Acaraú/CE cultiva novo abacaxi

Agronegócio

Acaraú/CE cultiva novo abacaxi

Denominada de abacaxi Vitória, a nova modalidade resulta de pesquisa de melhoramento genético
Por:
2066 acessos
Pesquisadores cultivaram uma nova variedade de abacaxi, que promete agradar ainda mais os consumidores

Um novo tipo de abacaxi foi cultivado experimentalmente por pesquisadores que pretendem lançar no mercado a modalidade, que apresenta mais resistência à fusariose, doença causada pelo fungo Fusarium subglutinans f.sp. ananas, principal problema fitossanitário desta cultura no País. Esta praga chega a causar até 40% de perdas na produção da fruta em território nacional.

Denominada de abacaxi Vitória, a nova modalidade resulta de pesquisa de melhoramento genético realizada pela Embrapa Mandioca e Fruticultura Tropical (BA) e pelo Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) do Espírito Santo.

No Ceará, começou a ser testado por um grupo de pesquisadores liderado pela doutoranda em Agronomia/Fitotecnia, Aiala Vieira Amorim. Acompanhada do também doutorando em Irrigação e Drenagem, Hernandes de Oliveira Feitosa, ambos da Universidade Federal do Ceará (UFC), desenvolveram a pesquisa com essa a variedade de abacaxizeiro no Baixo Acaraú.

O projeto foi financiado pelo Banco do Nordeste. Começou no fim de 2008 e se estendeu até outubro deste ano. Sob a orientação dos professores Enéas Gomes Filho, Claudivan Feitosa de Lacerda e do pesquisador da Embrapa, Carlos Farley Herbster Moura, os doutorandos trabalharam por cerca de dois anos em uma área aproximada de meio hectare, pertencente a um produtor da região do Perímetro Irrigado do Baixo Acaraú. Nesse experimento, os pesquisadores tentaram descobrir a melhor forma de adubação e cobertura do solo para que sejam adquiridos frutos do abacaxi Vitória, já considerado de excelente qualidade.

Floração

"As mudas desse abacaxi foram reproduzidas em um laboratório em Recife e trazidas para o Ceará no fim de 2008. As mesmas foram colocadas no campo em abril de 2009 onde permaneceu até outubro de 2010", destacou Aiala Amorim. "Para colher todos os frutos numa mesma época, foi induzida, em maio de 2010, a floração das plantas com o hormônio Ethrel. O objetivo foi facilitar a colheita em um único período", complementou.

Depois da colheita, os frutos foram transportados em câmeras frias até o laboratório da UFC, para avaliação do crescimento da planta no campo. "Foram realizadas também avaliações de crescimento e pós-colheita, observando vitamina C, teores de açúcares, acidez e firmeza do fruto, dentre outras. Além disso, realizamos ainda uma pesquisa de aceitação, comparando a variedade com uns dos mais produzidos no Brasil, o Smooth Cayenne e o Pérola", explicou a pesquisadora.

Segundo os doutorandos, os abacaxis dessa variedade são mais doces e resistentes a fusariose. Por conta da resistência a essa praga, o produtor não necessita aplicar fungicidas na planta para garantir uma boa produção, tornando o fruto mais saudável e reduzindo assim, futuros impactos ambientais. Além dessas características, as folhas e a coroa do abacaxizeiro não possuem espinhos, o que facilita os tratos agronômicos pelos agricultor.

O Programa de Melhoramento Genético do Abacaxizeiro, coordenado pela Embrapa Mandioca e Fruticultura Tropical, teve início em 1984. Centenas de híbridos gerados passaram por avaliações preliminares em condições controladas e resultaram na seleção de genótipos promissores, avaliados posteriormente em diferentes regiões produtoras. Destes, três híbridos foram introduzidos na fazendas experimentais do Incaper onde, nos últimos 10 anos, se realizou uma seleção que deu origem ao Vitória.

"Este abacaxi possui bom desenvolvimento e seu porte é praticamente o mesmo da cultivar Pérola", concluiu ela.

Período

"As mudas vieram de Recife em 2008 e plantadas em abril de 2009 onde permaneceu até outubro"

Aiala Amorim

Doutoranda em Agronomia/Fitotecnica na Universidade Federal do Ceará

Consumo natural

Os frutos que foram cultivado no Perímetro Irrigado do Baixo Acaraú podem ser destinados ao mercado de consumo "in natura" e para a agroindústria, devido às suas adequadas características sensoriais e físico-químicas. Têm polpa branca, boa suculência, reduzido tamanho do eixo central, elevado teor de açúcares e excelente sabor nas análises químicas e sensoriais.

Outras características favoráveis são a cor amarela da casca, o formato cilíndrico dos frutos e o peso em torno de 1,5 kg. O abacaxi Vitória possui bom crescimento e desenvolvimento e seu porte é praticamente o mesmo da variedade Pérola. Responsável pela maior coleção de germoplasma de abacaxi do mundo, a Embrapa Mandioca e Fruticultura Tropical possui ainda mais seis híbridos gerados que se mostraram resistentes à fusariose.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink