nunca de notícias de alta qualidade, com jornalistas confiantes em sua capacidade para explicar questões importantes e complexas de forma clara e acessível.

Sendo assim, observamos na mídia que as prioridades das notícias são em grande parte determinadas pelas opiniões e lado político da redação: suas manchetes e ângulos deformados de visão muitas vezes encenam debates na TV, no rádio e nas redes sociais todos os dias.

Nossa mídia tem uma escolha direta, ou atender à crescente demanda por pontos de vista dissidentes em todos os lados da notícia ou ser desafiado por novos meios de comunicação que estão demonstrando a imparcialidade e inovação na difusão de notícias.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink