A Laticínios Xandô aumenta seus lucros com o leite tipo A


Agronegócio

A Laticínios Xandô aumenta seus lucros com o leite tipo A

Por:
215 acessos

A Laticínios Xandô, empresa familiar, com fazenda em Araras (SP), decidiu aumentar os seus investimentos em leite tipo A para ganhar mais mercado. A companhia, vice-líder na comercialização do produto na capital paulista, decidiu ampliar seu foco de atuação no interior do estado e, ao assumir a empresa Forty, em 2002, que tinha muita atuação na região de Campinas, conquistou a liderança no interior.

"O leite Xandô já atinge mais ou menos 70% de participação no interior e uns 35% na capital", diz Douglas Abrantes, gerente geral da empresa. A liderança em leite tipo A na capital continua com a marca Fazenda, do empresário Olavo Barbosa, com aproximadamente 50% do mercado.

De acordo com as previsões da Xandô, o faturamento previsto para este ano é de R$ 10,8 milhões, o que significa um aumento de 71% em relação ao desempenho de 2002, que atingiu R$ 6,3 milhões, e que já havia crescido 60%.

A Xandô não compra matéria-prima de terceiros e toda a sua produção vem da Fazenda Colorado, de Araras, onde estão localizadas as vacas da raça holandesa (PO, ou seja, pura de origem). Atualmente são 1.200 matrizes - alimentadas com ração balanceada - que produzem em média 620 mil litros de leite por mês. A expectativa da empresa é de que ainda neste ano a produção aumente 29%, para cerca de 800 mil litros de leite por mês, segundo prevê Douglas Abrantes.

Para se ter uma idéia do alto grau de produtividade obtida pelo rebanho, o gerente geral da Xandô informa que as vacas holandesas produzem em média 34 quilos por dia de leite, o que significa cerca dez vezes mais em comparação à media brasileira, que oscila em torno de 3,5 quilos de leite/dia.

Segundo o gerente geral, o maior desafio da empresa é competir com o leite tipo longa vida (UHT), que domina praticamente 90% do mercado brasileiro em relação aos demais tipos de leite fluidos (tipos A, B e C), que representam os demais 10%. "Em países da Europa e Estados Unidos a relação é justamente a inversa", afirma ele.

Como vantagem do leite tipo A em relação a demais leites fluidos, Abrantes cita o menor número de células somáticas (bactérias). "Por lei, o leite tipo A só pode conter até 500 unidades por mililitro, enquanto o tipo B é permitido até 50 mil unidades/ml", diz. A diferença é a maior durabilidade, de até sete dias, em relação aos dois dias, em média, para o leite tipo B.

Outro investimento da Xandô foi no lançamento de leite tipo A light, com um teor de gordura menor, de 1,5%, em comparação aos 3,5% do convencional.

A empresa iniciou a produção de leite tipo A há 21 anos, já com sede na Fazenda Colorado. O fundador e proprietário é o empresário Lair Antonio de Souza, ex-proprietário da Solorrico, importante indústria de fertilizantes, que foi vendida para a Cargill, e também dono da Sucorrico S.A., empresa de suco de laranja congelado e concentrado, destinado à exportação.

Suco de laranja

Além do leite, a Xandô também produz e vende suco de laranja natural, ou fresco, pasteurizado. A produção é feita em uma unidade situada em Itapira (SP) e toda fruta é adquirida na própria região. Segundo Abrantes, em média a caixa (40,8 quilos) é negociada a US$ 3,5 e são feitos contratos com os produtores.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink