Quais são os custos na Agropecuária?

Quais são os custos na Agropecuária?

Por:
1097 acessos

As propriedades rurais, principalmente, as pequenas e médias, são estruturadas de forma familiar, sendo o dono da propriedade considerado também o administrador, o qual, na maioria das vezes, pouco conhece ou mesmo desconhece o Princípio Contábil da Entidade, consequentemente, termina por não separar os gastos da família com os da empresa. Fator primordial é conhecer os recursos disponíveis em sua propriedade e adotar a gestão das mesmas como empresas, possibilitando ao produtor a redução dos seus custos, garantindo sua sustentabilidade e a permanência na atividade.

Nesse sentido, a contabilidade rural tem como objeto o patrimônio das empresas rurais e como objetivo a determinação do lucro e controle do patrimônio. Esse ramo da contabilidade surgiu da necessidade da geração de informações para auxiliarem no controle e planejamento das atividades relacionadas ao patrimônio dessas entidades.

Para obter a contabilização dos custos orçados de forma eficiente e apropriada, deve-se constituir um sistema eficaz de contabilidade gerencial, com vistas a analisar vários aspectos como: orçamento, registros de produção que ainda não está pronta para comercialização, bem como da que está pronta para venda, além dos custos realizados, podendo esses custos serem variáveis ou não, sendo classificados em diretos e indiretos.

Os custos diretos são aqueles que são identificados com precisão no produto acabado por meio de um sistema ou um método de custeio ou critérios de medição, cujo valor é relevante, como: horas de mão de obra; quilos de sal ou rações; gastos com funcionamento e manutenção de tratores e maquinas, ou seja, os custos diretos são objetivos e diretamente apropriáveis ao produto acabado.

Por outro lado, os custos indiretos são aqueles incorridos dentro da cadeia produtiva, mas que, para serem apropriados aos produtos, obriga ao uso de rateios ou estimativas, método usado para distribuição dos custos que não se conseguiu analisar com objetividade e segurança em relação aos produtos obtidos.

Assim sendo, é importante salientar que a marcação no livro caixa de todas as atividades financeiras do produtor é necessária, pois a Contabilidade Rural tem suas normas baseadas na orientação, controle e registro em caderno contábil dos atos e fatos ocorridos e praticados por uma empresa cujo objeto de comércio ou indústria seja agricultura ou pecuária. A atividade agrícola possui algumas peculiaridades, como o exercício social, que termina logo após o ano agrícola, correspondendo o ano agrícola, geralmente, ao período de 12 meses. Esse período engloba o início do cultivo até a colheita. É importante ressaltar que a pecuária difere das demais atividades, pois o produtor rural tem a flexibilidade de vender sua produção em um período menor ou maior, em função do maior lucro que pode ser obtido, ou seja, a pecuária é diferente das demais empresas que apresentam receitas e despesas constantes durante os meses do ano.

Assim sendo, ha de se destacar o aspecto tributário, o qual diz respeito a pessoas físicas ou jurídicas e que envolve obrigações tributárias, tanto na esfera federal, quanto na estadual. Na esfera Federal, as exigências que devem ser cumpridas pelo produtor são: “Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física, Declaração do Imposto Territorial Rural, da Contribuição Sobre o Lucro Líquido, das contribuições para o PIS e COFINS e das Contribuições Previdenciárias”. Na esfera Estadual, o principal tributo é o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços – ICMS, seguido da contribuição sindical.  Além desses, há também o Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural (FUNRURAL), que é a contribuição social destinada ao custeio do seguro de acidente do trabalhador rural, porém quem recolhe essa contribuição é a empresa para quem o produtor vendeu, porém o contribuinte é o produtor.

Diante de todo o exposto acima, o uso da contabilidade rural, promove abertura para probabilidade de mudanças imediatas na produção, pois, diante do investimento realizado, é necessário que a produção equilibre os custos totais e ainda gere lucro, mesmo em condições desfavoráveis de mercado, a não ser que haja possibilidade de esperar melhores condições de venda. Essas particularidades resultam em maior complexidade no gerenciamento da propriedade rural, que pode ser reduzida com o emprego de técnicas que mostrem sua rentabilidade real, com objetivo de facilitar a vida do produtor rural.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink