Afubra avalia que persperctivas de mercado internacional são positivas a curto prazo
CI
Agronegócio

Afubra avalia que persperctivas de mercado internacional são positivas a curto prazo

Por:

As perspectivas de mercado internacional para a fumicultura brasileira são positivas a curto prazo. A avaliação é do presidente da Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra), Hainsi Gralow, e do tesoureiro da entidade, Benício Albano Werner, que participaram da assembléia anual da Associação Internacional de Produtores de Tabaco (ITGA), realizada na cidade de Rovinj, na Croácia, na primeira quinzena deste mês.

Os dirigentes informaram que o tabaco de produção nacional - "que lidera a pasta das exportações em função de sua qualidade superior" - coloca o Brasil em posição favorável diante da situação vivida hoje pelas demais nações produtoras. Gralow e Werner explicam que, embora os chineses liderem em volume de produção as cerca de 2 milhões de toneladas produzidas por ano, de qualidade inferior ao produto brasileiro, eles abastecem praticamente todo o seu mercado interno.

Apesar de terem anunciado, no encontro mundial, a intenção de recuperar a posição de líderança mundial, os Estados Unidos reduziram pela metade as 800 mil toneladas que produziam há três anos em decorrência do alto custo de produção causado principalmente pelo alto valor da mão-de-obra. "Mesmo sem aceitar diminuir ainda mais a sua produção, os fumicultores americanos dependem da concessão e do pagamento de cotas para produzir", assinalou Gralow, referindo-se à necessidade de licença para produzir tabaco. Outra notícia divulgada aos dirigentes santa-cruzenses pelos produtores alemães ilustra a situação vivida pelos países europeus.

De acordo com Werner, cerca de sete mil produtores de tabaco se reuniram em Bruxelas, na Bélgica, para protestar contra a diminuição do subsídio ou a eventual extinção do auxílio concedido pelo Comunidade Européia. Conforme o presidente da entidade, os países que eram, historicamente, grandes produtores, como Estados Unidos, cortaram drasticamente a sua produção, abrindo, assim, o mercado europeu para o fumo brasileiro, "que se destaca pela qualidade e o aroma". Ele explicou que "para a manutenção deste mercado é necessário conservar a boa qualidade e a segurança de fumos limpos, com rigoroso controle dos insumos utilizados".


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink