Programa Viva O Semiárido avalia resultados no Piauí

Piauí

Programa Viva O Semiárido avalia resultados no Piauí

O encontro teve o objetivo de avaliar as ações do projeto e analisar os planos de negócios.
Por:
322 acessos

A coordenação do programa Viva o Semiárido (PVSA) realizou, na última sexta-feira (31), no laboratório de tecnologias Geratec, da Universidade Estadual do Piauí (Uespi), uma reunião com técnicos, consultores e coordenadores das Unidades Regionais dos Territórios do Sambito, Vale do Rio Guaribas, Itaim, Capivara e Canindé. O encontro teve o objetivo de avaliar as ações do projeto, fazer análises técnicas sobre os planos de negócios, os avanços dos projetos produtivos e apresentar balanços de resultados.

Para o diretor do PVSA, Francisco Ribeiro, as revisão vai apontar a qualidade e as quantidades dos projetos que estão sendo implantados e os que ainda serão executados. “Vamos nos preparar para, nesta revisão, orientar a direção do fechamento do projeto no que se refere ao cumprimento dos 500 planos de negócios, atendimento das famílias prioritárias - que são os quilombolas, as mulheres e a juventude rural - e focando nas cadeias produtivas que foram priorizadas” enumeroou.

O gestor acrescenta que a avaliação vai considerar se a equipe que executa o PVSA está no caminho certo, quais pontos precisam ser ajustados, a vinculação com a realidade, se os planos estão levando em consideração por exemplo, a regularidade das chuvas e o nível dos reservatórios, aspectos importantes na região do semiárido e devem ser debatidos.

Ribeiro frisa que o fortalecimento das cadeias produtivas é o maior resultado na execução do Programa até agora, tanto na apicultura como caprinocultura, e cita resultados positivos de projetos como o Piscicultura de Moreira, em Dom Inocêncio, e os quintais produtivos do Angical, em Valença e os caprinos da Serra dos Caboclos, de Itainópolis. “Todas as regiões vão apresentar a quantidade e a qualidade dos projetos que foram implantados como cajucultura, ovinocaprinocultura, apicultura, artesanato e os que serão ainda iniciados e isso vai apontar critérios, pontos do que precisa ser revisado desse acordo com FIDA", informou.

José Manoel de Oliveira, coordenador da Unidade Gestora do Projeto (UGP) da região de Picos (Território Vale dos Guaribas), citou duas referências: a Central de Cooperativas dos Cajucultores do Estado do Piauí (Cocajupi), na qual todas as etapas foram executadas como previsto; e a Central de Cooperativas Apícolas do Semi-ÁridoBrasileiro (Casa Apis), experiências exitosas que estão correspondendo às expectativas dos produtores da região, onde mais de 700 famílias são beneficiadas com os projetos .

A superintendente da SDR, Patrícia Vasconcellos, que na ocasião representou o secretário Francisco Limma, ressaltou que a avaliação é muito importante, pois precede revisão de meio termo do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrário (FIDA), que acontecerá no próximo mês e diz que os encaminhamentos deste encontro serão fundamentais. “Já poderemos repactuar algumas metas, de acordo com o que foi executado até aqui. A idéia é reforçar a participação efetiva das mulheres nos planos de negócio, os recursos hídricos no semiárido, para que a gente possa também direcionar a questão da segurança hídrica e a inovação dos planos, com iniciativas que possam gerar renda, e trabalhar a convivência com o semiarido”, concluiu.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink