A semeadura de trigo 2009/2010 será a mais baixa de toda a história Argentina

Agronegócio

A semeadura de trigo 2009/2010 será a mais baixa de toda a história Argentina

A semeadura de trigo 2009/10 a nível nacional ficaria ao redor de 2,96 milhões de hectares, um número 35% inferior
Por:
542 acessos

Assim pronunciou a Bolsa de Cereais de Buenos Aires. Estimou que serão implantados apenas 2,96 milhões de hectares em todo o território nacional. Uma semana atrás eram esperados 3,20 milhões de hectares.

A semeadura de trigo 2009/10 a nível nacional ficaria ao redor de 2,96 milhões de hectares, um número 35% inferior a do ciclo anterior e o mais baixo de toda a história argentina. Assim pronunciou o informativo de evolução de cultivos da Bolsa de Cereais de Buenos Aires.

“ Se for confirmado este número (2,96 milhões de hectares), a semeadura do cereal diminuiria 35% em relação a campanha passada e se converteria na menor desde que se tem registros históricos do cultivo no país”, afirmou a Bolsa de Cereais.

No entanto, a data de implantação de trigo cobriu até agora uma superfície de apenas 762.000 hectares, o que representa 41% a menos do que foi implantado na mesma data de 2008. “Mais significativa é a redução do progresso da implantação ao vincular com a do ciclo agrícola de 2007/2008, que chega a 62%”, apontou o informativo.

Uma semana atrás a entidade projetava uma área nacional de trigo de 3,20 milhões de hectares, enquanto que na metade de maio a previsão era de 3,70 milhões de hectares.

Nos últimos 7 dias foram semeados ao redor de 200.000 hectares, localizados na sua maior parte nas regiões sudeste de Buenos Aires e Entre Ríos (onde a situação hídrica é melhor que em outras zonas). Mas as tarefas de semeadura seguem sendo quase nulas nas restantes regiões de trigo argentinas.

“Se as previsões climáticas para as próximas semanas não forem equivocadas, é muito provável que a superfície de trigo da atual campanha possa sofrer um corte maior que o estimado no presente informativo”, concluiu a Bolsa de Cereais.

Fonte: Infocampo


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink