Agricultura familiar e sua importância

Agricultura familiar e sua importância

Por:
328 acessos

A agricultura familiar não é uma ocupação, é um modo de vida. Essa vida que envolve desde suas atitudes positivas em relação ao trabalho e toda a união da família. Muitas famílias não pertencentes à agricultura familiar possuem qualidades semelhantes, mas dificilmente vivenciam o sentimento de trabalhar e brincar juntas vinte e quatro horas por dia, sete dias por semana, com um único objetivo que é a felicidade e o sustento de todos.

O apego dos agricultores às suas terras é uma conexão que aqueles que nunca cultivaram não podem apreciar. O sentimento diário que a terra é a única coisa no mundo pela qual vale a pena trabalhar, e a causa de que vale a pena lutar e morrer por ela.

O agricultor familiar (e sua família), em geral, tem um conjunto diferente de padrões com relação a alguns empresários e políticos, que hoje são condenados nas manchetes. Um agricultor familiar é um empresário, mas seus valores geralmente estão em um nível completamente diferente e mais humano do que aqueles que fazem os noticiários. Empresários e políticos que muitas vezes se consideram superiores porque receberam uma educação de elite e têm renda mais alta, mas não têm a distinção de alcançar a função mais importante da sociedade: alimentar seu povo.

Os agricultores familiares são inteligentes de uma maneira prática. Aprendem com a necessidade diária a serem carpinteiros, mecânicos, soldadores, eletricistas, encanadores e, às vezes, veterinários.  Uma prática diferente do que muitas vezes observamos nas empresas, pois são pró-ativos perante a prática, sempre buscando a solução mais rápida e eficaz diante do problema. 

No Brasil, de cada dez alimentos que estão nas mesas dos brasileiros, sete são de pequenas propriedades rurais, cujas produções são das famílias que tocam a roça. Segundo publicação da Exame ,a  agricultura familiar ocupa 84% das propriedades rurais e emprega cerca de 5 milhões de famílias, gerando faturamento anual na casa dos US$ 55 bilhões. Outro fator que impulsiona o setor é a lei brasileira, que obriga de que 30% de toda merenda escolar venha da produção familiar.

A agricultura familiar ainda produz 70% do feijão nacional, 34% do arroz, 87% da mandioca, 46% do milho, 38% do café e 21% do trigo. O setor também é responsável por 60% da produção de leite, 59% do rebanho suíno, 50% das aves e 30% dos bovinos. Assim sendo, o crescimento do Brasil depende dessas famílias, que necessitam de todo o apoio da população e do poder público.
 


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink